Mudança climática nos Alpes impacta a retenção de carbono e a produtividade das plantas

 

degelo nos alpes
Degelo nos Alpes. Foto: The University of Manchester

Mudança climática nos Alpes impacta a retenção de carbono e a produtividade das plantas

O derretimento da neve da primavera nos Alpes está ocorrendo no início do ano devido às mudanças climáticas e, como resultado, desencadeia desvios abruptos nos ecossistemas montanhosos.

Essas mudanças podem afetar negativamente o funcionamento desses valiosos ecossistemas.

The University of Manchester*

Uma nova pesquisa demonstrou que comunidades microbianas de vital importância nos solos alpinos estão sob ameaça como resultado direto do aumento da temperatura global causado pela mudança climática em curso. Esses micróbios subterrâneos sustentam criticamente a vida acima do solo porque reciclam os nutrientes essenciais dos quais todos os animais e plantas dependem, incluindo os humanos. Eles também controlam quanto carbono é armazenado com segurança no solo, onde não pode causar mais aquecimento global.

No inverno, os micróbios do solo alpino dependem da neve para atuar como um cobertor isolante, permitindo-lhes continuar a trabalhar durante o inverno frio dos Alpes. No entanto, estima-se que a neve acumulada no inverno alpino anual começará a derreter mais de 100 dias antes do que atualmente no final deste século. Cientistas da Universidade de Manchester demonstram como isso afetará os micróbios do solo e as funções críticas que desempenham, usando experimentos de campo e publicando suas descobertas no ISME Journal .

Para os cientistas, entender como os micróbios do solo respondem às mudanças climáticas e como isso influencia os ciclos biogeoquímicos continua sendo um grande desafio. Isso é especialmente pertinente nas regiões alpinas, onde as mudanças climáticas estão ocorrendo ao dobro da média global.

O Dr. Arthur Broadbent, da Universidade de Manchester, é o principal autor do novo artigo de pesquisa, ele disse: “Nosso artigo revela impactos alarmantes da mudança climática nas comunidades microbianas do solo e nos ciclos biogeoquímicos que regulam nos ecossistemas montanhosos . Com o experimento nos Alpes austríacos, descobrimos que o derretimento da neve na primavera desencadeia uma transição sazonal abrupta nas comunidades microbianas do solo, que está intimamente ligada a mudanças rápidas no ciclo do carbono e do nitrogênio. ”

“Prevê-se que o degelo ocorrerá 50-130 dias antes nas regiões alpinas devido à mudança climática no final do século. Usando manipulações experimentais, demonstramos que o degelo anterior, de apenas 10 dias, leva a uma transição sazonal anterior nas comunidades microbianas e ciclagem biogeoquímica.

Como consequência, o funcionamento do ecossistema de inverno será reduzido em ecossistemas cobertos de neve sazonalmente sob mudanças climáticas futuras , que ameaçam a retenção de carbono e a produtividade das plantas. Isso afetaria negativamente a produção agrícola e perturbaria os ecossistemas naturais. Também alterará os fluxos anuais de carbono nesses ecossistemas com o potencial de causar ainda mais aquecimento do clima .

Referência:

Broadbent, A.A.D., Snell, H.S.K., Michas, A. et al. Climate change alters temporal dynamics of alpine soil microbial functioning and biogeochemical cycling via earlier snowmelt. ISME J (2021). https://doi.org/10.1038/s41396-021-00922-0

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 02/03/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

Nota: Para receber atualizações pelo grupo de notícias do EcoDebate no WhatsApp, adicione o telefone 21 98682-4779 e, em seguida, envie uma mensagem com o texto ADICIONAR.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top