Denúncia: As comunidades indígenas Tuxá vêm sofrendo com acordos inconstitucionais desde 1987

AS COMUNIDADES INDIGENAS TUXÁ VÊM SOFRENDO COM ACORDOS INCOSTITUCIONAIS E COM QUEBRAS DE ACORDOS COM A CHESF DESDE 1987

Depois de 23 anos de injustiças praticadas pela CHESF, comunidades indígenas Tuxá solicitam execução da Ação Civil Pública nº 1999.33.00.010342-0 impetrada na 16ª Vara da Justiça Federal em junho de 1999.

A comunidade não entende porque a Procuradoria da Republica e a Procuradoria Federal, ambas de Paulo Afonso resistem em solicitar a execução da ação que tem como objetivo a garantia dos Direitos Constitucionais. Onde temos conhecimento de que a Lei 6001/73 – Estatuto do Índio dispõe que:

Artigo 62 “Ficam declaradas a nulidade e a extinção dos efeitos jurídicos dos atos de qualquer natureza que tenham por objeto o domínio, a posse ou a ocupação das terras habitadas pelos índios ou comunidades indígenas”.

§ 1º “Aplica-se o disposto deste artigo às terras que tenham sido desocupadas pelos índios ou comunidades indígenas em virtude de ato ilegítimo de autoridade e particular”.

A Chesf esta querendo encerrar a questão e o débito econômico e sociocultural com as comunidades Tuxá, fundamentada em uma ata de reunião datada de 16 de novembro de 2006 no município de Salvador /BA, a qual nunca aconteceu, pois várias pessoas que constam as assinaturas em tal ata, já foi comprovada que se encontravam em outras localidades na data da reunião citada.

Comunidades Tuxá

Denúncia enviada por Ruben Siqueira, CPT/BA, para o EcoDebate, 04/02/2010

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta utilizar o formulário abaixo. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

Participe do grupo Boletim diário EcoDebate
E-mail:
Visitar este grupo

3 comentários em “Denúncia: As comunidades indígenas Tuxá vêm sofrendo com acordos inconstitucionais desde 1987

Comentários encerrados.

Top