Proteína de inseto tem grande potencial de redução da pegada de carbono

 

Proteína de inseto tem grande potencial de redução da pegada de carbono

Pesquisadores da Universidade de Helsinque e da Universidade LUT, Finlândia, analisaram até que ponto a proteína de inseto poderia ajudar a reduzir o aquecimento global associado ao consumo de alimentos na Europa.

Eles se concentraram especialmente no uso de proteína de inseto e de proteína de soja na produção de frangos de corte.

University of Helsinki*

Os resultados apoiam pesquisas anteriores, sugerindo que a proteína do inseto tem o maior potencial para reduzir as pegadas de carbono relacionadas aos alimentos dos consumidores europeus, se os insetos comestíveis – como grilos, moscas e vermes – forem consumidos diretamente ou processados como alimento. Os métodos de preparação incluem comê-los frescos ou secá-los e processá-los em farinha para uso em pão ou macarrão.

“Nossos resultados de fato sugerem que é mais sustentável usar proteína de inseto para alimentação em vez de substituí-la na alimentação animal. No entanto, descobrimos que uma mudança para o uso de produtos de baixo valor da indústria de alimentos – como lixo de cozinha ou subprodutos, por exemplo, do processamento de peixes – na produção de insetos para ração de galinhas é a chave para aumentar decisivamente os benefícios da pegada de carbono do uso de proteína de inseto em vez de proteína de farelo de soja “, disse o professor Bodo Steiner da Faculdade de Agricultura e Silvicultura da Universidade de Helsinque, Finlândia.

Tudo isso é importante e oportuno porque, como parte do debate atual sobre as mudanças climáticas, surgiram preocupações sobre o aumento do desmatamento associado à rápida expansão do cultivo global de soja, que é uma importante fonte de proteína para alimentação de rebanhos criados para servir de alimento para humanos.

Referência:

A. Vauterin, B. Steiner, J. Sillman, H. Kahiluoto,
The potential of insect protein to reduce food-based carbon footprints in Europe: The case of broiler meat production, Journal of Cleaner Production, Volume 320, 2021, 128799, ISSN 0959-6526,
https://doi.org/10.1016/j.jclepro.2021.128799

 

Henrique Cortez *, tradução e edição.

&nbsp

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 10/09/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Deixe um comentário

Top