A desigualdade social da pirâmide da riqueza global 2018, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

 

pirâmide global da riqueza 2018

 

[EcoDebate] Todos os anos o banco Credit Suisse publica o Relatório Global da Riqueza que é a fonte mais ampla de informações sobre o patrimônio familiar global. Os dados mostram o grau de desigualdade das pessoas em relação ao estoque de riqueza. Em sua nona edição, o relatório consolida os dados sobre a desigualdade da riqueza nas regiões e nos diversos segmentos de classe.

Entre 2017 e 2018, a riqueza global agregada aumentou em USD 14 trilhões para 317 trilhões de dólares, o que representa taxa de crescimento de aproximadamente 4,6% no ano. Este crescimento foi menor do que no período anterior, mas superior à taxa média de crescimento na era pós-2008. Também foi suficiente para superar o crescimento populacional, pois a riqueza por adultos cresceu aproximadamente 3,2%, um recorde.

Apesar da absurda concentração da riqueza, o lado positivo, do ponto de vista desenvolvimentista, foi a redução da base da pirâmide e o crescimento dos segmentos superiores (médios e ricos).

Segundo a figura abaixo, na base da pirâmide – segmento de riqueza abaixo de USD 10 mil – havia, em 2017, 3,474 bilhões de adultos (representando 70,1% do total) e um montante de USD 7,6 trilhões (2,7% da riqueza total). Segundo a figura acima, neste mesmo segmento, em 2018, havia 3,211 bilhões de adultos (representando 63,9% do total) e um montante de USD 6,2 trilhões (1,9% da riqueza total).

 

pirâmide global da desigualdade da riqueza

 

O segmento médio – que reúne as pessoas com riqueza de USD 10.000 a USD 100.000 – foi o que mais cresceu, pois, em 2017, havia 1,064 bilhão de adultos (21,3% do total) e um montante de riqueza de USD 32,5 trilhões (11,6% do total), passando, em 2018, para 1,335 bilhão de adultos (26,6% do total) e um montante de USD 44,2 trilhões (13,9% do total).

No segmento de classe média alta – que reúne as pessoas com riqueza de USD 100.000 a USD 1 milhão – o aumento do número de pessoas entre 2017 e 2018 foi de 391 milhões (7,9%) para 436 milhões (8,7%) e o montante de riqueza neste segmento passou de USD 111,4 trilhões (39,7%) para USD 124,7 trilhões (39,3%).

No segmento dos milionários – acima de USD 1 milhão – houve aumento do número de adultos, mas uma redução da parcela de riqueza. Em 2017, havia 36 milhões de milionários no mundo (representando 0,7% do total de pessoas), que concentravam uma riqueza total de USD 128,7 trilhões (45,9% da riqueza global). Em 2018, havia 42 milhões de milionários (0,8% do total) e uma riqueza total de USD 142,0 trilhões (representando 44,8% do total).

No caso brasileiro, o número de adultos com mais de USD 1 milhão recuou 19% em 2018, na comparação com o ano passado. Essa queda representa 36 mil milionários a menos, pois no ano passado, havia sido contabilizados 190 mil milionários no país, número que caiu para 154 mil este ano. O recuo está em grande medida relacionado à desvalorização do real. A riqueza por adulto no Brasil tinha crescido nos primeiros anos do século XXI, mas com a crise iniciada em 2014, o país entrou em uma fase submergente. Em 2018, a riqueza média dos brasileiros foi estimada em US$ 16.664, bem menor do que o valor médio global de USD 63.100.

 

José Eustáquio Diniz Alves, Colunista do Portal EcoDebate, é Doutor em demografia e professor titular do mestrado e doutorado em População, Território e Estatísticas Públicas da Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE/IBGE; Apresenta seus pontos de vista em caráter pessoal. E-mail: jed_alves@yahoo.com.br

 

Referência:
Credit Suisse. Global wealth 2018, Credit Suisse Research, October 2018
http://publications.credit-suisse.com/tasks/render/file/index.cfm?fileid=37226D89-C511-95F3-3960988EEA61FB88

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 14/11/2018

"A desigualdade social da pirâmide da riqueza global 2018, artigo de José Eustáquio Diniz Alves," in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 14/11/2018, https://www.ecodebate.com.br/2018/11/14/a-desigualdade-social-da-piramide-da-riqueza-global-2018-artigo-de-jose-eustaquio-diniz-alves/.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top