Microplásticos afetam o ciclo global de nutrientes e os níveis de oxigênio no oceano

 

microplástico
Rio de Janeiro – O biólogo Jonas Leite, doutor em oceanografia, presidente do Instituto Meros do Brasil, mostra microplástico vindo do mar coletado na areia da praia de Botafogo. (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Microplásticos afetam o ciclo global de nutrientes e os níveis de oxigênio no oceano

Os efeitos do aumento constante da quantidade de plástico no oceano são complexos e ainda não totalmente compreendidos.

Cientistas do GEOMAR Helmholtz Center for Ocean Research Kiel mostraram pela primeira vez que a absorção de microplásticos pelo zooplâncton pode ter efeitos significativos no ecossistema marinho, mesmo em baixas concentrações.

O estudo, publicado na revista internacional Nature Communications, indica ainda que as mudanças resultantes podem ser responsáveis por uma perda de oxigênio no oceano além daquela causada pelo aquecimento global.

Helmholtz Association of German Research Centres*

Resíduos de plástico no oceano são um problema amplamente conhecido para grandes mamíferos marinhos, peixes e aves marinhas. Esses animais podem confundir objetos de plástico, como sacolas plásticas, com alimentos de aparência semelhante , como águas-vivas. O zooplâncton minúsculo também pode confundir partículas de plástico muito pequenas com alimentos e ingeri-las acidentalmente ou por acaso (quando as partículas se combinam com partículas orgânicas).

Os efeitos diretos de tal ingestão de microplásticos no zooplâncton são mal compreendidos, mas os efeitos mais amplos sobre os ecossistemas do zooplâncton substituindo alguns de seus alimentos por plástico são muito menos compreendidos. Agora, pela primeira vez, uma equipe de pesquisa usou um modelo do sistema terrestre para simular como o zooplâncton que ingerem microplásticos pode afetar a base da teia alimentar do oceano e o ciclo de nutrientes .

Os resultados, agora publicados na revista internacional Nature Communications , sugerem que mesmo baixas concentrações de microplásticos podem ter um forte impacto nos ecossistemas. “Essa influência já é suficiente para afetar o ciclo global de nutrientes”, diz a Dra. Karin Kvale, principal autora do estudo.

“Essas descobertas são significativas porque há muito ceticismo na comunidade científica de que as concentrações de microplásticos no oceano são altas o suficiente para ter qualquer impacto na ciclagem de nutrientes”, diz a Dra. Karin Kvale “Nosso estudo mostra que mesmo em níveis presentes no oceano hoje, ele já pode ser o caso se o zooplâncton substituir alguns de seus alimentos naturais com microplásticos.

“Se o zooplâncton come os microplásticos e, assim, consume menos comida, isso pode ter efeitos ecológicos de longo alcance que podem, por exemplo, levar ao aumento da proliferação de algas por meio de uma redução na pressão de alimentação que afeta o conteúdo de oxigênio dos oceanos quase tanto quanto as mudanças climáticas, “Kvale continua. Essas descobertas apontam para um novo fator potencial de mudança oceânica induzida pelo homem que não foi considerado antes.

No entanto, Kvale aponta que os resultados são” muito preliminares “porque pouco ainda se sabe sobre como a base do alimento interage com a poluição microplástica. É necessário mais trabalho neste tópico, diz ela, mas o estudo fornece uma forte motivação para expandir a capacidade dos modelos do sistema terrestre de incluir os efeitos da poluição como um novo impulsionador das mudanças oceânicas.

Referência:

K. Kvale et al, Zooplankton grazing of microplastic can accelerate global loss of ocean oxygen, Nature Communications (2021). DOI: 10.1038/s41467-021-22554-w
https://doi.org/10.1038/s41467-021-22554-w

 

Henrique Cortez *, tradutor e editor, a partir de original do Helmholtz Association of German Research Centres

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 26/04/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top