APA Costa dos Corais: MPF/AL recomenda cancelamento de licenças para criação de camarão

Com base em norma do Ministério do Meio Ambiente, medida visa à prevenção de danos ambientais

O Ministério Público Federal em Alagoas (MPF/AL) recomendou ao Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA) que providencie o cancelamento de todas as licenças ambientais concedidas a empreendimentos de criação de camarão em cativeiro (carcinicultura) na região da Área de Proteção Ambiental (APA) Costa dos Corais. A concessão de novas licenças também deve ser evitada, sob pena de serem adotadas medidas judiciais pelo MPF, segundo recomendação expedida dia 22 de outubro.

Originada de procedimento administrativo que apurou a existência da atividade de carcinicultura na região, a recomendação menciona duas fazendas identificadas no processo: Boca do Rio, em Maragogi, e São Brás, na Barra de Santo Antônio – ambas no litoral norte do estado. “A atividade de carcinicultura é potencialmente poluidora das águas subterrâneas onde é implantada, além de acarretar risco de contaminação do plâncton – alimento das espécies que habitam a unidade”, afirma a procuradora da República Niedja Kaspary, autora da recomendação.

O principal objetivo da recomendação é fazer cumprir a Instrução Normativa nº 3, de abril de 2008, do Ministério do Meio Ambiente, que suspende as concessões de anuência e autorizações para instalação de novos empreendimentos ou atividades de carcinicultura nas unidades de conservação federais até que o empreendimento ou atividade esteja expressamente previsto no respectivo plano de manejo. Segundo a norma, empreendimentos ou atividades já licenciadas dentro de unidades de conservação terão que retirar as instalações e recuperar áreas em prazo a ser definido pelo Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBio).

Além disso, afirma a procuradora, deliberações das Conferências Nacionais do Meio Ambiente orientam a proibição a empreendimentos de carcinicultura em unidades de conservação costeiras e marinhas a fim de evitar a destruição dos manguezais e das restingas e a poluição dos estuários. “A carcinicultura é sem dúvida uma atividade nociva ao meio ambiente, devido ao desmatamento dos mangues e à grande quantidade de efluentes lançada na água, além do risco de introdução de espécies exóticas predadoras causando desequilíbrio ambiental”, salienta Kaspary.

Costa dos Corais – Criada há 12 anos, a APA Costa dos Corais é a unidade de conservação federal localizada entre Maceió e o município pernambucano de Rio Formoso. Sua principal missão é garantir a conservação dos recifes do coral e de arenito, sua fauna e flora, manter a integridade do hábitat e proteger os manguezais em toda a sua extensão, situados ao logo das desembocaduras dos rios. “Os mangues da região da APA Costa dos Corais são o berçário para as espécies que habitam os recifes de litoral norte. Muitas espécimes de peixes passam sua fase juvenil nos mangues antes de migrar para os recifes”, conclui a procuradora, em sua recomendação.

O IMA terá dez dias, contados a partir do recebimento da recomendação, para manifestar-se sobre o acatamento ou não da recomendação, bem como suas respectivas razões. Embora o atendimento à recomendação não seja obrigatório, o descumprimento da mesma pode acarretar ações judiciais movidas pelo MPF.

* Informe da Procuradoria da República em Alagoas, publicado pelo EcoDebate, 04/11/2009

Nota do EcoDebate: sobre a APA Costa dos Corais sugerimos que leiam, também, as matérias “APA Costa dos Corais: MPF/AL recomenda cumprimento de normas de proteção ao peixe-boi marinho” e “Ação do MPF/AL pede plano de manejo para APA Costa dos Corais“.

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta utilizar o formulário abaixo. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

Participe do grupo Boletim diário EcoDebate
E-mail:
Visitar este grupo

Comentários encerrados.

Top