O peso da agropecuária nas emissões brasileiras é muito mais relevante do que os dados oficiais mostram


Foto: Badaró Ferrari (Operação Boi Pirata II)

Agropecuária vira vilã das emissões de gases no Brasil: O peso do setor agropecuário nas emissões de gases de efeito estufa do Brasil é muito mais relevante do que os dados oficiais mostram. Entre 1994 –ano do último inventário oficial de emissões brasileiras– e 2005, o peso da agricultura e da pecuária aumentou 26,6%.

No mesmo período, a importância relativa do desmatamento, sempre considerado o grande vilão nacional quando o assunto é piora do efeito estufa, cresceu apenas 11%. Reportagem de Eduardo Geraque, da Folha de S.Paulo.

“O Brasil está mudando seu perfil de emissões. Neste contexto, a pecuária começa a se tornar uma grande vilã”, afirma Marcelo Galdos, do Cena (Centro de Energia Nuclear na Agricultura), instituição ligada à Universidade de São Paulo.

Os dados de um estudo ainda inédito, que será publicado na edição de novembro da revista científica “Scientia Agrícola”, foram apresentados na última sexta-feira em São Paulo. O grupo do Cena atualizou os dados setoriais apresentados em 1994. O governo federal está atualizando esse inventário, tendo como ano-base 2000, mas a publicação do material ficou só para o ano que vem.

Em termos relativos, o setor de “processos industriais” foi o que mais cresceu. Entre 1994 e 2005, a taxa é de 73,6%. “Mas cuidado com os números”, diz Galdos. “Mesmo com o crescimento, em termos absolutos, o peso industrial ainda é baixo.”

Ignorada

A importância do peso da agropecuária nas emissões brasileiras é ignorada até pelo Ministério do Meio Ambiente.

Na apresentação feita ao presidente Lula na terça-feira, para tentar alinhavar uma proposta para a reunião do clima em Copenhague (Dinamarca) em dezembro, a importância da agropecuária é considerada praticamente estável no período que vai de 1994 a 2020.

Nenhuma medida foi proposta para diminuir de forma efetiva as emissões da pecuária e da agricultura. Os alvos foram o desmatamento e o setor energético. Pelo estudo da USP, esse último, no mesmo período, cresceu apenas 4,3%.

Nas estimativas feitas pelo grupo da USP, a fermentação que ocorre no estômago dos bois é uma das maiores responsáveis pela emissão dos gases do efeito estufa do setor. O gado emite metano, gás-estufa 21 vezes mais potente que o dióxido de carbono (CO2) na capacidade de reter na atmosfera o calor irradiado pelo planeta. Mas o manejo errado dos solos, sempre muito revolvidos, tem impacto quase tão grande quanto o dos bois.

“No caso da pecuária, muitas vezes se fala na questão do confinamento [dos animais], mas nem é muito isso”, avalia Galdos. Segundo o pesquisador, o caminho para o setor diminuir suas emissões está muito mais no campo técnico.

Pelos estudos da equipe da USP, por exemplo, plantar cana-de-açúcar em áreas de pastagens degradadas é uma boa forma de reter mais carbono no solo. “Mas isso tem de ser muito bem feito. Não adianta nada trocar o pasto por cana e, ao mesmo tempo, empurrar o gado para a floresta e provocar mais desmatamento.”

EcoDebate, 21/10/2009

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário do Portal EcoDebate
Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta utilizar o formulário abaixo. O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

Participe do grupo Boletim diário EcoDebate
E-mail:
Visitar este grupo

2 comentários em “O peso da agropecuária nas emissões brasileiras é muito mais relevante do que os dados oficiais mostram

  1. A SOLUÇÃO é muito SIMPLES, basta que se promovam a SUSBSTITUIÇÃO da Produção agropecuária TRADICIONAL pela Produção Agropecuária ORGÂNICA – isso não é uma UTOPIA ! ! ! !

    Para maiores esclarecimentos recomendo acessar a Reportagem publicada na Internet que poderá ser acessada pelo link que segue.

    http://www.agenciaamazonia.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=459:planta-da-amazonia-ajuda-na-despoluicao&catid=1:noticias&Itemid=316

    Outras informações do que venho desenvolvendo poderá ser encontradas, através de busca utilizando a Palavra Chave: “Missao Tanizaki” “AGUAPÉ”

    MISSAO TANIZAKI
    Fiscal Federal Agropecuário
    Bacharel em Química
    missao.tanizaki@agricultura.gov.br (Com Problemas)
    missao.tanizaki@gmail.com.br (NOVO)
    Equipe BR do AGUAPÉ
    TUDO POR UM BRASIL & MUNDO MELHOR

Comentários encerrados.

Top