Coronavírus: como a renda básica universal poderia frear esta crise

 

Por Vinícius Chamlet, Agência Pressenza

No Brasil os casos de Coronavírus subiram para 234, no mundo dezenas de milhares de pessoas estão contaminadas pelo vírus.

Em situações de crises as parcelas da população que mais padecem são as que pertencem a base da pirâmide social, os mais pobres, que não tem, por exemplo, como parar por conta do Coronavírus, pois as contas, os boletos não esperam.

O Brasil possui um número grande de desempregados, pessoas na informalidade, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 11% da população está desempregada. O número exclui aqueles que estão na informalidade, e também os que desistiram de buscar emprego. Há ano o país padece com a falta de postos de trabalho, e com a diminuição do Estado. As reformas de Temer a Bolsonaro ajudaram a corroer o tecido de proteção social brasileiro. Neste cenário de ode ao liberalismo estamos enfrentando a pior crise sanitária dos últimos anos em escala mundial.

O enfrentamento a esta crise na área da saúde nos força a pensar o papel do Estado na Economia, principalmente com o aumento exponencial do preço de insumos como o álcool em gel, máscaras protetoras e papel higiênico.

A proposta de renda básica universal, uma renda que permitiria a todos se manter sem a necessidade de trabalho, como um “bolsa família” estendido poderia possibilitar o auto isolamento de toda a população em casa como uma das formas de atrasar o aumento de casos, achatando a curva de crescimento da doença.

Vinícius Chamlet
Formado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP), trabalha em defesa da liberdade dos professores e escreve para a Agência Pressenza

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 13/04/2020

Coronavírus: como a renda básica universal poderia frear esta crise, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 13/04/2020, https://www.ecodebate.com.br/2020/04/13/coronavirus-como-a-renda-basica-universal-poderia-frear-esta-crise/.

 

PUBLICIDADE




 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top