Ibama fiscaliza desmatamentos e queimadas ilegais na Caatinga Cearense

A Superintendência do Ibama no Ceará e seus escritórios, com o apoio da superintendência da Paraíba e da Divisão de Proteção Ambiental de Brasília, realizam a Operação São José que atua prioritariamente no Bioma Caatinga e tem como objetivo coibir desmatamentos e queimadas ilegais, fiscalizar Planos de Manejo e consumidores finais de lenha. A operação acontece num momento em que todos estão voltados para os problemas e desafios que enfrentam as regiões áridas e semiáridas do planeta, na Segunda Conferência Internacional sobre Clima, Sustentabilidade e Desenvolvimento Sustentável em Regiões Semiáridas – ICID 18, que ocorreu na cidade de Fortaleza.


A Operação São José é realizada em todo Nordeste, na região do semi-árido brasileiro onde há caatinga. Até o momento, foram fiscalizados alvos nos Municípios de Quixeramobim, Quixadá, Senador Pompeu e Mombaça, totalizando 11 autos de infração, mais de R$ 205 mil reais em multas, nove termos de apreensão, dois embargos e duas notificações.

Um dos problemas recorrentes, encontrado pela equipe, é o comércio de Documento de Origem Florestal – DOF. Este documento é necessário para informar o local de extração da madeira e todo seu percurso até o destino final.

A operação se concentra nos grandes consumidores de madeira, como as cerâmicas, o Polo Gesseiro do Araripe, a secagem de grãos do agronegócio e as carvoarias, que também devem apresentar o DOF. É preciso ressaltar que toda esta madeira nativa da Caatinga é transformada em lenha, a maior matriz energética nesta região.

Texto de Mariângela Bampi, Ascom Ibama/CE, publicado pelo EcoDebate, 26/08/2010

[ O conteúdo do EcoDebate é “Copyleft”, podendo ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Top