Importância da Geoquímica de Metais Tóxicos nas Águas Subterrâneas

 

 

Artigo de Carlos A. de Medeiros Filho

Águas Subterrâneas

Fonte https://achetudoeregiao.com.br/animais/quimica_da_agua.htm

[EcoDebate] As águas subterrâneas são essenciais para o sistema doméstico de abastecimento, fornecendo um recurso relativamente limpo, confiável e econômico. No entanto, alguns aquíferos podem não ter qualidade explorável adequada devido a fatores naturais ou pressões antropogênicas (Monjerezi et al., 2012). A contaminação por metais pesados nas águas subterrâneas é um problema sério em todo o mundo devido ao crescimento populacional e ao desenvolvimento econômico. Os processos naturais incluem intemperismo de rochas e solos, decomposição de matéria viva e precipitação atmosférica; enquanto que as atividades antropogênicas são provocadas, por exemplo, pela mineração e processamento mineral, resíduos domésticos, agrícolas, industriais, tráfego de automóveis, etc. (Wagh et al., 2018).

Na Região Metropolitana de Natal-RN (RMN), a contaminação das águas subterrâneas por nitrato está densamente discutida como, por exemplo, em Nóbrega et al, 2008; Rodrigues et al., 2019; Cabral et al., 2009; Stein et al., 2012; Melo, 1995; Bezerril, 2016. Estudos geoquímicos sobre comportamento de metais tóxicos em águas superficiais da RMN são reportados em Guedes, 2012; Guedes et al., 2005; Correa, 2008 e Lima, 2006. Por outro lado, pesquisas geoquímicas sobre metais traços em águas subterrâneas na RMB são ainda relativamente restritas (Bezerril, 2016; Melo, 1995; Figueiredo, 1991). A literatura científica abordando características e contaminações geoquímicas de metais traços em águas subterrâneas é, em todo mundo, vasta. Serão citados, a seguir, alguns artigos como exemplificações da variedade e importância desse assunto.

Monjerezi et al (2012) discutem a geoquímica de elementos menores no que diz respeito à salinidade de águas subterrâneas no vale do rio Shire (Malawi). A avaliação estatística dos dados (usando PCA e HCA), combinada com razões de íons maiores e menores e uma avaliação geoquímica conceitual da composição de elementos menores, indicou que as variações na salinidade foram responsáveis pela maior parte da variação nos níveis totais de Pb, B, Sr e Ba. As diretrizes da OMS para água potável para bário, boro, cromo e chumbo foram excedidas em 6,5%, 9,7%, 16,1% e 64,5% das amostras, respectivamente, ocorrendo principalmente nas amostras salobras. O estudo, portanto, mostra a possibilidade de poluição por elementos menores associados às áreas com água subterrânea salina / salobra.

Oyeku & Eludoyin (2010) estudaram o efeito do lixão nas águas subterrâneas nos países em desenvolvimento, especialmente na Nigéria. A infiltração de constituintes químicos no lixiviado formada, como consequência da contínua o descarte de resíduos municipais e industriais no aterro sanitário, demonstrou ser uma séria ameaça ao meio ambiente e à saúde humana. O descarte descontrolado de baterias de chumbo-ácido e produtos derivados de petróleo provavelmente causou os níveis relativamente altos de Pb, Cu e Fe encontrados nas águas subterrâneas. O estudo concluiu que as fontes de água subterrânea dentro de um raio de 2 km de um grande aterro sanitário estarão vulneráveis ao efeito do aterro, se não estiverem adequadamente protegidas.

Sako et al. (2018) efetuaram uma avaliação geoquímica abrangente dos solos e dos recursos hídricos em torno da mina de ouro de Tongon da Costa do Marfim. Os solos e as águas superficiais e, em menor grau, as águas subterrâneas estão seriamente contaminadas com uma série de metais pesados devido à sua proximidade com os resíduos das minas e uma possível descarga de resíduos domésticos e agrícolas não tratados nos cursos de água locais. As altas concentrações de As, Hg, Sb, Sr, Ni e W são diretamente derivadas das rochas mineralizadas, ricas em sulfetos e minerais carbonáceos, mobilizadas através da atividade de mineração.

Wagh et al. (2018) enfatizaram a abordagem integrada dos índices de poluição por metais pesados, juntamente com a análise estatística multivariada para avaliar o risco à saúde das águas subterrâneas da bacia do rio Kadava em Nashik, India. Os resultados analíticos mostraram que Pb e Ni excederam a concentração máxima permitida em todas as amostras; enquanto, Cr em amostras de 95% e Fe em 92,5% das amostras encontradas além dos limites de segurança. A avaliação da contaminação por metais pesados foi realizada usando o Índice de Poluição por Metais Pesados (IPH), Índice de Perigos (HI), Índice de Avaliação de Metais Pesados (IES) e Grau de Contaminação (Cd). Os tratamentos corroboram que altos teores de metais pesados nas águas subterrâneas da Bacia do Rio Kadava são devidos ao padrão de uso da terra, agricultura intensa, lixiviação de fertilizantes e pesticidas e resíduos domésticos no sistema aqüífero.

As referências bibliográficas sumarizadas procuraram dar uma ideia da variedade das situações ambientais e da importância da caracterização geoquímica das águas subterrâneas para o adequado uso no sistema doméstico de abastecimento de água nas áreas urbanas e rurais. As pesquisas geoquímicas podem, portanto, ajudar os planejadores e formuladores de políticas locais a prevenir o risco à saúde através da implementação de medidas apropriadas de monitoramento e mitigação para aqüíferos contaminados.

Referências Bibliográficas.

Bezerril, K.O. 2016. Problemas socioambientais: urbanização desordenada e consequências para a qualidade das águas subterrâneas de Poços localizados nas imediações do lixão de Cidade Nova em Natal/RN. Dissertação (mestrado) – UFRN. Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes. Programa de Pós-Graduação e Pesquisa em Geografia.

Cabral, N. T.; Righetto, A. M.; Queiroz, M. A. 2009. Comportamento do nitrato em poços do aquífero Dunas / Barreiras nas explotações Dunas e Planalto, Natal, RN, Brasil. Eng Sanit Ambient | v.14 n.3 | jul/set 2009 | 299-306.

Correa, T. de L. 2008. Impactos Geoquímicos e Socioambientais do Estuário do Rio Potengi – Região Metropolitana da Grande Natal/RN. Dissertação de Mestrado.

Figueiredo, E.M. 1991. Concentrações Anômalas de Metais Pesados nas Águas de alguns Poços de Natal. 36″ Congresso Brasileiro de Geologia, Natal, Anais 2: 807-815.

Guedes, J.A. 2012. Teores geoquímicos em sedimentos de fundo do rio Jundiaí, Macaíba/RN. Brazilian Geographical Journal: Geosciences and Humanities research medium, Uberlândia, v. 3, n.1, p. 70-79.

Guedes, J.A.; Souza, R.F.; Souza, L.C. 2005. Metais pesados em água do rio Jundiaí – Macaíba/RN. Revista de Geologia, Vol. 18, nº 2, 131-142.

Lima, L.F. 2006. Geoquímica de Sedimentos de Fundo dos Rios Trairi e Arari e da Laguna de Nísia Floresta (RN). UFRN. Dissertação de Mestrado.

Melo, J.G. 1995. Impactos de Desenvolvimento Urbano nas Águas Subterrâneas de Natal. Universidade de São Paulo. Instituto de Geociências. Tese de Doutoramento.

Monjerezi, M.; Vogt, R.D.; Gebru, A.G.; Saka, J.D.K.; Aagaard, P. 2012. Minor element geochemistry of groundwater from an area with prevailing saline groundwater in Chikhwawa, lower Shire valley (Malawi). Physics and Chemistry of the Earth 50–52 52–63.

Nóbrega, M. M. S.; Araújo, A. L. C.; Santos, J. P. Avaliação das concentrações de nitrato nas águas minerais produzidas na região da Grande Natal. Revista Holos. Vol. 3. 2008. 4-25 p.

Oyeku, O.T., Eludoyin, A.O. 2010. Heavy metal contamination of groundwater resources in a Nigerian urban settlement. African Journal of Environmental Science and Technology Vol. 4(4), pp. 201-214.

Rodrigues, M; Pereira, R.; Mayer, A.; Magalhães, D. R. M.; Fernandes Jr., J. R. 2009. A atual situação da contaminação por nitrato nos poços da cidade de Natal/RN: o caso das águas minerais. IV Congresso de Pesquisa e Inovação da Rede Norte e Nordeste de Educação Tecnológica. Belém – Pa.

Sako, A.; Semdé, S.; Wenmengab, U. 2018. Geochemical evaluation of soil, surface water and groundwater around the Tongon gold mining area, northern Côte d’Ivoire, West Africa. Journal of African Earth Sciences 145 (2018) 297–316.

Stein, P.; Diniz Filho, J.B.; Lucena, L.R.F.; Cabral, N.M.T. 2012. Qualidade das águas do aquífero Barreiras no setor sul de Natal e norte de Parnamirim, Rio Grande do Norte, Brasil. Revista Brasileira de Geociências. 42(Suppl 1): 226-237.

Wagh, V.M.; Panaskar, D.B.; Mukate, S.V.; Gaikwad, S.K.; Muley, A.A.; Varade, A.M. 2018. Health risk assessment of heavy metal contamination in groundwater of Kadava River Basin, Nashik, India. Modeling Earth Systems and Environment

Carlos Augusto de Medeiros Filho, geoquímico, graduado na faculdade de geologia da UFRN e com mestrado na UFPA. Trabalha há mais de 35 anos em Geoquímica em Pesquisa Mineral e Ambiental

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 30/07/2020

 

Para pesquisar mais sobre este tema ou outros, use a ferramenta de pesquisa

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Deixe uma resposta

Top