Países com decrescimento populacional, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

 

decrescimento populacional

 

[EcoDebate] O crescimento populacional foi a norma na maioria dos países do mundo, nos últimos 200 anos. Em 1927 a população mundial era de 2 bilhões de habitantes, chegou a 4 bilhões em 1974 e deve atingir 8 bilhões em 2025. Quadruplicando em 100 anos. Mas por trás deste alto crescimento houve uma grande redução das taxas de fecundidade que vai ter grande impacto no século XXI.

Embora ainda existam países com elevado crescimento da população, nas próximas décadas vai haver incremento do número de países que estarão em situação de declínio populacional. Entre 2005 e 2010 um pequeno número de países apresentou decrescimento da população e a lista não é maior devido à migração. Todavia, no final do corrente século, cerca de 60% dos países devem apresentar decrescimento do número de habitantes, indicando o fim do crescimento demográfico no mundo.

Em um total de 154 países com mais de um milhão de habitantes, havia 15 países (9,7% do total de 154 nações) que apresentaram um declínio de 4,251 milhões de habitantes entre 2005 e 2010, o que representou 0,06% do total da população mundial de 6,896 bilhões de habitantes em 2010. Os principais países com declínio neste período foram: Rússia e Ucrânia, além de outros países menores do Leste Europeu.

Segundo a projeção média da Divisão de População da ONU, 17 países (11% do total de 154 nações) devem apresentar um declínio de 5,527 milhões de habitantes entre 2015 e 2020, representando 0,07% da população mundial de 7,657 bilhões de habitantes em 2020. Além de Rússia e Ucrânia, os principais países com declínio neste quinquênio serão: Cuba, Alemanha e Japão.

Entre 2025 e 2030 o número de países com declínio da população deve subir para 30 (19,5% do total de 154 nações), apresentando um declínio de 12,076 milhões de habitantes, equivalente a 0,15% do total da população mundial de 8,321 bilhões de habitantes em 2030. A grande novidade entre os principais países com declínio populacional, neste quinquênio, será o início do forte declínio demográfico da China.

Entre 2035 e 2040 o número de países com declínio da população deve subir para 38 (24,7% do total de 154 nações), apresentando um declínio de 33,190 milhões de habitantes, equivalente a 0,37% do total da população mundial de 8,874 bilhões de habitantes em 2030. Na lista se inclui países como: Itália, Holanda, Polônia, Portugal, Jamaica, Porto Rico, Coreia do Sul, Gâmbia, etc.

Entre 2045 e 2050 o número de países com declínio da população deve subir para 49 (31,8% do total de 154 nações), apresentando um declínio de 53,478 milhões de habitantes, equivalente a 0,57% do total da população mundial de 9,306 bilhões de habitantes em 2030. O Brasil, Vietnã e o Irã, entre outros, passam a fazer parte dos países com declínio populacional.

No último quinquênio do século, 2095-2100, o número de países com declínio da população deve subir para 91 (59,1% do total de 154 nações), apresentando um declínio de 96,912 milhões de habitantes, equivalente a quase 1% do total da população mundial de 10,125 bilhões de habitantes em 2100. A maioria dos países do mundo entrarão no clube decrescentista, tais como Índia, Indonésia, Paquistão, Bangladesh, México, etc.

Na segunda metade do século XXI, o declínio populacional deve passar a ser a norma (com exceção dos países muito pobres e com baixo nível de cidadania) e o mundo vai necessitar se preparar para uma situação de uma demografia em decrescimento. Será uma configuração sem precedentes e que vai trazer inúmeros novos e diferentes desafios.

José Eustáquio Diniz Alves, Colunista do Portal EcoDebate, é Doutor em demografia e professor titular do mestrado em Estudos Populacionais e Pesquisas Sociais da Escola Nacional de Ciências Estatísticas – ENCE/IBGE; Apresenta seus pontos de vista em caráter pessoal. E-mail: jed_alves@yahoo.com.br

 

Nota da Redação: Sobre o mesmo tema leia, também:

Os 40 países com maior decrescimento populacional entre 2020 e 2100, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

Famílias de filho único, decrescimento populacional e regeneração dos ecossistemas, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

A queda da fecundidade na China e o decrescimento populacional, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

A contribuição do decrescimento populacional para o meio ambiente no século XXI, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

O decrescimento econômico e populacional: uma realidade provável? artigo de José Eustáquio Diniz Alves

O decrescimento demoeconômico e o trilema da sustentabilidade, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

As vantagens da fecundidade abaixo do nível de reposição, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

EcoDebate, 05/04/2013


decrescimento populacional
[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top