A queda dos custos de energia renovável abre caminho para uma maior ambição climática

 

Novo relatório da IRENA sobre custos para energia renovável reafirma as energias renováveis ​​como solução de baixo custo para impulsionar a ação climática global

 

energia solar

 

A energia renovável já é a fonte de eletricidade mais barata em muitas partes do mundo atualmente, segundo o último relatório da Agência Internacional de Energia Renovável (IRENA). O relatório contribui para a discussão internacional sobre o aumento da ação climática em todo o mundo, antes da reunião preparatória global de Abu Dhabi para a Cúpula de Ação Climática das Nações Unidas em setembro.

Com os preços em queda, a vantagem de custo das energias renováveis ​​se estenderá ainda mais, dizem os Renewable Power Generation Costs in 2018 , com  base em uma análise abrangente dos dados de projetos em todo o mundo. Isso fortalecerá o business case e solidificará o papel das energias renováveis ​​como o motor da transformação global de energia.

“O poder renovável é a espinha dorsal de qualquer desenvolvimento que tenha como objetivo ser sustentável”, disse o diretor-geral da IRENA, Francesco La Camera. “Devemos fazer tudo o que pudermos para acelerar as energias renováveis, se quisermos cumprir os objetivos climáticos do Acordo de Paris. O relatório de hoje envia um sinal claro para a comunidade internacional: A energia renovável fornece aos países uma solução climática de baixo custo que permite a expansão de ações.

“Para aproveitar totalmente a oportunidade econômica das energias renováveis, a IRENA trabalhará em estreita colaboração com nossos membros e parceiros-chave para facilitar soluções locais e ações coordenadas que resultarão em projetos de energia renovável.”

Os custos para tecnologias de energia renovável caíram para um recorde baixo no ano passado. O custo médio ponderado global da eletricidade proveniente de energia solar concentrada (CSP) diminuiu 26%, bioenergia 14%, energia solar fotovoltaica (PV) e energia eólica onshore em 13%, energia hidroelétrica em 12% e energia eólica geotérmica e offshore em 1%. respectivamente.

As reduções de custos, particularmente para as tecnologias de energia solar e eólica, devem continuar na próxima década, segundo o novo relatório. De acordo com o banco de dados global da IRENA, mais de três quartos da energia eólica onshore e quatro quintos dos projetos solares fotovoltaicos que serão comissionados no próximo ano produzirão energia a preços mais baixos do que as opções mais baratas de carvão, petróleo ou gás natural. Crucialmente, eles estão dispostos a fazê-lo sem assistência financeira.

Os custos de energia eólica terrestre e solar fotovoltaica entre três e quatro centavos de dólar dos EUA por quilowatt / hora já são possíveis em áreas com bons recursos e permitindo estruturas regulatórias e institucionais. Por exemplo, os preços de leilão recordes para a energia solar fotovoltaica no Chile, México, Peru, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos tiveram um custo nivelado de eletricidade de apenas três centavos de dólar por quilowatt / hora (US $ 0,03 / kWh).

A eletrificação com base em energias renováveis ​​competitivas em termos de custo é a espinha dorsal da transformação de energia e uma solução chave de descarbonização de baixo custo em apoio aos objetivos climáticos estabelecidos no Acordo de Paris.

Leia o relatório da IRENA “ Custos de Geração de Energia Renováveis ​​em 2018 ”.
Leia o relatório da IRENA “Transformação Global de Energia: Um Roteiro para 2050 ”.

 

* Informe da IRENA – International Renewable Energy Agency, com tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate.

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 17/06/2019

A queda dos custos de energia renovável abre caminho para uma maior ambição climática

, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 17/06/2019, https://www.ecodebate.com.br/2019/06/17/a-queda-dos-custos-de-energia-renovavel-abre-caminho-para-uma-maior-ambicao-climatica/.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top