Pegada hídrica: marca do consumo de água do brasileiro é de 154 litros por dia

 

Por Victor Ribeiro*, da Radioagência Nacional

 

 

Cada brasileiro consome, em média, 154 litros de água por dia, segundo o Sistema Nacional de Informações Sobre Saneamento, do Ministério das Cidades. Pode parecer pouco, mas a ONU garante que gastamos, todos os dias, 34 litros a mais que os 110 necessários.

Esse consumo é o que aparece todos os meses na conta de água que chega à nossa casa. Mas tem uma forma indireta de consumir água, que nem sempre nos damos conta. É a chamada pegada hídrica. Quem explica é o analista do programa de Ciências e Iniciativa de Águas da ONG WWF, Bernardo Caldas Oliveira.

Sonora: “É uma metodologia desenvolvida por diversas instituições e ela dá um pulo para uma avaliação do nosso consumo indireto. O quanto de água precisamos pra ter nosso telefone, nosso computador. Ela é uma ferramenta que traz informações sobre nossa demanda, nossa pegada por água.”

 

pegada hídrica
Pegada hídrica – Imagem: http://dx.doi.org/10.1590/S1415-43662013000100014

 

Os números da pegada hídrica do Brasil impressionam. Temos a sétima economia do mundo, mas a pegada hídrica de cada um de nós passa de 2 milhões de litros de água por ano. Na China, a maior economia do planeta, a pegada hídrica é praticamente a metade: cada pessoa responde por pouco mais de 1 milhão de litros de água por ano.

Bernardo Oliveira explica o que é levado em consideração para calcular a pegada hídrica.

Sonora: “Além de considerar a água necessária para a produção, também considera o quanto de água a gente vai precisar para diluir a poluição gerada para produzir aquele produto.”

A organização internacional Water Footprint, que, em tradução livre, significa Pegada Hídrica da Água, calcula que uma xícara de café consome 132 litros de água, desde a produção, até a decomposição na natureza. Uma camisa de algodão representa 2.500 litros de água, e um quilo de azeitonas, mais de três mil litros. Uma calça jeans consome quase 11 mil litros de água, e um carro, mais de 400 mil litros.

Isso não significa que precisamos abrir mão desses produtos, mesmo porque não seria viável. Mas o professor da Universidade de Brasília Henrique Leite Chaves, aponta que o consumo consciente é o caminho para reduzir a nossa pegada hídrica.

Sonora: “Um consumo consciente desses produtos pode vir a reduzir o consumo de água, por exemplo, naquele município, naquela bacia, naquele país.”

Priscila Freire Rocha é especialista em meio ambiente na Fiesp, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. De acordo com o monitoramento feito nos últimos 13 anos, a pesquisadora afirma que alguns setores conseguiram reduzir consideravelmente o consumo de água, a partir de técnicas que reaproveitam os recursos hídricos.

Ela destaca a indústria de transformação, que usa matérias-primas naturais para produzir utensílios usados no dia a dia.

Sonora: “A indústria de transformação tem demonstrado fortemente esse trabalho no reúso interno e mesmo no melhor tratamento da água para ter efluente zero. Ele capta a água, capta já uma quantidade menor. Ela utiliza a água da chuva, utiliza o resíduo líquido gerado na indústria, de forma que nem efluente ela gera.”

Priscila Rocha acrescenta que desperdiçar água é uma prática do passado.

Sonora: “O acesso às melhores tecnologias tem sido um norteador e um fator primordial para que a gente consiga ter um processo mais eficiente. Além disso, a consideração da água como algo estratégico, isso fez diferença ao longo dos anos. É o futuro.”

A preocupação da sociedade e do setor produtivo em reduzir a pegada hídrica não é à toa. De acordo com a organização não governamental (ONG) Water Footprint, todos os anos, quatro em cada dez pessoas no mundo passam pelo menos um mês sem água.

* EBC em parceria com a Agência Nacional de Águas no 8º Forum Mundial da Água

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 12/03/2018

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top