Aumento no desmatamento causa aumentos sem precedentes nas emissões de carbono

 

Aumento no desmatamento causa aumentos sem precedentes nas emissões de carbono

O desmatamento da floresta no sudeste da Ásia está se acelerando e levando a aumentos sem precedentes nas emissões de carbono.

As descobertas, reveladas por uma equipe de pesquisa que inclui acadêmicos de Leeds, mostram que as florestas estão sendo derrubadas em altitudes cada vez mais altas e em encostas mais íngremes para abrir caminho para a intensificação da agricultura.

Como resultado, mais de 400 milhões de toneladas de carbono são liberadas na atmosfera todos os anos, conforme as florestas são desmatadas na região, com esse número de emissões aumentando nos últimos anos.

O estudo, “Upward expansion and acceleration of forest clearance in the mountains of Southeast Asia”, foi publicado na Nature Sustainability .

Nosso trabalho mostra que o desmatamento agora se mudou para essas regiões montanhosas e se acelerou rapidamente nos últimos 10 anos.

Professor Dominick Spracklen, Escola da Terra e Meio Ambiente

O coautor Professor Dominick Spracklen, da  Escola da Terra e Meio Ambiente , disse: “A maioria das florestas tropicais de planície no sudeste da Ásia já foi desmatada para a agricultura.

“No passado, as florestas montanhosas eram frequentemente poupadas do desmatamento porque encostas íngremes e grandes elevações dificultavam o desmatamento. Nosso trabalho mostra que o desmatamento agora se mudou para essas regiões montanhosas e se acelerou rapidamente nos últimos 10 anos.

“Essas florestas montanhosas são incrivelmente ricas em biodiversidade e são reservas essenciais de carbono, por isso é preocupante ver que a fronteira do desmatamento está agora se movendo para cima nas montanhas do Sudeste Asiático. A perda dessas florestas será um golpe devastador para a natureza e acelerará ainda mais a mudança climática. “

Desmatamento florestal nas montanhas do Vietnã
Desmatamento florestal nas montanhas do Vietnã. Crédito: Dominick Spracklen

O sudeste da Ásia contém cerca de metade de todas as florestas tropicais de montanha, que são ricas em biodiversidade e contêm uma grande quantidade de carbono do planeta.

Os autores descobriram que o desmatamento nas montanhas do Sudeste Asiático se acelerou durante o século 21, respondendo por um terço da perda total de florestas na região. Novas plantações impulsionaram principalmente o desmatamento em altitudes elevadas.

Analisando dados de satélite de alta resolução, os pesquisadores descobriram que a perda florestal média anual na região foi de 3,22 milhões de hectares por ano durante 2001–2019, com 31% ocorrendo nas montanhas.

Na última década, a altitude média de perda de floresta aumentou 150 metros e avançou para encostas mais íngremes que têm alta densidade de carbono florestal em relação às terras baixas.

Essas mudanças levaram a uma perda anual sem precedentes de carbono florestal de 424 milhões de toneladas métricas de carbono por ano, mas a uma taxa acelerada nos últimos anos.

Apoiando a conservação florestal

O coautor, Professor Joseph Holden, da Escola de Geografia de Leeds , disse: “Montanhas florestadas são zonas críticas para a biodiversidade, resiliência climática futura, abastecimento de água e armazenamento de carbono.

“A perda de florestas em altitudes mais elevadas nas regiões montanhosas do sudeste da Ásia nos últimos 20 anos é, portanto, uma grande preocupação, especialmente considerando que essas regiões também são zonas concentradas de espécies sensíveis e onde os estoques de carbono são altos.

“Esta pesquisa mostra o valor dos dados de satélite de alta resolução para detectar mudanças e também destaca que a comunidade internacional precisa continuar a trabalhar duro para apoiar a conservação florestal e a gestão de carbono.”

A pesquisa foi liderada pelo Professor Associado Zhenzhong Zeng da Southern University of Science and Technology (SUSTech) em Shenzhen, China.

Combinando dados de perda florestal com um mapa de carbono de biomassa florestal, eles descobriram que a perda de carbono resultante do desmatamento da floresta ocorreu principalmente nas terras baixas na década de 2000, por exemplo, na Indonésia.

Na década de 2010, no entanto, a perda de carbono da floresta de várzea diminuiu, enquanto a perda de carbono da floresta de montanha em regiões como Mianmar e Laos aumentou significativamente.

Referência:

Feng, Y., Ziegler, A.D., Elsen, P.R. et al. Upward expansion and acceleration of forest clearance in the mountains of Southeast Asia. Nat Sustain (2021). https://doi.org/10.1038/s41893-021-00738-y

 

Henrique Cortez, tradução e edição, a partir de original da University of Leeds.

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 12/07/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top