A concentração de CO2 é a mais alta em milhões de anos

 

A concentração de CO2 é a mais alta em milhões de anos, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

“Eu juro, é pior do que você pensa”
David Wallace-Wells no livro “A Terra inabitável”

[EcoDebate]

A concentração de CO2 na atmosfera está chegando ao nível equivalente ao que existia há 15 milhões de anos e continua crescendo de maneira sem precedentes, a despeito da covid-19 e da recessão econômica ocorrida em 2020.

A desaceleração industrial devido à pandemia não reduziu os níveis recordes de gases de efeito estufa que estão prendendo o calor na atmosfera, aumentando as temperaturas, elevando o clima aos extremos, derretimento do gelo, aumento do nível do mar e acidificação dos oceanos, de acordo com a NOAA (Administração Nacional Oceânica e Atmosférica dos EUA).

O aumento em 2020 foi de 2,31 partes por milhão (ppm), atingindo o valor de 414,24 ppm em 2020, ou seja, em cada um milhão de moléculas de ar no planeta, havia 414,24 do principal gás de efeito estufa. O nível minimamente seguro, para evitar um colapso climático de grandes proporções, é de 350 ppm.

taxa média anual de crescimento de co2 na atmosfera

Nos 800 mil anos antes da revolução industrial, a concentração de CO2 na atmosfera ficou abaixo de 280 ppm. As medições com base no estudo do gelo, mostram que em 1860 a concentração atingiu 290 ppm. Em 1900 estava em 295 ppm. Chegou a 300 ppm em 1920 e atingiu 310 ppm em 1950. A partir do início do Antropoceno (1950), o efeito estufa se acelerou. Em 1958, Charles Keeling, instalou no alto do vulcão Mauna Loa o primeiro equipamento para medir as concentrações de CO2 na atmosfera. Isto possibilitou que a partir de uma série histórica de dados houvesse a possibilidade de acompanhar a poluição recente. A série de Keeling mostra que a concentração de CO2 na atmosfera, na média mensal, chegou a 399,76 partes por milhão (ppm) em maio de 2013 e só ultrapassou a barreira de 400 ppm no ano seguinte. E continua crescendo.

A previsão de aumento do dióxido de carbono para 2021 da NOAA (Mauna Loa) é de 2,29 (mais ou menos 0,55) ppm, o que implica uma concentração de 419,3 (+ ou – 0,6) ppm, o que significa que o CO2 atmosférico atingirá níveis 50% maiores do que as concentrações pré-industriais em 2021, conforme o gráfico abaixo. Desta forma, o dióxido de carbono continuará a se acumular na atmosfera em 2021 devido às emissões contínuas da queima de combustível fóssil, mudança no uso da terra e produção de cimento. Prevê-se que o aumento anual deste ano seja menor do que nos anos mais recentes, devido a um fortalecimento temporário do sumidouro de carbono da terra associado às atuais condições do La Niña.

concentração de co2 na atmosfera

Artigo de Ayesha Tandon, no Carbon Brief (08/03/2021), mostra que os “sistemas alimentares” foram responsáveis  por 34% de todas as emissões de gases de efeito estufa causadas pelo ser humano em 2015, de acordo com uma nova pesquisa. O estudo, publicado na revista Nature Food, desenvolve o primeiro banco de dados a decompor as emissões de cada etapa da cadeia alimentar para todos os anos de 1990 a 2015. O banco de dados também descompacta as emissões por setor, gás de efeito estufa e país. De acordo com o estudo, 71% das emissões de alimentos em 2015 vieram da agricultura e “uso do solo associado e atividades de mudança no uso do solo”. O restante foi proveniente de varejo, transporte, consumo, produção de combustível, gestão de resíduos, processos industriais e embalagem. O estudo constata que o CO2 é responsável por cerca de metade das emissões relacionadas com alimentos, enquanto o metano (CH4) representa 35% – principalmente da produção animal, agricultura e tratamento de resíduos. As emissões do setor de varejo estão aumentando, conclui o estudo, e aumentaram 3 a 4 vezes na Europa e nos EUA entre 1990 e 2015.

O documento “World Scientists’ Warning of a Climate Emergency” (BioScience, 05/11/2019) afirma que: “O crescimento econômico e populacional está entre os mais importantes fatores do aumento das emissões de CO2 em decorrência da combustão de combustíveis fósseis”. Em consequência, diz o seguinte sobre a questão demográfica: “Ainda crescendo em torno de 80 milhões pessoas por ano, ou mais de 200.000 por dia, a população mundial precisa ser estabilizada – e, idealmente, reduzida gradualmente – dentro de uma estrutura que garante a integridade social” (Bongaarts e O’Neill 2018)”.

Portanto, o mundo está percorrendo uma rota perigosa. O aumento da concentração de CO2 na atmosfera contribuiu para o fato de termos 7 anos seguidos (2014 a 2020) de recordes de temperatura. O efeito estufa trará custos enormes e as sociedades podem não estar preparadas para pagar o alto preço de limpar no futuro a sujeira feita no passado e no presente. O mais grave é que nem as metas modestas do Acordo de Paris, de dezembro de 2015, estão sendo respeitadas.

As emissões de gases de efeito estufa (GEE) deveriam estar diminuindo, mas, ao contrário, o mundo continua emitindo grande quantidade de GEE. Assim, o mundo pode caminhar para uma situação de “Terra Estufa” e várias partes do Planeta podem ficar inabitáveis.

José Eustáquio Diniz Alves
Colunista do EcoDebate.
Doutor em demografia, link do CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/2003298427606382

 

Referências:

ALVES, JED. Cientistas alertam para a emergência climática e o crescimento populacional, Ecodebate, 15/11/2019
https://www.ecodebate.com.br/2019/11/15/cientistas-alertam-para-a-emergencia-climatica-e-o-crescimento-populacional-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/

ALVES, JED. A vida na Terra tem duas ameaças vitais: mudanças climáticas e ecocídio, Ecodebate, 19/06/2019
https://www.ecodebate.com.br/2019/06/19/a-vida-na-terra-tem-duas-ameacas-vitais-mudancas-climaticas-e-ecocidio-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/

ALVES, JED. A dinâmica demográfica global em uma “Terra inabitável”, Revista Latinoamericana de Población, Vol. 14 Núm. 26, dezembro de 2019
https://revistarelap.org/index.php/relap/article/view/239

AHMED, Nafeez. New Report Suggests ‘High Likelihood of Human Civilization Coming to an End’ Starting in 2050, Motherboard. Jun 3 2019
https://www.vice.com/en_us/article/597kpd/new-report-suggests-high-likelihood-of-human-civilization-coming-to-an-end-in-2050

AYESHA TANDON. “Food systems” were responsible for 34% of all human-caused greenhouse gas emissions in 2015, according to new research, Carbon Brief, 08/03/2021
https://www.carbonbrief.org/food-systems-responsible-for-one-third-of-human-caused-emissions

STEFFEN, W. et al. Planetary boundaries: Guiding human development on a changing planet, V. 347, I. 6223, Science, 13/02/2015
https://science.sciencemag.org/content/347/6223/1259855

BONGAARTS J, O’NEILL BC. Global warming policy: Is population left out in the cold? Science 361: 650–652,17/08/2019
http://demographic-challenge.com/files/downloads/dba87c53530fb9f6776c29cff5820115/science-361.pdf

WILLIAM J R, et. al. World Scientists’ Warning of a Climate Emergency, BioScience, 05/11/19
https://academic.oup.com/bioscience/advance-article/doi/10.1093/biosci/biz088/5610806

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 17/03/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

Nota: Para receber atualizações pelo grupo de notícias do EcoDebate no WhatsApp, adicione o telefone 21 98682-4779 e, em seguida, envie uma mensagem com o texto ADICIONAR.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Um comentário em “A concentração de CO2 é a mais alta em milhões de anos

  1. ”E isso aí, José Eustáquio.
    Como combater esse aumento de CO2?
    De duas maneiras: diminuindo a emissão e aumentando a recuperação de oxigênio.
    A primeira parte estamos gradualmente fazendo como aumento dos combustíveis alternativos à gasolina e ao diesel.
    A segunda parte cabe a cada um de nós: plantar mais árvores.

Comentários encerrados.

Top