Impactos ambientais do turismo ecológico, artigo de Roberto Naime

Prof. Roberto Naime
Prof. Roberto Naime

[EcoDebate] O turismo ecológico é conceitulmente entendido como uma forma de viajar que incorpora tanto o compromisso com a proteção da natureza como a responsabilidade social dos viajantes com o meio visitado. O turismo ecológico tem contribuído para mitigar os impactos negativas das atividades turísticas sobre as localidades visitadas.

O turismo ecológico produz importantes impactos positivos para a atividade turística. Contribui para a criação de áreas, programas e entidades de proteção ambiental. Ajuda a produzir campanhas e programas de educação ambiental para crianças, adultos, turistas e moradores das localidades turísticas.


Auxilia no desenvolvimento de programas de “orgulho étnico”. As comunidades receptoras passam a sentir orgulho da beleza e originalidade dos recursos naturais da sua localidade e das características culturais de sua comunidade. Passam a fiscalizar as ações predatórias e atuar como guias turísticos.
O engajamento de ambientalistas nos programas de ecoturismo produz guias comprometidos e instrutores na orientação e educação ambiental dos turistas e comunidades locais. Estes ambientalistas muitas vezes tornam-se proprietários e administradores dos seus próprios “lodges”.

Os impactos negativos das atividades ecoturísticas são muito parecidos com os do turismo em geral. Poluição sonora, do ar, dos solos e das águas através do lançamento de efluentes “in natura”, na ausência de estruturas de saneamento básico. Nesta dimensão também se destaca a acumulação de resíduos sólidos (lixo) em vários locais.

O uso de sabonetes e detergentes em rios e cascatas compromete a qualidade das águas e a sobrevivência de peixes ou da vegetação aquática em geral. Também podem ocorrer contaminações de fontes e mananciais hídricos.

Também são impactantes coletas de corais do mar, danificação de cavernas com estalactites e estalagmites em área de grutas calcáreas. Pinturas e rasuras em rochas, cavernas ou grutas onde os turistas querem registrar sua passagem. Alterações de temperatura e umidade de cavernas, com aparecimento de fungos.
Pode ocorrer erosão de encostas por traçados inadequados ou falta de drenagem nas trilhas, a caça e pesca ilegais, incêndios acidentais ou criminosos, desmatamento para a construção de infra-estrutura. Turistas podem alimentar animais com produtos com conservantes ou outras substâncias estranhas à dieta silvestre habitual, que podem provocar desde doenças até a morte de indivíduos da fauna silvestre.

Finalizando, ocorre a construção de equipamentos de infra-estrutura cuja arquitetura, materiais ou estilos podem contrastar demais com o meio natural. E também são registradas descaracterizações das tradições e dos costumes das comunidades receptoras, cujos ritos e mitos muitas vezes são transformados em shows para turistas.

A atividade turística em geral apresenta um grande potencial de crescimento, mas implica necessariamente em obras de infra-estrutura e ações de estudos e planejamentos que viabilizem intervenções relevantes na organização da atividade. A simples ostentação involuntária de tempo e dinheiro, a especulação de diversas formas e a migração de populações locais ou regionais constituem um problema a ser administrado para evitar conflitos entre os turistas e a comunidade receptora.

Roberto Naime, Professor no Programa de pós-graduação em Qualidade Ambiental, Universidade FEEVALE, Novo Hamburgo – RS, é colunista do EcoDebate.

EcoDebate, 10/08/2010

[ O conteúdo do EcoDebate é “Copyleft”, podendo ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, ao Ecodebate e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta clicar no LINK e preencher o formulário de inscrição. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

3 comentários em “Impactos ambientais do turismo ecológico, artigo de Roberto Naime

  1. É inegável que toda atividade turística gera impactos no meio ambiente, contudo muitos dos impactos negativos mencionados neste artigo, se ocorrem é porque está se fazendo qualquer coisa, menos ecoturismo.

    Poluição sonora, acúmulo de resíduos sólidos, coleta de corais?! Isto não é ecoturismo!

    Não gosto de conceitos mas já que existem, segundo o Ministério do Turismo entende-se por ecoturismo: “é um segmento da atividade turística que utiliza, de forma sustentável, o patrimônio natural e cultural, incentiva sua conservação e busca a formação de uma consciência ambientalista através da interpretação do ambiente, promovendo o bem-estar das populações.”

    Na prática nem tudo que dizem que é ecoturismo o é de fato.

  2. Chega de achismos, sabemos que esse tipo de atividade não esta dentro daqueles que mais agridem o meio ambiente, os verdadeiros agressores mascaram toda as informações geradas em todo o País, dificultando nossa luta, apesar de pequena, contra essa desgraça que acaba com nossa qualidade de vida, matando-nos aos poucos.

Comentários encerrados.

Top