Dia da Sobrecarga da Terra (22/08/2020) e o impacto da Covid-19

Dia da Sobrecarga da Terra (22/08/2020) e o impacto da Covid-19

Todos os nossos problemas ambientais se tornam mais fáceis de resolver com menos gente e mais difíceis e, em última instância, impossíveis de resolver com cada vez mais pessoas”.

David Attenborough (1926 – )

Artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] O Dia da Sobrecarga da Terra (Earth Overshoot Day), neste ano de pandemia, acontece em 22 de agosto de 2020. Este dia marca o momento em que o sistema de produção e consumo absorveu todos os insumos naturais renováveis oferecidos pelo planeta previstos para os 12 meses do ano. É o dia em que a civilização global sai do verde do superávit ambiental para entrar no vermelho do déficit ambiental.

A despeito de pequenas oscilações, entre 1970 e 2019, há uma clara tendência do Dia da Sobrecarga acontecer cada vez mais cedo. Ano passado, o limiar entre o superávit e o déficit ocorreu no dia 29 de julho. Mas em 2020, por conta do surto pandêmico da Covid-19, houve uma paralisação geral da economia global e o Dia da Sobrecarga vai ocorrer mais tarde, em 22 de agosto.

Earth Overshoot Day

Segundo o site da Global Footprint Network, a Covid-19 provocou uma redução da Pegada Ecológica mundial, demonstrando que é possível, num curto espaço de tempo, alterar os padrões de consumo por recursos dos ecossistemas. Houve redução de 9,3% da Pegada Ecológica global em decorrência, principalmente, da diminuição da extração de madeira e das emissões de CO2 resultantes da combustão de combustíveis fósseis. No entanto, a verdadeira sustentabilidade, a que possibilita que todos prosperem na Terra, apenas poderá ser alcançada através da planificação e não da catástrofe. Ou seja, como se diz no movimento decrescentista: “Sua recessão não é o meu decrescimento”.

A humanidade utiliza atualmente mais 60% do que aquilo que pode ser renovado – o equivalente aos recursos de 1,6 planetas. Desde o Dia da Sobrecarga da Terra até ao final do ano, a humanidade aumentará o déficit ecológico, que tem crescido de forma constante desde que se registou um déficit ecológico mundial no início da década de 1970, de acordo com as Contas Nacionais de Pegada e Biocapacidade (NFA) baseadas em conjuntos de dados da ONU (com 15.000 pontos de dados por país e por ano). Uma vez que os dados da ONU apenas se estendem até 2016, os resultados globais para 2020 foram avaliados utilizando dados complementares.

Segundo o comunicado à imprensa da Global Footprint Network, “a redução súbita da Pegada Ecológica está longe de ser a mudança intencional necessária para alcançar tanto o equilíbrio ecológico como o bem-estar das pessoas, duas componentes indissociáveis da sustentabilidade. A humanidade tem estado unida pela experiência comum da pandemia e demonstrou como as nossas vidas estão interligadas. Ao mesmo tempo, não podemos ignorar a profunda desigualdade das nossas experiências nem as tensões sociais, econômicas e políticas que foram exacerbadas por esta catástrofe global”.

Ao invés do pandemônio atual, a humanidade precisaria planejar um decrescimento demoeconômico para colocar as atividades antrópicas em equilíbrio homeostático com a biocapacidade do Planeta, única forma de se evitar um colapso ambiental e civilizacional, como explicou, em entrevista recente, Herman Daly (2018), ao defender o Estado Estacionário. Da mesma forma, o livro “Enough is Enough: Ideas for a sustainable economy in a world of finite resources” diz: “Precisamos pegadas menores, mas também precisamos de menos pés” (2010).

O ser humano nasceu em um Planeta rico em meios de sobrevivência e generoso ao compartilhar, gratuitamente, toda a biodiversidade natural para o desfrute dos seres vivos existentes. A Terra tinha poucas pessoas e muita água, muita terra, muitas árvores, enfim, uma exuberante flora e fauna. Mas a espécie humana utilizou a sua inteligência (instrumental) para desenvolver uma cultura egoísta e para se diferenciar do mundo natural. A civilização adotou um modelo de produção e consumo que degrada a integridade dos ecossistemas. A humanidade cresceu e se enriqueceu às custas do encolhimento e do empobrecimento da vida natural.

A população mundial, provavelmente, vai aumentar cerca de 2 bilhões de pessoas até 2050, segundo as últimas projeções da ONU. As agências econômicas calculam que o PIB mundial vai mais que dobrar nos próximos 30 anos. Mas a economia é um subsistema da ecologia e o Planeta está chegando ao limite da sua capacidade de resiliência. Sem ECOlogia não há ECOnomia.

Mais cedo ou mais tarde o sobrepeso das atividades antrópicas, se não for revertido, provocará um colapso ambiental. Então, será impossível continuar antecipando o Dia da Sobrecarga da Terra. É possível retirar lições poderosas da experiência coletiva da pandemia e principalmente perceber que a comunidade internacional torna-se mais forte quando age em conjunto e de forma determinada.

José Eustáquio Diniz Alves
Colunista do EcoDebate.
Doutor em demografia, link do CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/2003298427606382

Referências:

HERMAN DALY. Ecologies of Scale, Interview by Benjamin Kunkel. New Left Review 109, January-February 2018

https://newleftreview.org/II/109/herman-daly-benjamin-kunkel-ecologies-of-scale

O’Neill, D.W., Dietz, R., Jones, N. (Editors), Enough is Enough: Ideas for a sustainable economy in a world of finite resources. The report of the Steady State Economy Conference. Center for the Advancement of the Steady State Economy and Economic Justice for All, UK, 2010. http://steadystate.org/wp-content/uploads/EnoughIsEnough_FullReport.pdf

Global Footprint Network. O Dia da Sobrecarga da Terra, 2020

https://www.overshootday.org/newsroom/press-release-june-2020-portuguese/

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 21/08/2020

 

Para pesquisar mais sobre este tema ou outros, use a ferramenta de pesquisa

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Um comentário em “Dia da Sobrecarga da Terra (22/08/2020) e o impacto da Covid-19

  1. É importante que a redução da pegada ecológica ocorra em função da redução do número de seres humanos na Terra, consequência de um controle da natalidade.
    Valdeci.

Comentários encerrados.

Top