Teorias da conspiração sobre as origens do COVID-19 superam a influência da ciência

 

Covid19

Teorias da conspiração sobre as origens do COVID-19 superam a influência da ciência

Georgia State University*

A exposição a teorias da conspiração, sugerindo que COVID-19 foi criado por humanos, pode ter um poderoso impacto nas crenças de uma pessoa, superando a influência de mensagens baseadas na ciência e reduzindo sua vontade de agir para reduzir a propagação da doença, de acordo com uma nova pesquisa na Georgia State University.

Uma única exposição à retórica da conspiração sobre a origem do COVID-19, sozinho ou em competição com a explicação científica natural ou “zoonótica”, resulta em um “efeito de conspiração” em que os indivíduos se tornam menos propensos a ver ações como usar máscaras faciais, lavagem frequente das mãos e distanciamento social conforme necessário para mitigar a propagação do vírus.

Os pesquisadores Toby Bolsen , Risa Palm e Justin Kingsland entrevistaram aleatoriamente 1.074 entrevistados durante um período de cinco dias, do final de abril ao início de maio. Esses assuntos foram expostos a um artigo formatado para imitar uma notícia sobre a origem do COVID-19, cada um variando em título e conteúdo. Trinta e três por cento identificados como republicanos, 40 por cento como democratas e 27 por cento como independentes.

Pessoas que leram apenas o artigo de base científica, quando questionadas posteriormente, tinham mais probabilidade de acreditar que o vírus se originou naturalmente de transmissão zoonótica (morcego). Eles também expressaram mais apoio para financiamento adicional de pesquisa biomédica para identificar coronavírus prejudiciais. Aqueles que leram o artigo sugerindo que o COVID-19 foi criado em um laboratório pelo governo chinês, assim como aqueles que leram as duas versões, estavam mais dispostos a penalizar a China. Suas intenções de praticar as medidas de saúde e segurança públicas necessárias também foram reduzidas.

“A retórica da conspiração pode ter um impacto profundo e sobrepujar as informações científicas”, disse Palm. “No ambiente atual da mídia, onde os indivíduos podem ser repetidamente expostos a mensagens de conspiração, nossas descobertas podem realmente subestimar os efeitos dessa exposição.”

“É importante levar em conta como a exposição repetida a teorias da conspiração pode influenciar crenças relacionadas em ambientes que imitam com mais precisão o ambiente de informação do mundo real”, disse Bolsen. “Isso seria uma oportunidade de avaliar a persistência dos efeitos das mensagens científicas e conspiratórias sobre o público.”

A epidemia de desinformação que acompanha a propagação do COVID-19 corroeu a confiança na ciência e enganou os indivíduos sobre as precauções mais eficazes que podem tomar para reprimir o vírus e garantir a segurança, concluem os autores.

“É urgente que, conforme buscamos controlar a propagação deste e de futuros vírus, encontremos maneiras de combater a retórica de conspiração enganosa e prejudicial”, disse Palm.

Referência:

Framing the Origins of COVID-19
Toby Bolsen, Risa Palm, Justin T. Kingsland
Science Communication – Volume: 42 issue: 5, page(s): 562-585
Article first published online: September 10, 2020; Issue published: October 1, 2020
https://doi.org/10.1177/1075547020953603

 

* Tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate.

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 03/11/2020

 

CONTEÚDO SUGERIDO / PUBLICIDADE



 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top