Participantes de seminário sobre meio ambiente, direitos humanos e energia propõem ações para o setor elétrico

 

energia

 

Iniciativas sugerem maior democratização e integração dos processos de grandes empreendimentos

Os participantes do Seminário “Meio Ambiente, Direitos Humanos e Energia”, realizado na Procuradoria Geral da República, em Brasília, divulgaram carta aberta com propostas para garantir democratização do planejamento do setor elétrico, considerando a compreensão integral do meio ambiente e os saberes tradicionais. O evento – que reuniu representantes do MPF, instituições ambientais, pesquisadores acadêmicos – debateu a plataforma de cenários energéticos, geração de energia eólica, bacias hidrográficas, estudos de impactos ambientais, entre outros assuntos.

A carta divulgada pelo grupo propõe a construção de modelo de avaliação de grandes empreendimentos que integre as variáveis físicas, bióticas e socioculturais e suas inter-relações, numa compreensão integral do ambiente, considerando o todo e não apenas partes isoladas.

Segundo os especialistas, é crucial que a população se envolva nos processos decisórios de modo que “a participação não seja reduzida a um esforço de construção de consensos em torno da implantação do empreendimento, servindo também para prevenir e revelar violações de direitos vivenciadas pelos diferentes setores da sociedade, em uma perspectiva plural”.

O documento ainda propõe que, nas avaliações de impactos ambientais, sejam considerados o saber antropológico e, especialmente, o saber tradicional, e não apenas o técnico. E que eles não sejam “silenciados” quando diferirem do técnico.

Fazer com que o empreendimento contribua para a sustentabilidade deve ser uma exigência do órgão ambiental. Além disso, tanto o órgão ambiental quanto o empreendedor devem adotar a hierarquia de mitigação: 1º evitar impactos e prevenir riscos; 2º reduzir ou minimizar riscos e impactos adversos; 3º reparar impactos adversos depois de sua ocorrência; 4º compensar impactos adversos que não puderem ser evitados ou satisfatoriamente reduzidos, prevê a carta.

Acesse aqui a íntegra do documento.

Informações da Procuradoria-Geral da República

Publicado no Portal EcoDebate, 25/06/2015


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

Um comentário em “Participantes de seminário sobre meio ambiente, direitos humanos e energia propõem ações para o setor elétrico

  1. Se cada micro, pequena ou grande propriedade produzir sua própria energia elétrica solar ou eólica e estiver ligado à rede, para poder produzir eletricidade em excesso, o problema ficará resolvido. Mas há que dar incentivos aos micro-produtores de energia e não onerá-los com taxas e impostos.

Comentários encerrados.

Top