Na crise ambiental, já estamos lutando pela sobrevivência, artigo de Montserrat Martins

 

crise ambiental

 

[EcoDebate] Seu emprego, segurança e saúde são fundamentais para a sobrevivência, não são? Pois vários países da Europa, além disso, se preocupam com a subida do nível do mar, causado pelo derretimento do gelo do Polos, que podem alagar seus territórios, como é o caso da Noruega, ou da Inglaterra.

Quando presidentes da França, Inglaterra, Alemanha, Canadá se preocupam com o desmatamento da Amazônia, é porque ela é “o ar condicionado (e não o pulmão) do planeta”, a floresta é essencial para evitar o aquecimento global.

Circulam mensagens no whatsapp contra a Europa, como se nós brasileiros fossemos moralmente superiores. Onde está a superioridade moral de negar a ciência? Aqui no Brasil isso virou uma “guerra ideológica”, mas que não faz o menor sentido porque o presidente da França é de direita, a da Alemanha também, o da Inglaterra mais ainda, aliado do Trump inclusive. O discurso do próprio Trump não negou a gravidade do assunto – atestada pela NASA – mas sim “ofereceu ajuda”.

Amazônia e meio ambiente não tem nada a ver com direita ou esquerda. Os maiores poluidores do planeta são um país ‘de direita’, os Estados Unidos, e um ‘de esquerda’, a China. É quase impossível uma conversa racional sobre o assunto, nesse momento de “obsessão nacional” entre o fanatismo de direita e de esquerda, onde a proteção ambiental vira vítima dessa verdadeira “guerra ideológica”.

“Numa guerra, a primeira vítima é a verdade”, já disse um general. O aumento do desmatamento, observado por satélites de todo o mundo, passa a ser “relativizado” como se não fosse importante, ou como se o importante fosse comparar com governos passados.

Os ambientalistas, atentos ao assunto, sempre se manifestaram, nesse governo, no anterior, e seguirão se manifestando nos próximos. Mas agora o assunto tem sido rebaixado a fofocas, do tipo “a foto do Macron (Presidente da França) sobre o incêndio não era de agora”. Qual a relevância disso, a não ser em nível de “fofoca”? E as fotos divulgadas pelo Presidente brasileiro sobre baleias acusando a Noruega, não eram da Dinamarca? Qual a relevância desse tipo de fofocas, num assunto tão sério? As fotos que realmente importam são as dos satélites, sobre a Amazônia.

Quem está ciente da gravidade do assunto para a vida humana na Terra só teria uma solução para não sofrer: torcer para as baratas. Se a destruição da Amazônia chegar ao nível insustentável, o planeta não será destruído, não haverá é condições para a vida humana, só para as baratas. Pessoas trocam de time, quando o seu está perdendo.

Com o fanatismo direita x esquerda sufocando o alerta ambiental, a única solução de vitória é deixar de torcer para os humanos e passar a torcer pelas baratas.

 

Montserrat Martins, Colunista do EcoDebate, é Psiquiatra, autor de “Em busca da alma do Brasil”.

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 09/09/2019

Na crise ambiental, já estamos lutando pela sobrevivência, artigo de Montserrat Martins, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 9/09/2019, https://www.ecodebate.com.br/2019/09/09/na-crise-ambiental-ja-estamos-lutando-pela-sobrevivencia-artigo-de-montserrat-martins/.

 

PUBLICIDADE / CONTEÚDO RELACIONADO



 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Deixe uma resposta

Top