Minc anuncia medidas para incentivar energia eólica

Foto Minc anuncia medidas para incentivar energia eólica. Foto de Jefferson Rudy
Foto Minc anuncia medidas para incentivar energia eólica. Foto de Jefferson Rudy

Para ele, a Carta dos Ventos é uma virada na política de geração de energia limpa. O Ministério planeja simplificar o licenciamento e já está em entendimentos com o Governo para o reduzir o IPI e facilitar a importação.

O ministro Carlos Minc defendeu nesta quarta-feira (18), durante o Fórum Nacional Eólico, a ampliação do parque de geração de energia elétrica eólico do País. O Brasil não pode continuar na contramão da tendência mundial, disse Minc, ao criticar a ampliação da geração por usinas térmicas. Segundo ele, o Brasil tem um papel determinante na Convenção do Clima de Copenhagen (COP-15), em dezembro, e tem de mostrar que está investindo em energia limpa.

O ministro assinou a Carta dos Ventos com dez secretários de estados e todos os representantes brasileiros do setor. O documento aponta para a busca de consenso sobre as necessidade de maior participação da energia limpa eólica na matriz energética brasileira. Segundo o ministro, o leilão para a entrada de 1000 MW de origem eólica no sistema ainda é pouco. Temos de fazer leilão de pelo menos três mil por ano, no mínimo, disse.

Minc destacou o papel do Ministério do Meio Ambiente, afirmando que o órgão planeja simplificar o licenciamento, pois já está no Conama resolução que fará com que as usinas térmicas adotem medidas mitigatórias, assumindo o custo ambiental de suas emissões, o que tornará os parques eólicos mais competitivos, além de incentivar a integração da geração eólica ao sistema de distribuição das demais fontes. A importação, um dos entraves da ampliação do setor, terá IPI reduzido, segundo entendimentos que vem sendo mantidos com a área econômica do Governo, além de reduzir os índices de nacionalização do setor, atualmente num patamar de 70%.

O fórum, que termina sábado (20), reúne representantes do setor no País. Segundo Minc, o Brasil é a terra dos ventos e precisa investir bem mais na energia limpa e não nas térmicas, que lançam toneladas de CO2 na atmosfera. Para ele, a Região Nordeste tem vocação natural para esse tipo de energia e poderá receber a instalação dos chamados parques offshore, na plataforma marítima, que tem baixo impacto.

Segundo Minc, a Carta dos Ventos abre espaço para que o Brasil se torne uma potência na geração de energia eólica. Vamos tornar a energia eólica mais barata e mais competitiva para o Brasil, concluiu.

* Por Paulenir Constâncio, da ASCOM MMA

[EcoDebate, 20/06/2009]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta que envie um e-mail para newsletter_ecodebate-subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

Um comentário em “Minc anuncia medidas para incentivar energia eólica

  1. Bons ventos tragam a matriz eólica para o Brasil, que tem o Plano Nacional sobre Mudança do Clima contemplando uma matriz suja (hidrelétrica) como se fosse limpa.
    O Brasil continuará na contramão do desenvolvimento até quando?

Comentários encerrados.

Top