Conectividade de áreas protegidas ajuda espécies a lidarem com as mudanças climática

 

Desmatamento no entorno do Território Indígena do Xingu (MT) | Beto Ricardo - ISA
Floresta fragmentada – Desmatamento no entorno do Território Indígena do Xingu (MT) | Beto Ricardo – ISA

Conectividade de áreas protegidas ajuda espécies a lidarem com as mudanças climáticas

Passagens seguras para espécies que se adaptam às mudanças climáticas nem sempre estão sendo protegidas, alerta um novo estudo da Universidade de Liverpool.

University of Liverpool*

Com o aumento das temperaturas alterando onde as espécies podem sobreviver, muitas estão se mudando para áreas recentemente hospitaleiras mais ao norte. A chave para esta jornada é garantir a conectividade adequada entre onde as espécies vivem atualmente e onde podem viver no futuro.

“Se fragmentos de habitat vitais para a conectividade forem perdidos porque não estão protegidos, uma das principais maneiras pelas quais as espécies podem se adaptar às mudanças climáticas será prejudicada. Portanto, precisamos de métodos para identificar os ‘trampolins’ mais importantes e considerá-los ao designar áreas protegidas para conservação ”, explica o pesquisador Thomas Travers.

Em um novo artigo publicado no Proceedings of the Royal Society B , os pesquisadores usaram uma ferramenta de software de ponta chamada Condatis para explorar como as espécies podem se mover para o norte através de 16 redes de habitat diferentes na Inglaterra, quantificando a importância de diferentes manchas para essa conectividade. Eles também exploraram o quanto a conectividade poderia ser melhorada protegendo algumas das áreas-chave.

O estudo foi realizado por pesquisadores da Universidade de Liverpool, da Natural England e do UK Centre for Ecology and Hydrology.

A equipe descobriu que partes de conexão importantes eram frequentemente deixadas de fora das redes existentes de área protegida, o que significa que menos conectividade foi protegida do que você poderia esperar, dada a quantidade de proteção do habitat. Em 12 das 16 redes de habitat que estudaram, essa deficiência foi em média de 13,6%.

No entanto, eles também descobriram que se apenas uma pequena quantidade de área adicional fosse protegida, isso poderia ter um grande impacto ao ajudar a corrigir esse desequilíbrio e reduzir a vulnerabilidade à mudança climática. Ao focar em reservas naturais adicionais para priorizar a conectividade, a equipe estima que uma média de 41% a mais de conectividade poderia ser alcançada com apenas um aumento de 10% na proteção da área.

O autor principal, Thomas Travers, estudante de doutorado da University of Liverpool, disse: “A comunidade científica tem enfatizado a importância de incorporar a conectividade ao processo de planejamento por pelo menos 30 anos e, à medida que os climas globais continuarem a mudar, essa importância aumentará. Infelizmente, parece que a conexão dos habitats permanece vulnerável à degradação e perda por falta de proteção. Mostramos que patches importantes para a conectividade de longa distância podem ser facilmente identificados, permitindo que a proporção protegida seja aumentada com recursos adicionais mínimos. ”

O coautor Dr. Jamie Alison, do UK Centre for Ecology and Hydrology, acrescentou: “Não devemos esquecer de proteger os habitats que parecem ser pequenos e periféricos. Eles são lugares valiosos para as pessoas desfrutarem da natureza – mas também para as espécies lidarem com as mudanças climáticas. ”

A autora sênior, Dra. Jenny Hodgson , da Universidade de Liverpool, disse: “Garantir a proteção de nossos melhores habitats para a vida selvagem é um primeiro passo fundamental para tornar o mundo natural resiliente em um clima em mudança. A meta proposta da Convenção sobre Diversidade Biológica de proteger 30% da terra e dos mares da Terra para a natureza até 2030 (meta 30 × 30) oferece uma oportunidade importante e oportuna para reduzir parte desse déficit de proteção de conectividade. ”

O Dr. Humphrey Crick, da Natural England deu as boas-vindas ao estudo e disse: “A importância da conectividade foi enfatizada na abordagem do governo para a adaptação às mudanças climáticas e este estudo fornece um excelente exemplo de como podemos usar a ciência mais recente para ajudar a identificar essas áreas que são potencialmente importantes ”.

O software Condatis foi desenvolvido pela Dra. Jenny Hodgson e tem sido usado em todo o mundo para priorizar o melhor habitat para proteger e restaurar.

Thomas Travers foi financiado por uma bolsa de estudos do NERC por meio da Parceria de Treinamento para Doutorado Adaptando aos Desafios de um Ambiente em Mudança ( ACCE ). O estudo também recebeu apoio financeiro e logístico da Natural England.

Referência:

Travers TJP, Alison J, Taylor SD, Crick HQP, Hodgson JA. 2021 Habitat patches providing south–north connectivity are under-protected in a fragmented landscape. Proc. R. Soc. B 20211010. https://doi.org/10.1098/rspb.2021.1010

 

Henrique Cortez *, tradução e edição

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 25/08/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top