Na Bahia, na cidade de Cândido Sales, Ibama e PF combatem ação de curtumes que jogam resíduos em rio

 

Ibama / MMA

 

ABr

A Polícia Federal na Bahia deflagrou ontem (16) a Operação Dark Water, para combater a prática de crimes ambientais na cidade de Cândido Sales, a cerca de 600 quilômetros de Salvador. A operação foi feita em conjunto com o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Segundo as investigações, a atividade econômica de curtição de couro (curtumes) era feita sem autorização dos órgãos ambientais e isso gerou o lançamento de resíduos sólidos e líquidos, sem tratamento adequado, nas águas do Rio Pardo, que passa pela cidade. Com a poluição do rio e o escurecimento da água, a PF batizou a operação de Dark Water (tradução do inglês, água escura).

Foram cumpridos três mandados de prisão preventiva, um mandado de busca e apreensão e três medidas cautelares que envolvem a suspensão das atividades de natureza econômica. Segundo a PF, os envolvidos vinham sendo notificados e advertidos pelos órgãos ambientais desde 2008. As notificações solicitavam um plano de recuperação da área, o que não foi atendido. As investigações começaram em janeiro de 2017, pela Delegacia da PF, em Vitória da Conquista, cidade vizinha a Cândido Sales.

Os envolvidos devem responder por crimes previstos na Lei de Crimes Ambientais, de 1998. Além disso, a Prefeitura de Cândido Sales foi orientada a fazer a limpeza do rio e a retirada dos dejetos de forma adequada para que não sejam gerados mais prejuízos ao meio ambiente.

Por Sayonara Moreno, da Agência Brasil, in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 17/08/2017

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top