Agropecuária não é o suficiente para fazer o Brasil se desenvolver, aponta pesquisa

 

pecuária

Agropecuária não é o suficiente para fazer o Brasil se desenvolver, aponta pesquisa

Agropecuária – Investimentos em inovação e valorização da ciência e tecnologia podem tirar o Brasil da dependência de mercados internacionais

Por Rafael Revadam

Um país pautado pela agropecuária não deve se tornar rico e desenvolvido. Essa é a principal conclusão do novo estudo da Análise Econômica Consultoria (www.analiseeconomica.com.br), considerando a falta de precedente de nações que se desenvolveram produzindo commodities.

Apesar dos esforços brasileiros em pesquisa e desenvolvimento, tanto pública quanto privada, além do aumento da tecnologia no campo, as atividades ligadas às commodities não são suficientemente complexas para fazer o Brasil da posição de dependência. Segundo o estudo, é preciso direcionar esforços para novas atividades, novos segmentos, novos setores – especialmente para atividades altamente tecnológicas. Assim, teremos menos atividades que sofrem com influências externas e uma economia mais resiliente, com ocupações de maior remuneração e, por conseguinte, uma nação mais rica e desenvolvida.

“Os impactos das inovações na economia são muito claros: aumentam a inserção no mercado internacional, elevam o nível de renda no país ao criar postos de trabalho ultra especializados, além de taxas de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) mais altas e estáveis. Quando um país não investe adequadamente em inovações, o resultado é a maior dependência de tecnologias vindas do exterior, escoando nossa riqueza para outras nações”, explica André Galhardo, economista-chefe da Análise Econômica Consultoria.

Para Galhardo, um dos caminhos do país é olhar para o desenvolvimento de ciência. “Hoje, o Brasil investe cerca de 2,3% do PIB em Ciência e Tecnologia, o que é levemente abaixo do patamar de países como os que participam da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE). Mas a maior diferença reside no montante investido em pesquisa e desenvolvimento pela iniciativa privada. Enquanto a média da OCDE é de 1,3% do PIB, na Coreia é de 2,6% e na China é de 1,2%, no Brasil esse percentual não supera os 0,6%”, conclui.

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 29/09/2020

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Um comentário em “Agropecuária não é o suficiente para fazer o Brasil se desenvolver, aponta pesquisa

  1. Parece que O ECO está se tornando 100% esquerdista através dos seus colaboradores. No assunto escrito por Galhardo, ( que ninguém sabe quem é), faz afirmações incoerentes. Evidentemente que o mundo sabe e o Brasil também, Agropecuária não é o suficiente para fazer o Brasil se desenvolver.
    Grande descoberta deste cientista diaraque. Alguém tem que dizer para ele que a agropecuária brasileira, uma das mais tecnificadas do mundo é um processo evolutivo de um País em desenvolvimento. Este Senhor acredita que desenvolvimento é indústria poluidora. Em algum momento deste mundo contemporâneo, vamos assistir que a produção de alimentos será mais valiosa que a indústria do ferro/aço.

    gropecuária não é o suficiente para fazer o Brasil se desenvolver,

Comentários encerrados.

Top