Sete espécies de mini sapos são descobertas na Mata Atlântica

 

Pertencentes ao gênero Brachycephalus, elas foram encontradas na Serra do Mar, entre o Paraná e Santa Catarina

 

Sete espécies de mini sapos são descobertas na Mata Atlântica

 

Pesquisadores do Sul do Brasil acabam de descobrir sete novas espécies de sapos, com tamanhos que variam de 0,6 mm a um centímetro. Os anfíbios descobertos são endêmicos da Mata Atlântica e foram encontrados no alto das montanhas da Serra do Mar, entre o Paraná e Santa Catarina. Altamente sensíveis às mudanças climáticas, os minúsculos sapos já são considerados ameaçados de extinção.

A oficialização das descobertas aconteceu nesta quinta-feira (4), com a publicação de um artigo na revista científica PeerJ. Das sete espécies, uma foi encontrada no Paraná – Brachycephalus leopardus – no alto da Serra de Araçatuba, município de Tijucas do Sul. As demais foram encontradas em Serras nos municípios de Garuva, Joinville, Ilhota e Blumenau, em Santa Catarina.

As sete novas espécies descobertas fazem parte do gênero Brachycephalus, comum em regiões de floresta densa da Mata Atlântica, no alto das montanhas. O fato de viverem no topo dos morros, somado à sensibilidade dos anfíbios às mudanças climáticas, torna as novas espécies potencialmente ameaçadas de extinção. Os sapinhos descobertos têm tamanho variado, com as fêmeas sendo um pouco maiores que os machos. Apesar de os seus cantos serem facilmente reconhecidos, os exemplares das novas espécies não são vistos com facilidade, pois vivem escondidos sob as folhas acumulados no solo da floresta.

Comemoração e preocupação

“A revelação das novas espécies é o melhor presente que poderíamos receber no dia dedicado ao Meio Ambiente”, comemora Malu Nunes, diretora executiva da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, ONG que financiou o projeto e que foi homenageada no nome de uma das espécies descobertas, a Brachycephalus boticario.

Ela ressalta ainda que essas descobertas constituem um passo importante para a ciência. “Um novo registro permite a implementação de medidas de conservação para um novo animal até então desconhecido e, por isso mesmo, não priorizado em políticas públicas de conservação”, completa.

No caso das novas espécies, por conta da situação delicada em que se encontram, elas já estão incluídas no Plano de Ação Nacional para a Conservação dos Anfíbios e Répteis Ameaçados da Região Sul do Brasil. O documento do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) inclui ações prioritárias de conservação. Das espécies descobertas, apenas uma ocorre em área protegida por uma unidade de conservação.

Apesar das preocupações, os cientistas responsáveis pelas descobertas também comemoram e indicam a possibilidade de novas espécies serem registradas. “Essas descobertas revelam que ainda conhecemos muito pouco da biodiversidade brasileira e que o conjunto de montanhas da Serra do Mar é um verdadeiro laboratório de formação de novas espécies”, comemora o pesquisador Marcos Bornschein, estudioso do gênero Brachycephalus desde a década de 1990 e vinculado à Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Ao lado dele, também participaram do desenvolvimento da pesquisa os biólogos Márcio Pie, da Universidade Federal do Paraná (UFPR), e Luiz Fernando Ribeiro, do Mater Natura – Instituto de Estudos Ambientais.

Homenagem

Além do anfíbio Brachycephalus boticario, cujo nome faz menção à instituição apoiadora do projeto que viabilizou sua descoberta, outra espécie também presta uma homenagem. É Brachycephalus mariaeterezae, batizada em homenagem à conservacionista brasileira Maria Tereza Jorge Pádua, que também é conselheira da Fundação Grupo Boticário.

As outras cinco espécies descobertas são: Brachycephalus olivaceus, Brachycephalus auroguttatus, Brachycephalus verrucosus, Brachycephalus fuscolineatus e Brachycephalus leopardus.

Publicado no Portal EcoDebate, 09/06/2015


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

Top