Ambiente por Inteiro: Verdade verde, artigo de Efraim Rodrigues

[EcoDebate] De vez em quando um empresário resolve fazer um mega-show pela conservação do planeta, por um mundo melhor ou pela causa mais à mão. Em breve teremos baile funk em prol da educação sexual, semana de caça para a conservação das espécies e distribuição de TVs pela leitura.

A coisa começou no milênio passado com os jantares beneficentes para crianças famintas. Apesar do paradoxo, os resultados concretos fizeram a técnica multiplicar-se, mas em suas versões recentes falta o fundamental: prestação de contas.

O SWU é o evento do momento. Recomendo uma visita ao site com espírito crítico para aprender com as derrapadas ambientais. Ontem estava lá que “demos preferência para materiais de baixo impacto na construção” Para mim isto significa “deixaremos de fazer o show se não encontrarmos materiais adequados”. E para voce ? E para eles ? Hoje encontrei o repórter SWU dizendo que guardanapo deve ser descartado junto com todos papéis.

Manifestações culturais devem ser estimuladas e elas valem o impacto ambiental que causam, mas assim como os empresários, devemos manter a contabilidade precisa. Por melhor que seja o site ou o falatório, gastos não se transformarão em lucros. Uma fileira de tambores para coletar lixo reciclável nem de longe dá a este evento a chancela de “verde”. Talvez, de acordo com a lei.

Além do SWU também a Suzano Papel e Celulose tenta transmutar passivos ambientais na base da conversa. A revista Época de 20/09 traz imensa matéria com empresas (anunciantes, diga-se de passagem…) candidatas ao prêmio Época de Mudanças Climáticas.

Tentar convencer que um plantio de eucalipto no Sul da Bahia é positivo pelo seu potencial fixador de carbono é mentiroso. Este é o local de maior diversidade arbórea do mundo. Se a Suzano realmente desejasse cooperar para a sustentabilidade do planeta traria a verdade à tona. Produzir papel causa impacto ambiental, muitos aliás. Estamos tentando produzir um papel de menor impacto já que a população não consegue deixar de usá-lo. Os que são contra que comecem não usando papel !

Outros candidatos são a Mineradora Vale querendo maquiar 1,5 milhão de ha de palma na Amazônia, ou o Banco Itaú faturando até com sua atualização informática, dizendo que os seus novos monitores LCD consomem menos energia que os CRT. O Itaú merece agora um prêmio por tentar economizar na conta de luz e nos processos trabalhistas ?

Mentiras travestidas de “gerenciamento da informação” exigirão perspicácia do público para percebê-las, porque as empresas compram a mídia com seus anúncios, incluindo os colunistas. Algumas até de maneira pouco sutil como tenho percebido agora que esta coluna teve sua divulgação ampliada.

Não acreditem em ninguém, principalmente em mim !

Efraim Rodrigues, Ph.D. (efraim@efraim.com.br) é Doutor pela Universidade de Harvard, Professor Associado de Recursos Naturais da Universidade Estadual de Londrina, consultor do programa FODEPAL da FAO-ONU, autor dos livros Biologia da Conservação e Histórias Impublicáveis sobre trabalhos acadêmicos e seus autores. Também ajuda escolas do Vale do Paraíba-SP, Brasília-DF, Curitiba e Londrina-PR a transformar lixo de cozinha em adubo orgânico e a coletar água da chuva

EcoDebate, 21/10/2010



[ O conteúdo do EcoDebate é “Copyleft”, podendo ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Top