Educação e Evolução Integral, artigo de Benedicto Ismael C. Dutra

[EcoDebate] Da mesma forma que os animais, os humanos também possuem um instinto imitativo, sendo que o homem está mais sujeito às manipulações por se subordinar ao cérebro sem se dar ao trabalho de examinar intuitivamente tudo o que lhe é apresentado. Os animais se imitam entre si, em seus ruídos e movimentos. Também há contágio emocional como no caso de alegria ou medo.

Os animais em bando sempre seguem o líder, que age impulsionado pelo instinto, sem premeditação. Com os humanos isso é diferente, pois os líderes humanos, aproveitando-se dos mecanismos do cérebro, iludem as massas que, acomodadas e indolentes, se deixam arrastar por caminhos destrutivos para atender aos propósitos de lideranças mal intencionadas.

O vício do fumo, por exemplo, teve um enorme aumento pela imitação dos modelos masculinos e femininos largamente difundidos através do cinema e pela propaganda, pois as imagens foram absorvidas pelo cérebro sem o crivo da intuição para verificar os efeitos nocivos do cigarro.

O aumento da violência também está associado ao padrão imitativo. Desorientada, a humanidade se deixa envenenar pelo que lhe é dado a ver ininterruptamente, perdendo o equilíbrio mental e emocional, sendo por isso arrastada pelos tumultos.

É evidente que os humanos necessitam controlar e dominar a máquina de pensar para não serem subjugados por ela. Com a progressiva dominação da parte mental, o cérebro vai se tornando uma fera indomável capaz de cometer as mais cruéis atrocidades. A vida se transforma num inferno com os mais brutais acontecimentos. Humanos contra humanos, filhos contra pais e vice-versa.

Na falta da evolução integral como meta da humanidade, os seres humanos tendem para uma convivência difícil, enfrentando muitas disputas e rivalidades, cercados de medos e preocupações com a falta de respeito e a consideração mútua. Por causa disso, muitas coisas ficaram retardadas, sem liberdade para prosseguir a marcha da contínua evolução e aperfeiçoamento.

Agora estamos enfrentando a era das dificuldades. A falsa compreensão sobre a vida e a origem do homem arrastou a humanidade a um ponto crítico em que passamos a extrair recursos acima da capacidade de reposição da natureza. Então veio a crise, como uma brecada repentina, que está reduzindo a velocidade do crescimento na tentativa de estabelecer um nível que o planeta possa suportar sem entrar em pane. Novamente, surgem graves ameaças de polarização social, surgindo revoltas em vários países, o que poderá se tornar incontrolável.

Uma nova educação se faz necessária, visando a promoção do desenvolvimento integral como meta dos pais, professores e da sociedade em geral. Uma educação fundada na realidade natural, sem as sofisticadas teorias distanciadas da vida real, difíceis de serem assimiladas e sem muita utilidade para o estabelecimento de um modo de vida construtivo e benéfico.

* Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, articulista colaborador de importantes jornais de São Paulo e realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida. Atualmente, é um dos coordenadores do www.library.com.br, site sem fins lucrativos, e autor dos livros Encontro com o Homem Sábio , Reencontro com o Homem Sábio, A Trajetória do Ser Humano na Terra e Nola – o manuscrito que abalou o mundo, editados pela Editora Nobel com o selo Marco Zero. E-mail: bidutra{at}attglobal.net

** Colaboração de Ticiane Araújo para o EcoDebate, 23/03/2010

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta utilizar o formulário abaixo. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Participe do grupo Boletim diário EcoDebate
E-mail:
Visitar este grupo

Comentários encerrados.

Top