Tamanho da população não determina desempenho nas Olimpíadas

 

Tamanho da população não determina desempenho nas Olimpíadas, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

Os países com melhor desempenho olímpico são aqueles com maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e não, necessariamente, aqueles mais populosos

“Choramos ao nascer porque chegamos a este imenso cenário de dementes”
William Shakespeare (1564-1616)

Existe uma ideologia pronatalista e nacionalista que considera o tamanho da população uma variável fundamental para a grandeza das nações. Há um conjunto de formadores de opinião que defendem o crescimento populacional desregrado e egoísta, como observou o escritor português João Abegão (2019):

“A população mundial passou de 1 bilhão de habitantes em 1800 para quase 8 bilhões em 2020 por conta do mito da necessidade do crescimento e da ideologia pronatalista, vindas dos nacionalistas e patriotas que querem mais força e influência internacional; do Estado que quer mais impostos e mais contribuintes; dos militares que desejam bucha de canhão para as suas guerras; dos capitalistas que desejavam o aumento da força de trabalho e o crescimento do mercado consumidor; dos políticos que querem mais votos do eleitorado; dos sindicatos que querem ampliar suas bases; das igrejas que querem mais dízimos dos seus fiéis; e dos pais que querem o cuidado e a riqueza vinda dos filhos”.

Um exemplo de ideologia pronatalista inconsequente e autoritária ocorreu no mês passado em um debate da Fox News nos EUA. Como mostrou a analista Arwa Mahdawi, no jornal The Guardian (31/07/2021), profissionais da emissora questionaram a “esquerda sem filhos”: especialmente a vice-presidente Kamala Harris, o secretário de transportes Pete Buttigieg, o senador Cory Booker e a congressista Alexandria Ocasio-Cortez. Os jornalistas da Fox dizem que, por não se reproduzirem (não ter filhos biológicos), os tornava maus líderes. Foi lançada a bandeira: “Sem filhos, sem voto”. Ou seja, só poderiam votar as pessoas que tivessem filhos biológicos. Uma loucura!

Mas uma outra posição pronatalista muito comum é achar que o tamanho da população é fundamental para o sucesso nos esportes. Para avaliar o peso da população no sucesso Olímpico, a tabela abaixo mostra as medalhas conquistadas pelos 10 países mais populosos do mundo nas Olimpíadas de Tóquio. A China o país mais populoso do mundo ficou em segundo lugar em medalhas de ouro e os EUA – o terceiro mais populoso – ficou em primeiro lugar no ranking.

participação dos 10 países mais populosos nas olimpíadas de toquio

 

Mas em compensação, a Índia (que deve assumir o posto de nação mais populosa em breve), a Indonésia (quarto país mais populoso) e o Paquistão (quinto país mais populoso) tiveram um desempenho pífio, perdendo no quadro de medalhas para a Jamaica, país com menos de 3 milhões de habitantes, que obteve 4 medalhas de ouro e 9 medalhas no total.

A Austrália – com 25 milhões de habitantes e com 17 medalhas de ouro e 46 medalhas no total – teve mais medalhas do que os 7 países com 2,6 bilhões de habitantes. Outro exemplo, a Nova Zelândia – com 5 milhões de habitantes e 7 medalhas de ouro – obteve mais medalhas de ouro do que os 6 dos 10 países mais populosos (Índia, Indonésia, Paquistão, Nigéria, Bangladesh e México).

O gráfico abaixo mostra os 25 países mais bem posicionados no ranking de medalhas das Olimpíadas de Tóquio e a relação entre população e as medalhas de ouro. A Nova Zelândia conquistou 1 medalha de ouro para cada 714 mil habitantes e a Jamaica para cada 750 mil habitantes. A Noruega obteve 1 medalha de ouro para cada 1,4 milhão de habitantes, Austrália para cada 1,5 milhão e Cuba para cada 1,6 milhão. Os EUA – líder da competição – teve 1 medalha de ouro para cada 8,5 milhões de habitantes. Já no outro extremo, o Brasil obteve 1 medalha de ouro para cada 30,3 milhões de habitantes e a China conquistou 1 medalha de ouro para cada 37,1 milhões de habitantes.

medalhas de ouro por habitantes nas olimpíadas de tóquio

Desta forma, percebe-se que o tamanho populacional não é documento. Uma população grande pode ser um ativo ou um passivo, em termos esportivos. Em geral, os países com melhor desempenho olímpico são aqueles com maior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) e não, necessariamente, aqueles mais populosos. Em síntese, utilizar o tamanho da população para alardear a grandeza do desempenho esportivo pode até funcionar para a China, mas não é generalizável para os demais países.

Em vez de celebrar a quantidade de habitantes é melhor comemorar a qualidade de vida de uma população com alto nível de saúde, educação, renda e equidade social.

José Eustáquio Diniz Alves
Doutor em demografia, link do CV Lattes:
http://lattes.cnpq.br/2003298427606382

Referências:

ALVES, J. E. D. Mitos e realidade da dinâmica populacional. In: ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 12, Caxambu, MG, 2000
https://pt.scribd.com/document/493115086/MITOS-E-REALIDADE-DA-DINAMICA-POPULACIONAL

ALVES, J. E. D. População, Bem-Estar e Tecnologia: debate histórico e perspectivas. Multiciência (UNICAMP). v.6, p.1 – 22, 2006.
https://www.fef.unicamp.br/fef/sites/uploads/deafa/qvaf/a_02_6.pdf

ALVES, JED. O antineomalthusianismo populacionista e o pronatalismo coercitivo, Ecodebate, 03/06/2020
https://www.ecodebate.com.br/2020/06/03/o-antineomalthusianismo-populacionista-e-o-pronatalismo-coercitivo-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/

ALVES, JED. Planejando o decrescimento demoeconômico. Ecodebate, RJ, 05/06/2013
http://www.ecodebate.com.br/2013/06/05/planejando-o-decrescimento-demo-economico-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/

ALVES, JED. O déficit ambiental dos Estados Unidos e o superávit ambiental do Canadá, Ecodebate, 09/08/2013
http://www.ecodebate.com.br/2013/08/09/o-deficit-ambiental-dos-estados-unidos-e-o-superavit-ambiental-do-canada-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/

ALVES, JED. “Planeta vazio” ou pronatalismo antropocêntrico e ecocida? Ecodebate, 15/03/2019
https://www.ecodebate.com.br/2019/03/15/planeta-vazio-ou-pronatalismo-antropocentrico-e-ecocida-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/

ALVES, JED. Demografia Ponzi e o pavor ao decrescimento populacional, Ecodebate, 10/03/21
https://www.ecodebate.com.br/2021/03/10/demografia-ponzi-e-o-pavor-ao-decrescimento-populacional/

Arwa Mahdawi. No children, no vote: Fox News’s latest asinine suggestion, The Guardian, 31/07/2021
https://www.theguardian.com/commentisfree/2021/jul/31/fox-news-jd-vance-childless-left-week-in-patriarchy

JOÃO ABEGÃO. Human Overpopulation Atlas, 2009
https://www.overpopulationatlas.com/

ALVES, JED. Aula 11 AM088: Decrescimento demoeconômico e capacidade de carga do Planeta, IFGW, 11/04/21
https://www.youtube.com/watch?v=QVWun2bJry0&list=PL_1__0Jp-8rhsqxcfNUI8oTRO1wBr86fh&index=9

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 07/08/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top