Saneamento em Florianópolis: ‘Situação vexatória’, doutor? artigo de Ana Echevenguá

[EcoDebate] Na audiência pública, promovida pela Comissão do Meio Ambiente da Câmara de Vereadores de Florianópolis*, restou comprovado – finalmente – que as nossas praias estão poluídas com esgoto in natura.

A CASAN tropeçou nos números e comprovou – com gráficos – as falhas do tratamento de esgoto. Exemplos:

– na Lagoa da Conceição – cartão postal de Floripa -, ela coleta esgoto de 2.903 imóveis, atendendo a 9.464 pessoas;

– em Canasvieiras – segundo lar dos argentinos -, coleta esgoto de 7.697 casas e atende 25.092 pessoas; após a fiscalização que o Ministério Público Estadual a obrigou a fazer, descobriu que 80% dos imóveis não estão ligados na rede de coleta. Peguei a calculadora e apurei que só 1.540 residências enviam seu esgoto pra ETE (estação de tratamento de esgoto) de Canasvieiras.

Bom, sobre essa ETE, ninguém sabe muita coisa. Não foi realizada – até o momento – uma perícia técnica confiável no local. Tudo o que a gente sabe é que o projeto está em fase de ampliação. Mas, recebi uma mensagem que diz isso: “enquanto não fica pronta é um terror, nem a cloração da parte que funciona está ligada”.

Voltando aos números: eles são trágicos se considerarmos os dados fornecidos pelo IPUF**. A população de Canasvieiras, em 2011, por exemplo, corresponde a 131.767 (31.937 fixos e 99.830 da chamada população flutuante).

Todos já sabem para onde vai o esgoto produzido por esse povo todo…

O representante da FATMA – órgão estadual cuja missão maior é garantir a preservação dos recursos naturais de SC – alegou que essa situação é vexatória.

Vexatória? Florianópolis joga quase todo o esgoto que produz nas águas e solo e isso é considerado simplesmente vexatório? No mínimo, seria um caso de improbidade administrativa. No mínimo, doutor!

Bom, vexatória foi a solução que ele apresentou para o problema: começar uma discussão direta entre CASAN e FATMA. Ou seja: só blábláblá para que a CASAN entenda que ela precisa cumprir suas obrigações.

Nem vou falar da exposição do plano de saneamento básico pra cidade – a solução encomendada pela prefeitura e CASAN… essa papelada deveria ser queimada em praça pública!

E o contrato CASAN-Prefeitura?

Vamos pensar juntos sobre o contrato que a CASAN e Prefeitura assinaram:

– a CASAN assumiu a obrigação de tratar o esgoto de Florianópolis; no contrato de concessão de serviços estão previstos seus direitos e suas obrigações;

– da parte relacionada aos seus direitos, ela está dando conta: cobra mensalmente – sob pena de corte de fornecimento de água – a tarifa de água e esgoto;

– as suas obrigações ainda estão no papel; em planos de cumprimento de metas; em reuniões de diretoria…;

– só teremos 100% de esgoto tratado em 2030.

Se é assim, e se a única solução para essa merda toda que nos cerca é a continuidade do blábláblá e um plano de saneamento mirabolante, vamos suspender imediatamente o pagamento à CASAN, na parte que trata do esgoto (que ela não trata).

E só vamos pagar essa conta em 2030. Ou seja: a partir do dia em que tivermos esgoto tratado!

A nossa Tolerância Zero a essa fétida situação vexatória contemplará também um pedido de responsabilização e de punição previstas em Lei das pessoas físicas envolvidas.

* – Realizada no dia 16 de março de 2011.

** – Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis

Ana Echevenguá, advogada ambientalista, coordenadora do programa Eco&Ação, presidente da ong Ambiental Acqua Bios e da Academia Livre das Águas, e-mail: ana@ecoeacao.com.br, website: www.ecoeacao.com.br

EcoDebate, 23/03/2011

[ O conteúdo do EcoDebate é “Copyleft”, podendo ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Alexa

Top