O Facebook proibido de Letícia Sabatella, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

 

opiniao

 

[EcoDebate] A primeira vez que vi Letícia pessoalmente foi quando ela veio visitar Frei Luis, em Sobradinho, quando ele estava em greve de fome. Desde então ficamos amigos.

Eu dirigia o carro e íamos de Juazeiro a Sobradinho quando o telefone tocou e era o aviso que a mãe da colega que estava com ela tinha acabado de falecer. Sem saber o que fazer, encostei o carro e perguntei o que faríamos. Ambas choravam, mas a colega dela disse que era para seguirmos em frente.

Depois, em Sobradinho, à medida que a consciência saiu do choque, vi Letícia fazendo o que pudesse para arrumar um meio da colega voltar ao Rio. Enquanto não resolveu, não sossegou.

Naquele dia veio uma tempestade feroz na região, depois de sete meses sem chuva. A energia aos pés da barragem de Sobradinho foi embora. Nossa celebração da noite foi à luz de vela. Ela estava lá. E eu me perguntava o que uma mulher famosa fazia naquele ambiente aparentemente tão adverso.

Saiu dali direto para Salvador para um evento de Petrobras. Era para ela fazer o papel de mediadora do evento. Sacou a carta dos movimentos em defesa do São Francisco do bolso e a leu para todos os presentes. Uma pessoa da Petrobras jurou para ela que jamais conseguiria qualquer apoio da empresa. Depois a Secretaria dos Direitos Humanos da empresa lhe pediu desculpas.

Depois nos encontramos várias vezes nesses ambientes de defesa de causas justas e dos direitos humanos.

A última vez que nos encontramos pessoalmente foi no ambiente da arte. Ela me indicou para fazer a palestra de abertura para atores, diretores e núcleo de produção da novela Velho Chico, no Rio. Por causa dela, eu fui. Ela ainda estava no elenco.

A oficina foi longa, de umas 5 horas. No intervalo, enquanto conversava com os artistas, sobretudo os do Nordeste, um grupo brincava no meio do palco. Então, uma atriz caiu de forma brusca e ficou desacordada. Veio o socorro e Letícia sumiu. Só reapareceu mais tarde, depois que a colega tinha sido removida e internada. Mas, telefonava a todo momento para o hospital para saber da situação. Não foi nada de mais grave.

Esses gestos dizem claramente que ela não está envolvida com as questões socioambientais, ou na defesa dos direitos humanos, por estratégia de marketing. São as convicções mais profundas, em defesa da causa indígena, do ambiente, dos direitos humanos, de toda causa justa.

O bloqueio de sua página no Facebook, ainda que tenha sido apenas temporário, confirma os tempos de razão obscura e corações raivosos que vivemos.

Ela falou bem diante de Dilma. Expressou a voz de milhões de brasileiros: “sou oposição ao seu governo, mas sou contra o golpe”.

A consciência que ela tem da realidade está à frente de 90% da população brasileira, inclusive de intelectuais e democratas de conveniência.

Por isso sua voz e suas atitudes incomodam e ela tem que suportar agressões. Não é por acaso que sua página foi proibida.

Roberto Malvezzi (Gogó), Articulista do Portal EcoDebate, possui formação em Filosofia, Teologia e Estudos Sociais. Atua na Equipe CPP/CPT do São Francisco.

 

in EcoDebate, 08/04/2016

O Facebook proibido de Letícia Sabatella, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó), in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 8/04/2016, https://www.ecodebate.com.br/2016/04/08/o-facebook-proibido-de-leticia-sabatella-artigo-de-roberto-malvezzi-gogo/.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

5 comentários em “O Facebook proibido de Letícia Sabatella, artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

  1. Roberto, meus parabens pelo artigo.
    Tambem admirei muito a declaracao de Leticia Sabatella de que era oposicao ao governo Dilma, mas era contra o golpe.

  2. Nós, como decerto milhões de brasileiros acreditam na integridade moral desta importante atriz brasileira.

    Dai, nossa perplexidade em ver sua presença num palácio presidencial, em meio à uma cerimônia que nada mais era do que um comício em local indevido, e em claro e manifesto apoio a uma presidente que é rejeitada por 90% da população brasileira e representante mor de um dos governos mais corruptos do planeta.

    Cabe-nos, portanto, direito a uma dúvida. Afinal, quem de alguma forma, direta ou indireta, apoia ou prestigia um governo brutalmente corrupto e incompetente, de alguma forma é também responsável pelo mal feito!

  3. Lincoln, vou fazer novo comentario para analisar sua mensagem.
    A Leticia nao disse que apoia o governo da Dilma. Pelo contrario, disse que lhe faz oposicao.
    O que ela disse – e penso que seja o pensamento da maioria dos brasileiros – e que a constituicao precisa ser preservada.
    Os governos passam e a constituicao fica. Se for usado um artificio extra-constitucional para cassar o mandato da presidenta, ela e contra.
    E eu tambem o sou.

  4. No sistema presidencialista adotado no Brasil (se fosse no sistema parlamentarista o presidente seria o Primeiro Ministro e poderia ser destituído apenas com uma simples MOÇÃO DE CENSURA do Parlamento) a forma de nos livrarmos de governos corruptos e incompetentes é o IMPEACHMENT, que é um instrumento legal, previsto na Constituição Federal e que já foi utilizado em 1.992 no Governo Collor.

    Mas o governo Dilma não é só corrupto: é etnocida, ecocida e economicida.

    É um profunda contradição alguém que defenda efetivamente os povos indígenas apoiar um governo que tem na sua base de sustentação o que é há de mais retrógrado e podre no ruralismo brasileiro.

    Na área ambiental temos a liberação dos transgênicos, a transformação do país no maior consumidor de agrotóxicos do mundo, as alterações devastadoras do Código Florestal, a opção energética pelos combustíveis fósseis, etc, etc, etc e muito mais de ruim que aconteceu no governo DILMA.

    A única razão plausível de alguns artistas e intelectuais ainda fazerem a defesa da continuidade desse governo é a obtusidade política, ignorância mesmo e muitos, principalmente alguns artistas (não é o caso da Letícia), por oportunismo, pois se beneficiam direta e indiretamente das benesses do poder federal.

  5. Lendo os comentários, fico realmente impressionada, pois esse governo combateu a corrupção de uma forma nunca antes feita na história desse país! E se 90% do povo fosse contra o governo Dilma, ela nem teria sido eleita! Basta ver as manifestações de apoio ao governo e contra o golpe, que mesmo contra a vontade da mídia golpista, firam magníficas!
    Mesmo achando esse governo bem aquém das expectativas, no que tange o incremento aos movimentos sociais, reforma agrária, sou a favor do Estado de Direito e o impeachment é inconstitucional nesse caso!

Comentários encerrados.

Top