Mudanças climáticas podem dobrar o número de pessoas que sofrem com secas extremas

 

seca

Mudanças climáticas podem dobrar o número de pessoas que sofrem com secas extremas

A Michigan State University está liderando um esforço de pesquisa global para oferecer a primeira visão mundial de como a mudança climática pode afetar a disponibilidade de água e a severidade da seca nas próximas décadas.

Por Kim Ward*, Michigan State University

No final do século 21, a área global de terras e a população que enfrenta secas extremas poderiam mais do que dobrar – aumentando de 3% durante 1976-2005 para 7% -8%, de acordo com Yadu Pokhrel , professor associado de engenharia civil e ambiental do MSU’s College of Engineering, e principal autor da pesquisa publicada na Nature Climate Change .

“Mais e mais pessoas sofrerão com secas extremas se um nível médio a alto de aquecimento global continuar e a gestão da água for mantida em seu estado atual”, disse Pokhrel. “As áreas do hemisfério sul, onde a escassez de água já é um problema, serão afetadas de forma desproporcional. Prevemos que este aumento na escassez de água afetará a segurança alimentar e aumentará a migração humana e os conflitos. ”

A equipe de pesquisa, incluindo o pesquisador de pós-doutorado da MSU Farshid Felfelani, e mais de 20 autores contribuintes da Europa, China e Japão, estão projetando uma grande redução no armazenamento natural de água terrestre em dois terços do mundo, também causada pelas mudanças climáticas.

O armazenamento de água em terra, tecnicamente conhecido como armazenamento de água terrestre, ou TWS, é o acúmulo de água na neve e no gelo, rios, lagos e reservatórios, pântanos, solo e água subterrânea – todos componentes críticos do abastecimento mundial de água e energia. O TWS modula o fluxo de água dentro do ciclo hidrológico e determina a disponibilidade de água, bem como a seca.

“Nossas descobertas são uma preocupação”, disse Pokhrel. “Até o momento, nenhum estudo examinou como as mudanças climáticas impactariam o armazenamento de água terrestre globalmente. Nosso estudo apresenta o primeiro quadro abrangente de como o aquecimento global e as mudanças socioeconômicas afetarão o armazenamento de água no solo e o que isso significará para as secas até o final do século. ”

Felfelani disse que o estudo deu à equipe internacional uma importante oportunidade de previsão.

“Avanços recentes na modelagem hidrológica baseada em processos, combinados com projeções futuras de modelos climáticos globais em cenários abrangentes de mudanças socioeconômicas, forneceram uma base única para uma análise abrangente da disponibilidade de água e secas futuras”, disse Felfelani. “Temos grande confiança em nossos resultados porque usamos dezenas de modelos e eles concordam com as mudanças projetadas.”

A pesquisa é baseada em um conjunto de 27 simulações de modelos hidrológicos e climáticos globais abrangendo 125 anos e foi conduzida em um projeto de modelagem global denominado Projeto Intercomparação Modelo de Impacto Intersetorial. Pokhrel é um membro ativo do projeto.

“Nossas descobertas destacam por que precisamos da mitigação das mudanças climáticas para evitar os impactos adversos no abastecimento de água global e o aumento das secas que conhecemos agora”, disse Pokhrel. “Precisamos nos comprometer com uma melhor gestão e adaptação dos recursos hídricos para evitar consequências socioeconômicas potencialmente catastróficas da escassez de água em todo o mundo.”

Referência:

Pokhrel, Y., Felfelani, F., Satoh, Y. et al. Global terrestrial water storage and drought severity under climate change. Nat. Clim. Chang. (2021). https://doi.org/10.1038/s41558-020-00972-w

 

* Tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 12/01/2021

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

Nota: Para receber atualizações pelo grupo de notícias do EcoDebate no WhatsApp, adicione o telefone 21 98682-4779 e, em seguida, envie uma mensagem com o texto ADICIONAR.

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top