Novo presidente do Ibama apóia PAC

Geógrafo, atual diretor de licenciamento do instituto, ele avisa que não pretende impor obstáculos às obras – O ministro indicado do Meio Ambiente, Carlos Minc, anunciou ontem que escolheu o geógrafo Roberto Messias para presidir o Instituto Brasileira do Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Por João Domingos, do O Estado de S. Paulo, 21/05/2008.

Ambientalista, atual diretor de Licenciamento Ambiental do instituto, Messias deu sinais ontem mesmo de que o governo não precisará se preocupar com a possibilidade de alguma grande obra prevista no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) ficar paralisada por falta de licença ambiental. Ele disse que o Ibama será rigoroso, mas responsável.

“Os grandes projetos de infra-estrutura do PAC são muito importantes porque criam a coluna vertebral para o País, que tem carência de estradas, de energia, pontes, ferrovias”, afirmou. Portanto, segundo ele, no que depender do Ibama os projetos serão aprovados. “Sem perder ambientalmente e fazer com que o beneficiado seja a população.” Messias assumiu a Diretoria de Licenciamento Ambiental no ano passado: superintendente do Ibama em Minas Gerais, foi chamado a Brasília às pressas para ocupar o cargo depois da crise provocada pela demora na licença das usinas do Rio Madeira.

O geógrafo foi o primeiro nome da equipe da ex-ministra Marina Silva a ser convidado a ficar pelo novo ministro, que tomará posse no dia 27. Ao conversar com Messias, Minc disse que havia falado com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a intenção de convidá-lo e Lula aplaudiu o gesto.

CONTINUIDADE

Messias disse que dará continuidade a tudo o que vinha sendo feito na gestão de Marina Silva, que deixou o comando do Ministério do Meio Ambiente na semana passada. “Evidentemente que haverá aperfeiçoamentos, melhorias. A vida nos exige um aperfeiçoamento contínuo. Minha intenção é colocar alguns tijolos a mais na construção da política nacional do meio ambiente”, explicou. Para ele, sua missão é igual à do peão de boiadeiro. “É igual a tocar boiada, ajusta daqui e dali.”

Na sua avaliação, é justo que os responsáveis pelo setor de infra-estrutura queiram que as licenças ambientais saiam rapidamente. Mas ele ressalvou que isso não quer dizer que haverá relaxamento na concessão dessas licenças. “Andar mais rápido com o licenciamento não pode ser perda de qualidade”, advertiu. “O Ibama é rigoroso nas análises e vamos continuar assim. Ser rigoroso implica também usar a inteligência para ser ágil e rápido.”

Natural do Rio de Janeiro, Roberto Messias foi secretário do Meio Ambiente do Estado de Minas Gerais no primeiro mandato do governador Aécio Neves (PSDB). Geógrafo, graduou-se pelo Instituto de Geociências da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e fez pós-graduação em Ecologia pela Unesco, em Paris.

Top