Os 25 Anos do Projeto Golfinho Rotador

 

golfinho rotador

Em 23 de agosto de 2015, o Projeto Golfinho Rotador completa 25 anos de existência, um marco na conservação marinha brasileira pela tenacidade e dedicação no uso da estratégia do desenvolvimento sustentável de Fernando de Noronha para conservar o comportamento natural dos golfinhos-rotadores no mais cobiçado destino turístico marinho do Brasil.

O sucesso do Projeto Golfinho Rotador só foi possível por ser resultado da parceria do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade/Ministério do Meio Ambiente, com o Centro Golfinho Rotador e com a Petrobras, que por meio do Programa Petrobras Socioambiental é o patrocinador oficial.

RESULTADOS SIGNIFICATIVOS DO PROJETO GOLFINHO ROTADOR

Os principais resultados significativos das ações do Projeto Golfinho Rotador foram:

  • Manter constante o grau de conservação de Fernando de Noronha de modo que a visita dos golfinhos-rotadores no Arquipélago permanecesse praticamente a mesma desde 1990 (média de 310 golfinhos em 95% dos dias do ano), quando foi iniciado o projeto, apesar da atividade turística sobre os golfinhos ter crescido 10 vezes, mantendo Fernando de Noronha como o local no mundo com maior concentração regular de golfinhos.

  • Descobrir a existência de uma população de rotadores com padrões genéticos exclusivos no mundo.

  • Envolver todos os 500 estudantes da Escola Arquipélago de Fernando de Noronha nas nossas ações de Educação Ambiental.

  • Contribuir para a diminuição da Pegada Ecológica de Fernando de Noronha e com a Gestão Sustentável do Sistema de Hospedarias Domiciliares de Fernando de Noronha.

  • Formar condutores de visitantes do Parque Nacional Marinho de FN, por meio do Programa de Capacitação Profissional.

  • Envolver 100% dos atletas do esporte mais praticado em Fernando de Noronha por meio do Circuito de Surf Local Projeto Golfinho Rotador/ Petrobras.

  • Divulgação na mídia local, nacional e científica o fenômeno golfinhos de Noronha e a necessidade da conservação marinha.

A MISSÃO DO PROJETO GOLFINHO ROTADOR

A missão do Projeto Golfinho Rotador é desenvolver ações de pesquisa, educação ambiental, envolvimento comunitário e sustentabilidade em prol da conservação dos golfinhos-rotadores, da biodiversidade marinha e de Fernando de Noronha. Estas ações são executadas por meio de quatro programas: pesquisa, educação ambiental, envolvimento comunitário e sustentabilidade.

O Programa Pesquisa

O Programa de Pesquisa consiste no estudo da história natural dos golfinhos-rotadores por meio de sete subprogramas: ocupação e distribuição de cetáceos, ecologia comportamental, catalogação dos golfinhos, caracterização genética, interação do turismo com os golfinhos, comportamento trófico e Rede de Encalhes de Mamíferos Aquáticos. Os pesquisadores somam mais de 6 mil dias e 50.000 horas de observação e 1.500 mergulhos com golfinhos em Fernando de Noronha. Os resultados das pesquisas foram publicados em 3 livros, 4 capítulos de livros, 4 teses de doutorado, 7 dissertações de mestrado, 32 trabalhos de conclusão de curso, 25 trabalhos científicos publicados e 150 trabalhos apresentados em eventos científicos.

O Programa Educação Ambiental

O Programa de Educação Ambiental, realizado em parceria com Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha, Área de Proteção Ambiental de Fernando de Noronha e Escola Arquipélago de Fernando de Noronha, tem com foco a temática marinha e as inter-relações ecológicas deste ecossistema com o cotidiano da população local e dos visitantes, atuando por meio de oficinas ambientais temáticas e orientação à visitação turística. Foram realizados atendimentos a mais de 350 mil turistas por meio de orientação em campo e palestra. Para os estudantes noronhenses, foram realizadas mais 650 oficinas teóricas e práticas de educação ambiental, atendendo a mais de 8,5 mil alunos.

O Programa Envolvimento Comunitário

O Programa de Envolvimento Comunitário objetiva estimular o desenvolvimento sustentável de Fernando de Noronha, promovendo capacitação profissional, apoiando iniciativas culturais e esportivas e estimulando a representatividade política dos ilhéus.

A capacitação ocorre por meio da realização de cursos profissionalizantes em ecoturismo visando inserir os ilhéus no mercado de ecoturismo. Os cursos de formação em profissões relacionadas ao turismo local, como condutor de visitantes no Parque Nacional Marinho de Fernando de Noronha, instrutor de mergulho autônomo e conversação em inglês, são ministrados gratuitamente. Entre 2005 e 2013, o Projeto Golfinho Rotador realizou 63 cursos profissionalizantes em ecoturismo, totalizando 3.983 inscritos.

O Projeto Golfinho Rotador patrocina continuamente algumas das principais manifestações culturais e esportivas de Fernando de Noronha, como o Grupo Cultural Dona Nanete, o Grupo Maracatu Nação Noronha e a Associação de Surf de Fernando de Noronha.

Outra ação de destaque do Projeto Golfinho Rotador é o incentivo ao protagonismo juvenil e à formação de lideranças locais, por meio do apoio ao Grupo ComVida da Escola Arquipélago de Fernando de Noronha e da realização de oficinas de capacitação para lideranças locais.

O Programa Sustentabilidade

O Programa de Sustentabilidade do Projeto Golfinho Rotador, além de estar no dia a dia da equipe, também atua junto aos prestadores de serviços turísticos em Fernando de Noronha, especialmente aos meios de hospedagem, para implantação de um Sistema de Gestão Sustentável.

A sustentabilidade institucional do Projeto Golfinho Rotador é guiada por nossa Política de Sustentabilidade, que atua em duas frentes: instalações e gestão. Priorizamos processos construtivos e materiais sustentáveis em nossas instalações, como: otimização da luz natural, da ventilação natural e da captação de água de chuva; uso de madeira certificada e de reflorestamento; projeto arquitetônico minimizando a impermeabilização do solo; uso de telhado branco com telhas de embalagem tetrapak reciclado. Implementamos um Sistema de Gestão Sustentável com: separação dos resíduos sólidos e produção de compostagem; uso de produtos de limpeza biodegradáveis e elaborados pela própria equipe a partir de componentes naturais; monitoramento e registro do consumo de energia elétrica, água e da produção de resíduos; consumo racional de energia elétrica, com aquecimento solar para a água dos chuveiros, utilização de equipamentos, acessórios e lâmpadas de baixo consumo energético; projeto paisagístico e de recomposição ambiental com plantas endêmicas e frutíferas; emprego das podas e varrição do jardim na compostagem; política de compra de produtos e serviços ecologicamente corretos e que ajudem a promover uma sociedade mais justa e saudável.

Para minimizar a pegada ecológica da ocupação humana em Fernando de Noronha, o Projeto Golfinho Rotador oferece consultoria gratuita em gestão sustentável aos meios de hospedagem do Sistema de Hospedarias Domiciliares de Fernando de Noronha, buscando a melhoria dos indicadores relacionados à gestão do uso da água, eficiência energética, resíduos sólidos, efluentes líquidos, insumos, trabalho e renda, qualidade e legislação.

OS GOLFINHOS-ROTADORES DE NORONHA

Os golfinhos-rotadores de Noronha, que têm o nome científico de Stenella longirostris, vivem na Cadeia de Montanhas Submarina de Fernando de Noronha, uma área de forma retangular com tamanho aproximado de 500 km por 200 km.

Nas duas áreas de maior concentração e frequência de golfinhos-rotadores no Arquipélago de Fernando de Noronha, que são a Baía dos Golfinhos e Entre Ilhas, nota-se que os rotadores desenvolvem comportamentos vitais para seu ciclo biológico, com exceção de alimentação. Eles são vistos descansando, em atividades sexuais, cuidando dos filhotes e de guarda à tubarões. O comportamento de alimentação dos rotadores, que nunca foi observado na Baía dos Golfinhos ou na Entre Ilhas, normalmente ocorre no Mar de Fora.

O principal uso dos golfinhos-rotadores de Fernando de Noronha é como área de descanso, que consiste em um lento movimento ascendente-descendente entre a superfície e o fundo da enseada, com os golfinhos movimentando-se lentamente. Os golfinhos se dividem em subgrupos de 3 a 25 indivíduos e realizam um zig-zag vertical, com um lento deslocamento horizontal.

No comportamento de cópula, cada fêmea é cortejada por um a dez machos simultaneamente, que nadam em formação triangular atrás dela. O macho mais próximo da fêmea posiciona-se por debaixo da fêmea, que está de ventre para cima, e copula, procedimento repetido sucessivamente pelos machos do subgrupo.

A amamentação é observada diariamente, quando os filhotes se posicionam ao lado de sua mãe e esfregam ou dão pequenas batidas com a ponta do rostro na fenda mamária da fêmea, de onde o leite é expelido.

A estratégia sexual dos rotadores de Noronha resulta em uma estrutura social muito fluída, na qual inexiste a figura paterna, os laços familiares são derivações da relação mãe-filha(o) e irmã(o)-irmã(o). Segundo esses laços, os golfinhos agrupam-se em unidades familiares, sobre as quais se associam os machos adultos, que flutuam entre as diferentes células familiares.

Observamos em Fernando de Noronha que alguns comportamentos específicos são executados preferencialmente por machos adultos, o que, para animais que tem estrutura social complexa como os rotadores, são definidos como atividades de proteção realizadas pelos indivíduos que estão “de guarda” protegendo o grupo de ameaças, enquanto que os demais indivíduos podem se dedicar a outras atividades, como descanso, reprodução e cuidado parental. Estes comportamentos por nós classificados “de guarda” são: enfrentar tubarões, acompanhar embarcações, cercar mergulhadores e executar atividades aéreas. Os rotadores que estão “de guarda” são os líderes do momento, que, quando deixam de estar “de guarda” executam outro comportamento, como descanso, deixando a liderança para outro rotador, que assumirá a guarda. Sendo por isto, a liderança é temporária e compartilhada.

O sistema de comunicação aéreo é composto por diversos padrões de saltos e batidas com partes do corpo na superfície do mar, que produzem turbulências características quando o golfinho reentra na água. As atividades aéreas estão relacionadas com o comportamento dos golfinhos. As atividades aéreas verticais apresentam associação com o agrupamento e coesão dos subgrupos comportamentais, enquanto que as horizontais, com os deslocamentos.

Ao longo dos anos de estudo, tem-se observado a diminuição do tempo de permanência dos rotadores na Baía dos Golfinhos e o aumento da presença deles na Baía de Santo Antonio e Ilhas Secundárias.

José Martins da Silva Júnior

Coordenador do Projeto Golfinho Rotador

www.golfinhorotador.org.br

 

in EcoDebate, 20/08/2015


[ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

Top