MT Unidade de recolhimento de embalagens de agrotóxicos é interditada

 

Empregados foram flagrados com máscaras impróprias e vestimentas que não eram devidamente higienizadas, expostos a risco de contaminação

 

veneno

 

Liminar interditou estabelecimento da Associação dos Engenheiros Agrônomos de Sapezal (Aeasa), em Mato Grosso, por submeter trabalhadores a risco de contaminação por agrotóxicos. A decisão foi dada pelo juiz Marcus Vinícius Claudino Oliveira, da Vara do Trabalho da cidade, em ação do Ministério Público do Trabalho (MPT). A Aeasa é a única unidade de recolhimento de embalagens vazias de pesticidas no município, recebendo, por ano, mais de 600 toneladas desse tipo de recipiente.

No local, foram encontrados empregados com máscaras impróprias e vestimentas que não eram devidamente higienizadas. As roupas também não estavam em quantidade suficiente para a troca ou substituição em caso de derramamento de agrotóxicos. A fiscalização foi feita durante visita para acompanhar o Projeto de Pesquisa “Avaliação da Contaminação Ocupacional, Ambiental e em Alimentos por Agrotóxicos na Bacia do Juruena-MT”, desenvolvido pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) em parceria com o MPT.

“Há a afirmação de que os trabalhadores fazem o descarregamento e a seleção das embalagens manualmente e visualmente separam as embalagens que supõem não terem passado pela tríplice lavagem, que é a forma adequada de ‘descontaminar’ as embalagens dos agrotóxicos”, afirma o procurador do Trabalho Leomar Daroncho, que ajuizou a ação cautelar.

Com a decisão, todas as atividades ficarão suspensas até que a entidade adote as devidas medidas de saúde e segurança do trabalho. Em caso de descumprimento, será cobrada multa de R$ 30 mil, acrescida de R$ 3 mil por trabalhador flagrado em situação ilícita e por dia em que a condição persistir.

Responsabilidade – Na ação, o MPT pede também a responsabilização das empresas Basf Agricultural Specialties Ltda., Du Pont do Brasil, Monsanto do Brasil, Nufarm Indústria Química e Farmacêutica, Syngenta Proteção de Cultivos, Adama Brasil, Nortox e FMC Química do Brasil, fabricantes e importadores do produto.

Segundo o procurador do Trabalho Leomar Daroncho, a medida tem sustentação na Lei nº 12.305/2010, que define a responsabilidade pelo recolhimento das embalagens de agrotóxico como sendo de toda a cadeia produtiva, o que inclui fabricantes de agrotóxicos e também importadores, distribuidores, revendedores e comerciantes.

“Sabendo da nocividade dos agrotóxicos para o homem, o que se busca não é a interrupção da cadeia produtiva, o que se busca são condições mínimas de segurança aos trabalhadores inseridos nessa cadeia, que representa a parte mais frágil na engrenagem. O que se busca é a adequação do ambiente de trabalho aos trabalhadores e não o contrário”, concluiu.

Processo 0000040-43.2015.5.23.0146

Informações: MPT em Mato Grosso

Publicado no Portal EcoDebate, 20/02/2015


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

Top
Betway Casino Roulette Image Banners
Betway Casino Roulette Image Banners