Conhecimento tradicional e manejo de agroecossistemas elevam produtividade da agricultura familiar

 

Pelo projeto BioREC, técnicos do Instituto Mamirauá trabalham em parceria com as comunidades ribeirinhas do interior da Amazônia para reduzir a abertura de novas áreas de floresta para o plantio, a degradação ambiental e a emissão de gases de efeito estufa, elevando a produtividade da agricultura familiar e a renda dos produtores com estímulo à produção sustentável.

 

Usina de processamento de frutas inaugurada em comunidade ribeirinha no interior da Amazônia promete aumentar a renda dos produtores rurais. Crédito: Instituto Mamirauá
Usina de processamento de frutas inaugurada em comunidade ribeirinha no interior da Amazônia promete aumentar a renda dos produtores rurais. Crédito: Instituto Mamirauá

 

Uma usina de beneficiamento, resfriamento e armazenamento de polpas de frutas, que funcionará à base de energia solar, deve aumentar a renda dos produtores rurais da comunidade Boa Esperança, na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, no interior do Amazonas. A produção, que será vendida para as cidades vizinhas, deve começar nos próximos dias, com a inauguração da usina.

A iniciativa faz parte do projeto Mamirauá: Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade em Unidades de Conservação (BioREC), que o instituto desenvolve desde 2013 com recursos do Fundo Amazônia, do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O projeto aposta no manejo de agroecossistemas no qual a manutenção dos recursos naturais é combinada com plantios e pastos tradicionais. São os sistemas agroflorestais (SAFs) e os sistemas pecuários agroecológicos.

O objetivo é reduzir a abertura de novas áreas de floresta para o plantio, a degradação ambiental e a emissão de gases de efeito estufa, elevando a produtividade da agricultura familiar com o estímulo à produção sustentável. Pelo projeto, técnicos do Instituto Mamirauá trabalham ao lado de produtores rurais, adaptando as propostas às realidades, culturas e necessidades das populações ribeirinhas, incluindo lições do manejo tradicional e novos conhecimentos, de caráter ecológico, para as práticas agrícolas.

Fonte: Instituto Mamirauá

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 30/05/2017

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top