Emissões globais de dióxido de carbono (CO2) aumentaram novamente após um hiato de três anos

 

University of Exeter*

As emissões globais de dióxido de carbono da queima de combustíveis fósseis aumentaram novamente após um hiato de três anos, de acordo com novas figuras do Global Carbon Project (GCP).

 

Figura: Tendências nas emissões de CO2 e nas concentrações atmosféricas de CO2.
Figura: Tendências nas emissões de CO2 e nas concentrações atmosféricas de CO2, in Nature Climate Change.

 

A projeção alarmante para 2017 é revelada em um novo relatório do GCP – co-autor de muitos dos principais cientistas climáticos do mundo, incluindo os Professores Pierre Friedlingstein, Stephen Sitch, Richard Betts e Andrew Watson da Universidade de Exeter – publicados hoje.

O relatório revela que as emissões globais de todas as atividades humanas chegarão a 41 bilhões de toneladas em 2017, após um aumento de 2% previsto na queima de combustíveis fósseis.

Os números apontam para a China como a principal causa do crescimento renovado das emissões fósseis – com um crescimento projetado de 3,5%. Espera-se que as emissões de CO2 diminuam 0,4% nos EUA e 0,2% na UE, menores declínios do que na década anterior.

Aumentos no uso de carvão na China e nos EUA são esperados este ano, revertendo suas reduções desde 2013.

Anteriormente, esperava que as emissões em breve atingissem seu pico após três anos estáveis, de modo que a nova projeção para 2017 é uma mensagem indesejada para os decisores políticos e delegados na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP 23) em Bonn, que acontece nesta semana.

O relatório de alto perfil é publicado simultaneamente nas revistas Nature Climate Change , Earth System Science Data Discussions e Environmental Research Letters.

Outras principais conclusões do relatório são que as emissões de CO2 diminuíram na presença de atividade econômica crescente em 22 países, representando 20% das emissões globais. A energia renovável também aumentou rapidamente em 14% ao ano nos últimos cinco anos – embora de uma base muito baixa.

O pesquisador principal, Prof. Corinne Le Quéré, diretor do Centro Tyndall para Pesquisa sobre Mudanças Climáticas na UEA, disse: “Com as emissões globais de CO2 de atividades humanas estimadas em 41 bilhões de toneladas para 2017, o tempo está se esgotando em nossa capacidade de manter o aquecimento bem abaixo de 2ºC muito menos 1,5ºC.

“Este ano, vimos como as mudanças climáticas podem amplificar os impactos dos furacões com chuvas mais intensas, níveis mais altos do mar e condições oceânicas mais quentes favorecendo tempestades mais poderosas. Esta é uma janela para o futuro. Precisamos alcançar um pico nas emissões globais em nos próximos anos e reduzir as emissões rapidamente depois para enfrentar as mudanças climáticas e limitar seus impactos “.

Referência:

Towards real-time verification of CO2 emissions
Journal: Nature Climate Change (2017)
DOI: doi:10.1038/s41558-017-0013-9
https://www.nature.com/articles/s41558-017-0013-9

 

* Tradução e edição de Henrique Cortez, EcoDebate.

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 14/11/2017

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Um comentário em “Emissões globais de dióxido de carbono (CO2) aumentaram novamente após um hiato de três anos

  1. Prezado
    As emissões de CO2 aumentam, não há dúvida e quanto mais aumentar melhor, pois estamos queimando mais energia e gerando mais trabalho. Precisamos entender que quem retira CO2 da atmosfera é o Sol, por meio da fotossíntese e quem envia CO2 para a mesma são os animais, inclusive os humanos, por meio da respiração e queima dos combustíveis fósseis.

    Quem tem mais poder, o Sol ou os animais? Evidente que é o Sol. Assim sendo, os animais não conseguirão devolver para a atmosfera uma quantidade de CO2 maior do que aquela que Sol retira, diariamente, por meio da fotossíntese o que nos leva a concluir que a quantidade de CO2 vai acabar, quando não haverá mais alimentos e a vida irá ACABAR. Simples, como tudo é simples na natureza. Os humanos é que, movidos pela ganância, COMPLICAM TUDO.

Deixe uma resposta

Top