As regiões úmidas do mundo estão ficando mais úmidas e as regiões secas estão ficando mais secas

 

matéria

 

Universidade de Southampton

Pesquisa da Universidade de Southampton, forneceu provas sólidas de que as regiões úmidas da Terra estão ficando mais úmidas e as regiões secas estão ficando mais secas, mas isto está ocorrendo em um ritmo mais rápido do que se pensava anteriormente.

O estudo [Global water cycle amplifying at less than the Clausius-Clapeyron rate
], publicado em Scientific Reports, analisou a salinidade dos oceanos do mundo.

Mais chuva e e maior desague dos rios em uma região de um oceano significa que a água do mar fica diluída e, portanto, torna-se menos salgada. Mais evaporação em outra região tira água fresca e deixa sal para trás tornando a região mais salina.

Os pesquisadores usaram medidas de salinidade ao longo dos oceanos globais nos últimos 60 anos para estimar o quanto a precipitação global está mudando.

Os pesquisadores descobriram que as regiões, que são relativamente úmidas, como o norte da Europa, estão ficando mais úmidas e as regiões secas estão ficando mais secas, em cerca de 2 por cento nos últimos 60 anos. Este processo é chamado de amplificação do ciclo da água.

Pesquisas anteriores indicam que a amplificação do ciclo da água, está acontecendo a 7 por cento por 1° C de aquecimento global. O novo estudo estima que a amplificação acontece em cerca de três a quatro por cento por 1° C. A equipe de pesquisa acredita que isso é provavelmente devido a um enfraquecimento da circulação atmosférica que transporta água doce das regiões secas para as úmidas do globo.

Dr. Nikolaos Skliris, um pesquisador da Universidade de Southampton, que liderou o estudo, disse: “Nossos resultados coincidem com o que foi previsto por modelos de aquecimento do clima, em que as regiões úmidas tendem a ficar mais úmidas e as regiões secas em ficar mais secas.”

“Embora tenhamos constatado que este processo está a acontecer mais lentamente do que se pensava, se o aquecimento global exceder os 3 ° C, as regiões úmidas obterão provavelmente mais de 10% de umidade e a mesma proporção nas regiões secas, o que poderia ter implicações desastrosas para Fluxos de rios e agricultura. ”

Dr Skliris acrescentou: “O acordo entre modelos climáticos e observações sobre o passado recente é outra importante descoberta deste estudo, porque agrega confiança às projeções do modelo climático de amplificação do ciclo da água em cenários de emissão de gases de efeito estufa”.

Referência:
Global water cycle amplifying at less than the Clausius-Clapeyron rate
Nikolaos Skliris, Jan D. Zika, George Nurser, Simon A. Josey & Robert Marsh
Scientific Reports 6, Article number: 38752 (2016)
doi:10.1038/srep38752
http://www.nature.com/articles/srep38752

 

Da Universidade de Southampton, in EcoDebate, 13/12/2016

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top