Importância da biodiversidade do solo para produção alimentar

 

Importância da biodiversidade do solo para produção alimentar

Relatório aponta que degradação do solo afeta pelo menos 3,2 bilhões de pessoas ou 40% da população mundial; FAO diz que manejo sustentável do solo é vital para se alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, ODS.

ONU News

Importância

Tecnologias podem ajudar a utilizar os solos de forma mais sustentável, FAO/Tanzania
Tecnologias podem ajudar a utilizar os solos de forma mais sustentável, FAO/Tanzania

Um novo relatório da agência mostra que os organismos do solo desempenham um papel crucial na produção de alimentos, preservação da saúde humana, recuperação de locais poluídos e combate à mudança climática. Mas a contribuição do solo continua subestimada,

Em comunicado, a vice-diretora-geral da FAO, Maria Helena Semedo, disse que “a biodiversidade do solo e o manejo sustentável são pré-requisitos para o cumprimento de muitos dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável.”

Os solos são um dos principais reservatórios globais de biodiversidade.

Eles hospedam mais de 25% da diversidade biológica mundial. Além disso, mais de 40% dos organismos vivos em ecossistemas terrestres estão associados aos solos durante seu ciclo de vida.

Segurança alimentar

O papel dessa biodiversidade é fundamental para a agricultura e a segurança alimentar.

Os microrganismos que vivem nos solos, por exemplo, transformam compostos liberando nutrientes para alimentar as plantas. Essas transformações também são vitais para a filtração, degradação e imobilização de contaminantes.

A diversidade contribui também para melhorar o controle, prevenção ou supressão de pragas e patógenos.

Ameaças

Plantio de Acácias pode ajudar a recuperar solos degradados, Pnud Chad/Jean Damascene Hakuzim
Plantio de Acácias pode ajudar a recuperar solos degradados, Pnud Chad/Jean Damascene Hakuzim

Todas essas funções ​​podem ser ameaçadas por atividades humanas, mudanças climáticas e desastres naturais.

O uso excessivo e impróprio de agroquímicos é um dos principais fatores. Outros exemplos incluem desmatamento, urbanização, intensificação agrícola, perda de matéria orgânica, impermeabilidade da superfície, acidificação do solo, poluição, salinização, incêndios florestais, erosão e deslizamentos de terra.

Soluções baseadas na natureza podem ter um papel significativo para mitigar a mudança climática.

Os microrganismos que vivem no solo desempenham um papel fundamental no sequestro de carbono e na redução das emissões de gases de efeito estufa. Parte das emissões podem ser absorvidas pelas plantas e armazenada no solo através de decomposição microbiana, o que permite a retenção do carbono por longos períodos de tempo.

Esta biodiversidade também apoia a saúde humana, direta e indiretamente, através da regulação de doenças e da produção de alimentos.

Pragas

Degradação dos solos tem impato em migrações e insegurança alimentar, PMA/James Belgrave
Degradação dos solos tem impato em migrações e insegurança alimentar, PMA/James Belgrave

Diversas bactérias e fungos são usados ​​na produção de molho de soja, queijo, vinho e outros alimentos e bebidas fermentados. A relação entre as raízes das plantas e a biodiversidade do solo permite que as plantas gerem produtos químicos, como antioxidantes, que as protegem de pragas e outras ameaças.

Quando as pessoas consomem essas plantas, elas se beneficiam desses antioxidantes, estimulando seu sistema imunológico e contribuindo para a regulação hormonal.

Esses microrganismos também podem ajudar a prevenir doenças inflamatórias crônicas, incluindo alergia, asma, doenças autoimunes, inflamatórias intestinais e depressão.

Além disso, desde o início dos anos 1900, muitos medicamentos e vacinas foram derivados de organismos do solo, como é o exemplo de antibióticos bem conhecidos como a penicilina.

Segundo a FAO, com o aumento de doenças causadas por microrganismos resistentes, este recurso tem um enorme potencial para fornecer novos medicamentos para combatê-los.

Futuro

Projeto em Cuba, apoiado pela ONU, de recuperação de solos, Pnud
Projeto em Cuba, apoiado pela ONU, de recuperação de solos, Pnud

De acordo com o relatório, a adoção de práticas sustentáveis ​​ pelos agricultores continua sendo baixa devido à falta de suporte técnico e incentivos.

A publicação também destaca a necessidade de promover tecnologias inovadoras, como novas técnicas moleculares que permitem uma melhor compreensão dos organismos do solo.

Neste Dia Mundial, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, Pnuma, também destacou a importância deste recurso para a vida humana.

Impacto

Em comunicado, o especialista em solo da agência, Abdelkader Bensada, disse que os humanos “dependem e continuaram a depender dos serviços ecossistêmicos fornecidos pelos solos.”

Segundo o Pnuma, a poluição do solo tem um impacto adverso na segurança alimentar de duas maneiras. Primeiro, reduzindo o rendimento das safras devido aos níveis tóxicos dos contaminantes. Segundo, porque as safras de solos poluídos não são seguras para consumo por animais e humanos.

A poluição também pode fazer com que a qualidade do solo diminua com o tempo. Atualmente, a degradação da terra e do solo está afetando pelo menos 3,2 bilhões de pessoas, cerca de 40% da população mundial.

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 08/12/2020

Nota: Para receber atualizações pelo grupo de notícias do EcoDebate no WhatsApp, adicione o telefone 21 98682-4779 e, em seguida, envie uma mensagem com o texto ADICIONAR.

 

CONTEÚDO SUGERIDO / PUBLICIDADE



 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top