Os 12 países com mais pessoas infectadas pelo coronavírus

Os 12 países com mais pessoas infectadas pelo coronavírus

O novo coronavírus aproveitou a falta de prevenção dos países e se espalhou para os quatro cantos do mundo

Artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] Assim como sempre acontece, 2020 começou com muitas festas e desejos de feliz ano novo. Ninguém imaginaria o que viria pela frente. Só em meados de janeiro foram identificados os primeiros casos da covid-19 na China. No mês de janeiro até meados de fevereiro, a doença ficou, praticamente, restrita à Ásia e os países do hemisfério ocidental não deram a devida atenção aos perigos que vinha do leste. A Organização Mundial da Saúde (ODS) só disse que se tratava de uma pandemia no dia 11 de março de 2020.

O novo coronavírus aproveitou a falta de prevenção dos países e se espalhou para os quatro cantos do mundo. Depois da Ásia, o Sars-CoV-2 foi com força para a Europa e depois foi com mais força ainda para as Américas. No dia 30 de julho, globalmente, já havia mais de 17,5 milhões de pessoas infectadas e mais de 675 mil vidas perdidas.

Os 12 países com maior número de casos são EUA (331 milhões de habitantes) com mais de 4,5 milhões de casos, o Brasil (212 milhões hab.) com mais de 2,5 milhões de casos, Índia (1,38 bilhão de hab.) com 1,6 milhão de casos, Rússia (146 milhões hab.) com mais de 800 mil casos, África do Sul (59 milhões de habitantes) com cerca de meio milhão de casos, México (129 milhões hab.) e Peru (33 milhões de hab.) com 400 mil casos, Espanha (47 milhões hab.) com 330 mil casos, Reino Unido (68 milhões de hab.) e Irã (84 milhões hab.) com pouco mais de 300 mil casos e Paquistão (221 milhões hab.) com quase 300 mil casos. Entre os 8 países mais afetados, 4 são da América Latina.

total acumulado de casos da covid-19 para os 12 países mais impactados

Estes 12 países com maior número de casos não são necessariamente os que possuem maior número de mortes para a covid-19.

Os EUA estão no primeiro lugar disparado do número de óbitos (mais de 150 mil) e o Brasil fica no segundo lugar isolado (com mais de 90 mil mortes). México e Reino Unido vêm em seguida (com cerca de 45 mil vidas perdidas). Em 5º e 6º lugares a Itália e a Índia (com cerca de 35 mil), em 7º lugar a França (30 mil), em 8º o Peru (19 mil), em 9º lugar o Irã (16,5 mil), em 10º lugar a Rússia (13 mil) e completando a dúzia, o Chile e a Colômbia (com cerca de 9,5 mil mortes). Por exemplo, a África do Sul está em 5º lugar em número de casos, mas não se encontra entre os 12 países com maior número de vítimas fatais.

total acumulado de mortes por covid-19

Considerando o número de mortes e o tamanho da população, os 12 países com os maiores coeficientes de mortalidade são: San Marino (1238 óbitos por milhão de habitantes), Bélgica (847 óbitos por milhão), Reino Unido (677 óbitos por milhão), Espanha (608 óbitos por milhão), Itália (582 óbitos por milhão), Suécia (566 óbitos por milhão), Peru (570 óbitos por milhão), Chile (485 óbitos por milhão), França (463 óbitos por milhão), EUA (465 óbitos por milhão), Brasil (424 óbitos por milhão), Holanda (360 óbitos por milhão) e México (348 óbitos por milhão).

indicadores dos 12 países com mais casos da covid-19 no mundo

O coeficiente de mortalidade da Índia é de 25 óbitos por milhão de habitantes. O Brasil tem um coeficiente de incidência 10 vezes maior e um coeficiente de mortalidade 18 vezes maior do que o da Índia. Assim, o Brasil está consolidado em segundo lugar em termos de país mais impactado pela covid-19. Até o fim do ano o número de casos deve chegar a 60 milhões de pessoas infectadas e o número de mortes deve chegar a 1,3 milhão de óbitos.

O ano de 2020 será marcado impacto considerável da pandemia e com grandes danos na economia.

José Eustáquio Diniz Alves
Colunista do EcoDebate.
Doutor em demografia, link do CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/2003298427606382

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 30/07/2020

 

Para pesquisar mais sobre este tema ou outros, use a ferramenta de pesquisa

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top