Empresa britanica inicia controversa operação de exploração de minerais nas profundezas dos oceanos

 

exploração de minerais nas profundezas dos oceanos
Foto: BBC

 

Na semana passada, uma empresa britânica se tornou a mais recente empresa a anunciar a sua intenção iniciar mineração no fundo do mar. No entanto, ainda não está claro como a mineração em águas produndas irá afetar os oceanos.

UK Seabed Resources, uma subsidiária da empresa aeroespacial e de defesa Lockheed Martin, irá explorar uma área de 58 mil quilômetros quadrados do Oceano Pacífico. A empresa quer utilizar máquinas autónomas e operadas remotamente para coletar nódulos polimetálicos, que podem ser ricos em cobre, níquel, manganês e minerais de terras raras.

A empresa diz que a mineração do fundo do mar para extração destes nódulos é ‘ecologicamente correta’. Mas especialistas dizem que nós não sabemos ainda quais serão os impactos ambientais e eventuais danos de longo prazo.

Algumas áreas do fundo do mar são ecologicamente sensíveis e únicas, sendo que atividades que possam perturbá-las poderiam ser desastrosas, diz Euan Harvey , da Universidade da Austrália Ocidental em Crawley. Ele diz que as empresas devem fazer a lavra experimental de forma estritamente controlada, para estudar como e se o ecossistema se recupera.

No entanto, Charitha Pattiaratchi , também da Universidade da Austrália Ocidental, está cautelosamente otimista. Ele diz que os organismos que vivem no fundo do mar profundo são muito resistentes, tendo evoluído sob alta pressão, sem luz e em sedimentos regularmente perturbados por tempestades violentas. Pattiaratchi tem estudado os efeitos da perfuração ativa de plataformas de petróleo no fundo do mar . Segundo ele, um mês após o término da perfuraçãoa vida selvagem se recuperou a ponto de que ele não podia distinguir áreas que foram perfurados em áreas que não eram.

Há outros riscos potenciais, diz Joanna Parr da Pesquisa Científica e Organização Industrial, em Sydney, Austrália. Por exemplo, a mineração poderia alterar o comportamento das correntes oceânicas, alterando, inclusive, a topografia do fundo do mar.

EcoDebate, 20/03/2013, com informações de Michael Slezak, do New Scientist


[ O conteúdo do EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao EcoDebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Alexa

Top