Demografia Ponzi e o pavor ao decrescimento populacional

 

Demografia Ponzi e o pavor ao decrescimento populacional, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“A população mundial passou de 1 bilhão de habitantes em 1800 para quase 8 bilhões em 2020 por conta do mito da necessidade do crescimento e da ideologia pronatalista, vindas dos nacionalistas e patriotas que querem mais força e influência internacional; do Estado que quer mais impostos e mais contribuintes; dos militares que desejam bucha de canhão para as suas guerras; dos capitalistas que desejavam o aumento da força de trabalho e o crescimento do mercado consumidor; dos políticos que querem mais votos do eleitorado; dos sindicatos que querem ampliar suas bases; das igrejas que querem mais dízimos dos seus fiéis; e dos pais que querem o cuidado e a riqueza vinda dos filhos” João Abegão – 2019

[EcoDebate] Na história da humanidade e, principalmente depois da Revolução Industrial e Energética, aumentou a obsessão pelo crescimento tanto na área econômica, quanto na área demográfica. O crescimento demoeconômico é, em geral, defendido em nome da grandeza da Pátria e do empoderamento das empresas, das famílias, das religiões, etc. Existe uma forte associação entre “mais” e “melhor”, pois na ideologia crescentista, mais produção e mais consumo significa mais renda o que está correlacionado com mais bem-estar e mais felicidade com base no consumo.

Quando a população era relativamente pequena e a natureza absolutamente rica, o enriquecimento humano pode ocorrer em detrimento do empobrecimento ambiental. Desde o começo do uso generalizado dos combustíveis fósseis e da produção em massa de bens e serviços a economia cresceu dando a impressão que a humanidade iria conseguir uma riqueza infinita ou, pelo menos, muito grande.

Assim o crescimento demográfico alimentou o crescimento econômico e vice-versa. Em consequência, o pronatalismo tem sido uma força hegemônica no mundo. Durante o Holoceno (últimos 12 mil anos) o crescimento populacional foi algo impressionante como mostra o gráfico abaixo. Havia cerca de 4 milhões de humanos no ano 10 mil antes de Cristo, passou para 190 milhões de pessoas no ano 1 da Era Cristã, chegou a 1 bilhão por volta de 1800, 6 bilhões em 1999 e a população mundial deve chegar a 8 bilhões de habitantes em 2023.

crescimento da população mundial nos últimos 12 mil anos

A ganância pelo crescimento e pelo lucro ilimitado alimentou falsas promessas ao longo dos séculos, com destaque para o esquema Ponzi, que é uma operação fraudulenta e enganosa de investimentos do tipo pirâmide que envolve a promessa de pagamento de rendimentos anormalmente altos às primeiras “gerações” de investidores à custa do dinheiro pago pelos investidores das “gerações” posteriores. São inúmeros os exemplos de economia Ponzi ao longo da história, pois os investidores espertos buscam manipular a ganância das pessoas que buscam se enriquecer de maneira fácil.

O medo da depopulação é uma constante. A ideologia pronatalista e até o pronatalismo coercitivo estão impregnados na sociedade.

Em 2019, os jornalistas canadenses Darrell Bricker e John Ibbitson lançaram o livro “Empty Planet: The Shock of Global Population Decline”, onde contestam as previsões da Divisão de População da ONU que apontam que a população mundial vai continuar crescendo (mesmo que em ritmo menor) ao longo do século XXI, devendo alcançar cerca de 11 bilhões de habitantes em 2100. Os autores fizeram um alarmismo com a possibilidade de um decrescimento da população e não esconderam uma postura pronatalista antropocêntrica e ecocida. Eles reforçam o mito sobre a possibilidade de um crescimento populacional e econômico ilimitado (“Growthism”), embora o maior crescimento populacional possa gerar menos qualidade de vida ambiental e possa levar a um colapso ecológico.

Com a pandemia da covid-19 o fervor populacionista veio à tona. O jornalista católico conservador Ross Douthat, colunista do jornal New York Times, escreveu em 2020 o artigo “The Age of Decadence, onde diz que a verdadeira história do Ocidente no século 21 é de impasse e estagnação. Ele associa o declínio populacional com a decadência da civilização. Por isto ele defende uma pirâmide populacional de base larga.

demografia ponzi

Mas há também visões contrárias ao pronatalismo, pois como a Terra é finita, algum dia a população vai ter que parar de crescer e até decrescer. Em janeiro de 2021, o demógrafo Joseph Chamie escreveu o artigo “Is the US population in decline? More ponzi demography”, onde ele diz: “Com o lançamento das estimativas da população dos EUA no final do ano e no final da década, a demografia Ponzi está novamente aparecendo nas manchetes, relatórios econômicos e comentários de investimento em todo o país. A mensagem básica que os defensores da demografia Ponzi querem que os americanos engulam é: o crescimento econômico requer o crescimento da população. Mas, como todos os esquemas de pirâmide, a demografia Ponzi é uma farsa”.

Os EUA tem hoje em dia uma população de 333 milhões de habitantes e as projeções indicam que chegará a 400 milhões de habitantes por volta de 2060. Mas os defensores da demografia Ponzi evitam abordar a questão de por quanto tempo a população dos EUA deve continuar a crescer e qual o impacto de tudo isto sobre o meio ambiente. Acima de tudo, têm pavor ao decrescimento demográfico.

Mas como disse o economista ecológico Kenneth Boulding: “Qualquer um que acredita em crescimento exponencial infinito em um mundo finito ou é louco ou economista”. Também o economista britânico E. F. Schumacher escreveu o livro “Small is Beautiful: A Study of Economics as if People Mattered” onde mostra que a obsessão pelo crescimento e a grandeza nacional pode levar a civilização ao colapso.

Só existe um Planeta e a natureza não depende do ser humano, ao contrário, o ser humano é que depende da natureza. Assim, ao invés de defender a economia e a demografia Ponzi o melhor seria seguir o conselho de David Attenborough: “Em vez de controlar o meio ambiente em benefício da população, talvez devêssemos controlar a população para garantir a sobrevivência do meio ambiente”.

José Eustáquio Diniz Alves
Colunista do EcoDebate.
Doutor em demografia, link do CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/2003298427606382

Referências:

ALVES, J. E. D. Mitos e realidade da dinâmica populacional. In: ENCONTRO NACIONAL DE ESTUDOS POPULACIONAIS, 12, Caxambu, MG, 2000
https://pt.scribd.com/document/493115086/MITOS-E-REALIDADE-DA-DINAMICA-POPULACIONAL

ALVES, J. E. D. População, Bem-Estar e Tecnologia: debate histórico e perspectivas. Multiciência (UNICAMP). v.6, p.1 – 22, 2006.
https://www.fef.unicamp.br/fef/sites/uploads/deafa/qvaf/a_02_6.pdf

ALVES, JED. O antineomalthusianismo populacionista e o pronatalismo coercitivo, Ecodebate, 03/06/2020
https://www.ecodebate.com.br/2020/06/03/o-antineomalthusianismo-populacionista-e-o-pronatalismo-coercitivo-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/

ALVES, JED. Planejando o decrescimento demoeconômico. Ecodebate, RJ, 05/06/2013
http://www.ecodebate.com.br/2013/06/05/planejando-o-decrescimento-demo-economico-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/

ALVES, JED. O déficit ambiental dos Estados Unidos e o superávit ambiental do Canadá, Ecodebate, 09/08/2013
http://www.ecodebate.com.br/2013/08/09/o-deficit-ambiental-dos-estados-unidos-e-o-superavit-ambiental-do-canada-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/

ALVES, JED. “Planeta vazio” ou pronatalismo antropocêntrico e ecocida? Ecodebate, 15/03/2019
https://www.ecodebate.com.br/2019/03/15/planeta-vazio-ou-pronatalismo-antropocentrico-e-ecocida-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/

JOSEPH CHAMIE. Is the US population in decline? More ponzi demography, The Hill, 09/01/21
https://thehill.com/opinion/finance/533411-is-the-us-population-in-decline-more-ponzi-demography

Elizabeth Claire Alberts. Humanity’s ‘ecological Ponzi scheme’ sets up bleak future, scientists warn, Mongabay, 14 January 2021
https://news.mongabay.com/2021/01/humanitys-ecological-ponzi-scheme-sets-up-bleak-future-scientists-warn/

JOÃO ABEGÃO. Human Overpopulation Atlas
https://www.overpopulationatlas.com/

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 10/03/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

Nota: Para receber atualizações pelo grupo de notícias do EcoDebate no WhatsApp, adicione o telefone 21 98682-4779 e, em seguida, envie uma mensagem com o texto ADICIONAR.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top