Pesquisa afirma que a poluição atmosférica causa sério impacto nos ecossistemas

Pesquisa da Ong The Nature Conservancy, concluiu que a poluição atmosférica é degradante em cada grande tipo de ecossistema, no nordeste do Atlântico ao meio-oeste dos Estados Unidos.


Chuva ácida nos EUA 2004/2006

O relatório, “Threats From Above: Air Pollution Impacts on Ecosystems and Biological Diversity in the Eastern United States” (As ameaças a partir de cima: Impactos da Poluição Atmosférica sobre ecossistemas e diversidade biológica, no leste dos Estados Unidos) , é o primeiro a analisar os efeitos de grande escala dos poluentes do ar, em toda uma vasta gama de tipos de habitat. A maioria dos estudos recente incide sobre um poluente individual. Mais de 32 peritos contribuíram para o esforço; o prognóstico não é bom. Por Henrique Cortez, do EcoDebate.

“Em qualquer lugar que analisamos, foram encontrados indícios de poluição do ar prejudicando os recursos naturais”, comenta o Dr. Gary M. Lovett, um ecologista do Cary Institute of Ecosystem Studies e o principal autor do relatório. “É necessária uma ação decisiva se nós queremos a preservação e o funcionamento dos ecossistemas para as gerações futuras.”

Poluentes longe de seu ponto de origem
Os poluentes avaliados – enxofre, nitrogênio, mercúrio, e o ozônio ao nível do solo, embora inicialmente aerotransportados, se fixam na paisagem, contaminando o solo e a água.

Poluentes do ar podem viajar longas distâncias, antes de fazer seu caminho de volta para o chão. O leste dos Estados Unidos, com grandes fontes de poluição industrial e urbana, recebe os mais elevados níveis de poluição do ar da América do Norte. Isto é mau para a vida selvagem vulnerável, para a produtividade florestal, o solo, a saúde, os recursos hídricos e, em última instância, as economias.

Novas normas de qualidade do ar são fundamentais para a proteção dos recursos naturais
No cerne do relatório é um apelo à ação. Atualmente, nos EUA, as normas de qualidade do ar são determinadas pelos impactos diretos para a saúde humana apenas nos níveis de emissões. Eles não têm em conta quando a poluição atmosférica é efetivamente depositada na paisagem ou o modo como esta poluição afeta o solo, os recursos hídricos, bem como as plantas e animais.

“Para salvaguardar a saúde dos ecossistemas, precisamos de uma nova maneira de pensar sobre a poluição do ar – uma medida que ultrapasse o que é colocado no ar, e capta reais impactos para as áreas naturais, fauna silvestre, e dos seus serviços”, observa Lovett.

Para acessar a íntegra do relatório “Threats From Above: Air Pollution Impacts on Ecosystems and Biological Diversity in the Eastern United States”, em inglês e no formato PDF, clique aqui

[EcoDebate, 29/07/2008]

Top