Aquecimento do clima e a intensificação do uso da terra aumentam o teor de mercúrio nos peixes

 

peixes
Foto: Kimmo Kahilainen

Aquecimento do clima e a intensificação do uso da terra aumentam o teor de mercúrio nos peixes

À medida que o clima e o uso da terra mudam, a concentração de mercúrio nos peixes e nas cadeias alimentares deve ser cada vez mais investigada e monitorada com cuidado

Estudos recentes mostram que, no futuro, a concentração de mercúrio em peixes na Lapônia finlandesa pode se aproximar do nível encontrado em lagos localizados abaixo do Círculo Polar Ártico. Segundo os pesquisadores, o teor de mercúrio deve ser cada vez mais investigado e monitorado com cuidado nas cadeias alimentares e de peixes, conforme o clima e o uso do solo mudam.

O mercúrio é um metal pesado encontrado na natureza. O metilmercúrio, uma forma particularmente tóxica do metal, acumula-se nos peixes e é biomagnificado nas cadeias alimentares. Os humanos são expostos ao metilmercúrio, especialmente por meio de dietas à base de peixes.

Os pesquisadores investigaram os efeitos conjuntos do clima e do uso da terra na Lapônia finlandesa. O uso intenso da terra, um clima mais quente e o aumento da precipitação aumentam a lixiviação de nutrientes e mercúrio ligado ao carbono armazenado no solo para os cursos de água. O uso de combustíveis fósseis também aumentou os níveis de mercúrio no meio ambiente.

“A Lapônia é um importante objeto de pesquisa, pois as temperaturas, a precipitação e os níveis de nutrientes aumentam significativamente quando nos movemos dos lagos quase intocados do norte para os lagos do sul, que são mais eutróficos e sombrios. Ao mesmo tempo, o uso da terra nas áreas de captação está mudando de pastoreio de renas para silvicultura intensiva. Nossa área de pesquisa não possui fontes diretas de emissão de mercúrio. Em vez disso, o mercúrio encontrado na região se origina na deposição atmosférica de longo alcance e lixiviação do solo da área de captação ”, disse o professor de Pesquisa Ambiental Kimmo Kahilainen da Estação Biológica Lammi da Universidade de Helsinque.

Os pesquisadores descobriram que quanto mais quente e escuro o lago, maior a concentração de mercúrio nas algas. Isso também se refletiu nos peixes. O conteúdo de mercúrio em lagos mais quentes e eutróficos era ligeiramente mais alto em comparação com aqueles que viviam em lagos prístinos, enquanto o conteúdo de mercúrio em perca e lúcio cresceu acentuadamente.

“O aquecimento global e o aumento da precipitação, juntamente com a intensificação do uso da terra, aumentam a lixiviação das áreas de captação. No futuro, o conteúdo de mercúrio nos peixes da Lapônia pode, de fato, se aproximar do nível encontrado nos lagos subárticos. À medida que o clima e o uso da terra mudam, a concentração de mercúrio nos peixes e nas cadeias alimentares deve ser cada vez mais investigada e monitorada com cuidado ”, diz Kahilainen.

Referências:

Natalia Kozak, Salla A. Ahonen, Ossi Keva, Kjartan Østbye, Sami J. Taipale, Brian Hayden, Kimmo K. Kahilainen. Environmental and biological factors are joint drivers of mercury biomagnification in subarctic lake food webs along a climate and productivity gradient. Science of The Total Environment, Volume 779, 2021, https://doi.org/10.1016/j.scitotenv.2021.146261

Salla A. Ahonen, Brian Hayden, Jaakko J. Leppänen, Kimmo K. Kahilainen. Climate and productivity affect total mercury concentration and bioaccumulation rate of fish along a spatial gradient of subarctic lakes. Science of The Total Environment, Volumes 637–638, 2018, Pages 1586-1596, https://doi.org/10.1016/j.scitotenv.2018.04.436

 

Henrique Cortez, tradução e edição, a partir de original da University of Helsinki

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 21/06/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top