Supressão vegetação nativa no bioma Cerrado no ano de 2021 foi de 8.531,44 km²

 

Supressão vegetação nativa no bioma Cerrado no ano de 2021 foi de 8.531,44 km²

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), unidade vinculada ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), concluiu o mapeamento da supressão vegetação nativa no bioma Cerrado, atualizado pelo novo limite do bioma definido pelo IBGE em 2019. O valor mapeado foi de 8.531,44 km2 de corte raso no período de agosto de 2020 a julho de 2021. Esse valor representa um aumento de 7,9% em relação ao valor apurado pelo PRODES 2020 que foi de 7.905,16 km2 para o bioma Cerrado.

Esse resultado foi alcançado através do projeto PRODES Cerrado, desenvolvido e operado pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) unidade do Ministério de Ciência Tecnologia e Inovações – MCTI, sendo financiado pelo Programa de Investimento Florestal (FIP) do Banco Mundial. Para o mapeamento, o projeto utiliza 118 imagens do satélite Landsat ou similar para identificar, mapear e quantificar as áreas maiores que 1 hectare onde a vegetação nativa foi suprimida, independente da utilização subsequente dessas regiões.

O valor de 2020 foi alterado em relação ao divulgado anteriormente (no ano passado) devido a aplicação dos novos limites dos Biomas Brasileiros. O atual limite do Bioma Cerrado contempla uma área de 1.984.502,21 km², enquanto o limite anterior era de 2.039.776,31 km². A diminuição da área total do bioma Cerrado reflete o balanço onde cerca de 129 mil km2 saíram do Cerrado para outros biomas e outros 65 mil km² de regiões que pertenciam anteriormente aos outros biomas, como Caatinga, Mata Atlântica, Amazônia e Pantanal passaram para o bioma Cerrado.

Com a inclusão dessa nova área com mais de 65 mil km² fez se necessário o mapeamento do desmatamento ao longo da série histórica para essas regiões para os anos 2000, 2002, 2004, 2006, 2008, 2010, 2013, 2014, 2016, 2018 e 2020, para complementar o mapeamento já existente no resto do Bioma.

A Tabela 1 mostra a área de vegetação nativa suprimida no Bioma Cerrado no ano de 2021 para cada estado. O Estado do Maranhão foi o que apresentou a maior área de vegetação nativa suprimida com 2.281,72 km², seguido pelo Tocantins 1.710,55 km² e Bahia 925,11 km².

 

Tabela 1 – Área de vegetação nativa suprimida no Bioma Cerrado em 2021 em cada estado.

Estado

PRODES 2021 (km²)

Contribuição (%)

Bahia

925,11

10,84

Distrito Federal

4,55

0,05

Goiás

920,45

10,79

Maranhão

2.281,72

26,74

Mato Grosso

803,30

9,42

Mato Grosso do Sul

287,65

3,37

Minas Gerais

802,63

9,41

Pará

192,18

2,25

Paraná

0,07

0,00

Piauí

583,73

6,84

Rondônia

18,21

0,21

São Paulo

1,28

0,02

Tocantins

1.710,55

20,05

TOTAL

8.531,44

100,00

A tabela 2 apresenta a área total de cada estado dentro do Bioma Cerrado no limite antigo e no novo. É possível observar os estados em que a área total dentro do bioma aumentou ou diminuiu, sendo que o estado do Piauí teve o maior acréscimo em área (39.432 km²), o estado da Bahia com a menor diminuição, e a inclusão do estado do Pará, que antes não fazia parte do Bioma e agora mais de 8 mil km² do estado está dentro do Limite do Cerrado.

 

Tabela 2: Área total de cada Estado dentro do Limite do Bioma Cerrado (Antigo e o novo).

Estados

Limite Antigo (km²)

Limite Novo (km²)

Diferença (km²)

Bahia

151.248,11

103.400,50

-47.847,61

Distrito Federal

5.780,00

5.780,00

0,00

Goiás

329.611,90

334.579,71

4.967,81

Maranhão

212.551,24

217.028,74

4.477,50

Mato Grosso

358.797,48

337.831,35

-20.966,13

Mato Grosso do Sul

216.363,84

222.246,04

5.882,20

Minas Gerais

333.716,25

317.139,09

-16.577,16

Pará

0,00

8.709,97

8.709,97

Paraná

3.740,98

3.124,07

-616,91

Piauí

93.447,62

132.880,54

39.432,92

Rondônia

488,01

2.535,50

2.047,49

São Paulo

81.135,96

46.142,00

-34.993,96

Tocantins

252.894,92

253.104,70

209,78

Total

2.039.776,31

1.984.502,21

-55.274,10

 

A Tabela 3 apresenta a variação da área de vegetação nativa suprimida entre os anos de 2020 e 2021 por estado. No total essa variação foi de 8% (, que representa um aumento de 626,28 km² na remoção da cobertura natural em relação a 2020.

 

Tabela 3 – Valores absolutos e variação percentual para cada estado em km2.

Estado

PRODES 2020

PRODES 2021

Diferença

Variação (%)

Bahia

768,82

925,11

156,29

20%

Distrito Federal

4,78

4,55

-0,23

-5%

Goiás

733,54

920,45

186,92

25%

Maranhão

1.898,80

2.281,72

382,92

20%

Mato Grosso

770,11

803,30

33,19

4%

Mato Grosso do Sul

299,33

287,65

-11,68

-4%

Minas Gerais

621,70

802,63

180,93

29%

Pará

312,58

192,18

-120,40

-39%

Paraná

1,70

0,07

-1,63

-96%

Piauí

880,01

583,73

-296,28

-34%

Rondônia

23,53

18,21

-5,32

-23%

São Paulo

5,57

1,28

-4,28

-77%

Tocantins

1.584,71

1.710,55

125,85

8%

TOTAL

7.905,16

8.531,44

626,28

8%

 

A Tabela 4 apresenta os valores da supressão de vegetação nativa para cada ano, atualizados pelos novos limites do bioma Cerrado. O mapeamento do ano 2000 corresponde a todo o desmatamento já existente e identificável no mapeamento do ano de 2000.

 

Tabela 4 – Incremento anual da área de vegetação nativa suprimida por estado (km2).

ANO

BA

DF

GO

MA

MT

MS

MG

PA

PR

PI

RO

SP

TO

2000

18.741

3.073

166.186

40.600

111.909

148.572

125.323

740

2.219

9.270

36

38.535

35.678

2002

2.415

26

13.340

4.670

9.416

5.428

10.360

188

57

1.732

7

191

5.842

2004

4.072

164

12.415

5.808

11.877

4.601

8.265

206

29

3.292

43

207

6.189

2006

2.472

55

4.958

4.841

4.889

3.020

4.921

216

39

2.660

18

187

5.278

2008

2.949

21

3.038

6.719

4.739

1.541

3.986

1.013

6

1.727

502

58

5.970

2010

1.782

25

2.943

3.468

1.961

956

2.519

112

40

2.258

11

78

3.669

2012

2.565

13

1.980

2.880

1.899

704

2.582

2

3

1.804

1

22

3.499

2013

1.049

11

1.531

1.703

1.870

480

1.873

170

3

1.879

8

24

2.881

2014

860

20

1.202

1.884

1.048

273

1.819

190

8

1.287

18

25

2.271

2015

1.081

5

1.235

1.673

1.615

587

1.054

1

6

779

2

10

3.081

2016

649

3

672

1.281

1.272

320

352

293

4

966

45

2

1.638

2017

659

6

863

1.502

1.029

265

499

2

3

566

1

2

1.722

2018

598

8

742

1.571

1.049

259

476

198

1

744

18

9

1.587

2019

715

3

668

1.341

884

256

476

4

0

426

8

4

1.533

2020

769

5

734

1.899

770

299

622

313

2

880

24

6

1.585

2021

925

5

920

2.282

803

288

803

192

0

584

18

1

1.711

Total

42.302

3.441

213.426

84.121

157.028

167.848

165.929

3.839

2.420

30.854

761

39.359

84.134

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A Figura 1 mostra uma comparação gráfica entre a extensão da área de vegetação nativa suprimida no período de 2001 a 2021.

 

Gráfico do desmatamento no Bioma Cerrado por ano

Figura 1 – Gráfico do desmatamento no Bioma Cerrado por ano.

A figura 2 apresenta de maneira espacialmente explicita a ocorrência de supressão de vegetação nativa no período agosto/2020 a julho/2021.

 

Cerrado - ocorrência de supressão de vegetação

Figura 2 – ocorrência de supressão de vegetação nativa no período agosto/2020 a julho/2021.

 

Além das tabelas que consolidam os valores de área de vegetação natural suprimida apresentadas nessa nota, o INPE também disponibiliza os dados espacializados, que podem ser visualizados através de portal internet no endereço < http://terrabrasilis.dpi.inpe.br/>.

 

Esse portal também apresenta um ambiente de consultas prontas sobre esses dados, para serem consumidas no ambiente da internet, permitindo ainda o download dos mapas e dos dados tabulares.

Fonte: PRODES/INPE

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 04/01/2022

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top