Dilma Pac! Pac! artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

[EcoDebate] O presidente Lula agora repete continuamente que “esse país precisa perder a mania de pequenez”. É uma forma de justificar as obras grandiosas que tem orgulho de fazer.

Nesse sentido, o PAC, agora novo PAC, é um conjunto de obras ambíguas. Os investimentos em saneamento e habitação são inquestionáveis do ponto de vista do objetivo, embora possam ser questionados no modo de fazer. Os investimentos em água e luz são contraditórios, porque as obras para pôr água para quem mais necessita deveriam ser outras – adutoras que distribuam a água no semiárido, não a Transposição – e na energia se mantém a velha matriz, não se busca as novas matrizes limpas, mas o reforço das hidroelétricas, agora termoelétricas e energia nuclear. Por outro lado, obras como a Transposição, Belo Monte, barragens do Madeira, são claramente uma loucura governamental, dignas dos Faraós do Egito.

As obras, antes de nada, precisam ser inteligentes, não grandiosas. A inteligência de uma obra está no benefício que ela leva ao povo, particularmente aos mais necessitados, não no seu tamanho. Uma grande obra, se não for inteligente, pode levar ao desastre, como foi a Transamazônica, como promete ser a Transposição do São Francisco.

Além do mais, governar é muito mais que fazer obras. Existe uma dimensão qualitativa nos governos que não se mede em obras, mas na elevação da educação, da ciência, das tecnologias novas, da paz nas cidades, da paz no campo, do trânsito humanizado, na boa alimentação, no ar limpo, na cultura ativada, enfim, em todos esses índices que indicam a felicidade de um povo, não apenas o caixa das empreiteiras e a fatura dos políticos.

Nesse sentido, a candidatura da Dilma, de PAC em PAC, não apresenta até agora nenhum salto qualitativo em relação à era Lula.

Roberto Malvezzi (Gogó), colaborador e articulista do EcoDebate, é Assessor da Comissão Pastoral da Terra – CPT.

EcoDebate, 31/03/2010

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta utilizar o formulário abaixo. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Participe do grupo Boletim diário EcoDebate
E-mail:
Visitar este grupo

3 comentários em “Dilma Pac! Pac! artigo de Roberto Malvezzi (Gogó)

  1. Concordo em gênero, número e grau com o exposto. A famosa comparação de obras tem de ser medida nesses termos,custo.vs.benefício social, e não para empreiteiras. A UHE de Belo Monte, é um absurdo, quando cerca de 7000 MW simplesmente não poderá ser utilizado por 8 meses em média. Ótimo para as empreiteiras e péssimo para investidores (governo e povo). O que deveria ser proposto é uma UHE a fio dágua de cerca de 5000MW, com compensações convincentes aos ribeirinhos.

Comentários encerrados.

Top