Boicotes num Ambiente Hostil à Natureza, Saúde e à Democracia

 

artigo de opinião

Boicotes num Ambiente Hostil à Natureza, Saúde e à Democracia – Inacreditável Acontecendo, artigo de José Rodrigues Filho

A força do boicote já é estudada nas ciências políticas e sociologia e exemplificada no mundo inteiro. No momento a sociedade brasileira tem que se articular para usá-lo contra as empresas

[EcoDebate] Diante do que vem acontecendo com a destruição do nosso país, a sociedade brasileira tem que pensar no boicote como uma ferramenta de defesa. O inimaginável vem acontecendo nos Estados Unidos nos últimos dias, quando corporações ameaçam boicotar as políticas da extrema direita nos Estados governados pelo Partido Republicano, que tenta implementar legislações visando reduzir a participação dos negros nas próximas eleições. Para o Brennan Center for Justice, da Escola de Direito da Universidade de Nova York, os efeitos destas legislações são os de reduzir o acesso às urnas de eleitores negros.

Para a imprensa americana, os legisladores republicanos estão dando uma resposta às afirmações falsas de Trump de que ele perdeu as eleições por conta de fraudes em áreas que votaram em peso contra ele. Limitar ou dificultar os votos dos negros nestas áreas é inaceitável, razão pela qual em vários Estados como Texas, Georgia e Iowa, corporações como Coca-Coca, Delta Airlines, Microsoft e dezenas de outras estão desconfiadas deste enfoque e dispostas a se unirem às centrais sindicais para boicotes. Mesmo tendo seus interesses, não é comum o registro de corporações se unirem a centrais sindicais em defesa da democracia, pedindo o voto livre.

Infelizmente no Brasil estamos vivenciando o contrário. Temos um governo destruindo a natureza, a vida, a democracia, a ciência, a educação e o sistema de saúde, entre outros, com o apoio da maioria dos empresários e da classe política e tudo acontecendo como se estivéssemos na normalidade. A sociedade não conta com seus representantes e só a cada quatro anos tem o poder de voto. Contudo, temos como enfrentar a qualquer momento todos os que estão ajudando a destruir o país e seu povo.

Temos outra forma muito forte de votar, que é o boicote – voto da carteira. A força do boicote já é estudada nas ciências políticas e sociologia e exemplificada no mundo inteiro. No momento a sociedade brasileira tem que se articular para usá-lo contra as empresas. Muitas delas temem o voto da carteira, quando começam a perceber a queda de suas vendas. Elas podem nos levar à fome, mas nós podemos levá-las a falência.

No momento, quando o negacionismo e a negligência nos leva a 400 mil mortes e mais de três mil mortes por dia nesta Pandemia, salvar vidas deve ser a prioridade número um. Temos um presidente já denunciado no Brasil e por organismos internacionais por crimes contra a humanidade, mas apoiado por nossos empresários e a classe política, que vem engavetando quase cem pedidos de impeachment. À classe política, só poderemos dar uma resposta nas próximas eleições, mas aos empresários e suas empresas já se pode começar boicotes. Os órgãos representantes da sociedade, da natureza e meio ambiente, as igrejas, os sindicatos, centros estudantis, entidades médicas, jurídicas, da imprensa, de professores, representantes dos consumidores e os próprios consumidores devem urgentemente se articularem para o voto da carteira.

Além das mortes humanas, a sociedade brasileira ainda não se deu conta da morte da natureza, de gravidade incalculável para as gerações do presente e futuras. Os campos de conhecimento da filosofia, psicologia, sociologia, ciência política, ecologia e teoria crítica estão oferecendo caminhos para o conceito de natureza, que nos leva a uma mudança do conceito de meio ambiente para natureza. É importante compreender o interesse atual e mudança do conceito de natureza como sendo estático e um recurso disponível – meio ambiente – para Natureza viva, tendo valor, significado e agência. Assim sendo, a natureza é uma realidade e um construto mental, sendo a cultura industrial de nossos tempos explorá-la e destruí-la.

O enfoque do agronegócio no Brasil não se diferencia daquele da antiga Mesopotâmia, há mais de mil anos atrás, que trouxe avanços na agricultura às custas de desmatamentos e a desertificação ambiental da região. Hoje, o que foi áreas férteis e de florestas da Mesopotâmia não passam de desertos estéreis. Argumenta-se que os atuais conflitos na região tiveram sua origem na desertificação ambiental e nas subsequentes batalhas por água. No atual governo, apoiado pelo agronegócio, deu para perceber a sede deste setor na devastação de nossas florestas e na contaminação humana através do aumento acelerado do uso de agrotóxicos. Assim sendo, torna-se necessário cada vez mais uma reflexão das atividades do agronegócio no Brasil e das cadeias de suprimentos dele originadas.

Por fim, não se pode esquecer e conclamar a participação da minoria de empresários brasileiros que se opõem à catástrofe que estamos vivenciando. De forma articulada e planejada temos que defender a nossa democracia, a vida e a natureza com as armas de que dispomos. O boicote – voto da carteira – é uma delas e precisamos usá-lo urgentemente.

*Jose Rodrigues Filho é professor da Universidade Federal da Paraíba. Foi pesquisador nas Universidades de Johns Hopkins e Harvard. Recentemente foi professor visitante na McMaster University, Canadá.
https://jrodriguesfilho.blogspot.com/

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 19/04/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Um comentário em “Boicotes num Ambiente Hostil à Natureza, Saúde e à Democracia

  1. Parabéns pelo site. Os artigos de vocês tem me ajudado muito como profissional. Atendo aqui em Planaltina Goiás e gosto de ler sobre tudo da minha atividade.

Comentários encerrados.

Top