UNICEF alerta que o surto global de sarampo é ameaça crescente para crianças

  Surto global de sarampo O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) alertou que casos de sarampo estão surgindo em níveis alarmantes no mundo, puxados por dez países — entre eles o Brasil —, responsáveis por mais de 74% do aumento, e por várias nações que tinham sido previamente declaradas livres da doença. No Brasil, de agosto a setembro de 2018, o governo realizou uma campanha contra pólio e sarampo alcançando

84% das crianças não foram vacinadas contra pólio e sarampo; Vacinação ocorre até o dia 31 de agosto

Pauta: Sarampo, Pólio, Vacina, Saúde Vacinação ocorre até o dia 31 de agosto e o Dia D de mobilização nacional será no próximo sábado (18/8)     Por Amanda Mendes (Agência Saúde / AFN Notícias) Até a última terça-feira (14/8), 3,6 milhões de doses das vacinas contra a pólio e sarampo foram aplicadas em crianças de todo o país. Foram 1.808 milhão de crianças vacinadas contra a pólio e 1.801 milhão contra o sarampo. O quantitativo

Surto de sarampo é resultado do relaxamento da saúde pública e da população

  O surto de sarampo é um relaxamento da saúde pública e da população. Entrevista especial com Marcus Lacerda Por Patricia Fachin, IHU O surto de sarampo no Brasil, especialmente nos estados de Roraima e Amazonas, “é uma surpresa”, diz o infectologista Marcus Lacerda à IHU On-Line. Segundo ele, os especialistas da área da saúde estimavam que “a população brasileira tivesse uma cobertura vacinal alta, de 95%”, o que não parece se confirmar.     Na entrevista a seguir, concedida por telefone à IHU On-Line, Lacerda comenta as várias hipóteses

Orientações da Bio-Manguinhos/Fiocruz para vacinação contra sarampo

    Por Gabriella Ponte (Bio-Manguinhos/Fiocruz) Devido ao surto de sarampo que está acontecendo em vários estados brasileiros, principalmente no Amazonas e Roraima, a recomendação oficial é atualizar a carteira de vacinação para prevenir a doença. Essa orientação serve não só para as crianças, como também adolescentes e adultos, evitando a circulação do vírus no país. Em 2018, a Campanha Nacional de Vacinação contra o sarampo e a poliomielite ocorrerá de 6 a

Aumento de casos de sarampo desperta alerta para os sintomas e a prevenção da doença

  Laboratório de Bioquímica Farmacêutica. Foto: Marcos Santos/USP Imagens   O sarampo é causado por um vírus chamado morbillivírus. É uma doença infecciosa, viral e muito comum na infância. Sua transmissão se dá por secreções das vias respiratórias, como gotículas eliminadas pelo espirro ou pela tosse de pessoas infectadas. O período de incubação, ou seja, o tempo entre o contágio e o aparecimento dos sintomas, é de cerca de doze dias e a

Oh, Tempora, Oh Mores (ó tempos, ó costumes) artigo de Gaudêncio Torquato

    [EcoDebate] Que maravilha! As últimas décadas produziram mais tecnologia para a Humanidade do que todo o resto do século. Assistimos a uma nova ordem de avanços: drones, clones, drogas milagrosas, pílula contra a impotência, controle da Aids, entre outros. Muitas variedades de câncer – o mal dos séculos XX e XXI – já podem ser dominadas. As conquistas disparam em todas as áreas, das comunicações aos transportes, da biogenética à

Cai o investimento público e a produtividade no Brasil submergente, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

    [EcoDebate] O Fundo Monetário Internacional (FMI) divulgou, em 10 de abril de 2019, os dados econômicos e as projeções até 2024 para todos os países e regiões. Os dados para o Brasil não são nada estimulantes e confirmam que o maior país da América Latina está encolhendo e ficando mais pobre em termos relativos. O FMI reduziu as projeções de crescimento da economia brasileira para o período 2019-2022, em relação

EcoDebate: Índice da edição nº 3.161, 2019 [de 07/03/2019]

  Revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394 Informações, notícias e artigos sobre temas socioambientais   Mercantilização ambiental, Parte 1/4, artigo de Roberto Naime Visualizando as interconexões entre os riscos climáticos - Contribuição para a compreensão dos impactos do aquecimento global, por Tokuta Yokohata As mudanças climáticas estão mudando a produtividade da pesca em todo o mundo Metade das mortes de jovens das Américas ocorre por causas evitáveis, como homicídios, acidentes de trânsito e suicídios UNICEF alerta que o surto

Quem tem medo de vacina? Revista Radis aborda queda de cobertura vacinal no Brasil

  Por Luiz Felipe Stevanim (Revista Radis)   Cobertura vacinal no Brasil Pela primeira vez, o Zé Gotinha não sorri. A personagem — conhecida pelo sorriso simpático que a torna cativante para as crianças, desde que foi criada, em 1986 — aparece com a expressão triste e preocupada nas peças publicitárias da campanha divulgada pelo Ministério da Saúde em outubro de 2018. O motivo: as baixas coberturas alcançadas para as principais vacinas do Calendário

Novos vírus circulam no país, enquanto doenças que pareciam superadas ameaçam voltar à cena

    Febre amarela, sarampo, malária e Chagas. Essas são algumas das doenças que voltaram a frequentar o noticiário brasileiro em 2018. Por Maíra Mathias - EPSJV/Fiocruz Mas a lista de mazelas sanitárias é ainda maior. Inclui vírus que foram introduzidos recentemente no país e já causaram enormes estragos, caso de zika e chikungunya. E outros, de nomes igualmente exóticos, que muita gente nunca ouviu falar, como Mayaro e Nilo Ocidental. Mas não só.

Como perceber deficiência auditiva em bebês? Especialista tira as dúvidas

    Não atender ao chamado do próprio nome e não reagir a barulhos são alguns dos sinais que os pais devem ficar atentos, principalmente quando a criança é um bebê. No Brasil, quatro em cada 1.000 crianças nascem com algum tipo de deficiência auditiva. O Teste da Orelhinha, obrigatório por lei e que deve ser realizado nas maternidades, é o primeiro procedimento que pode mostrar se algo não vai bem. A médica otorrinolaringologista,

O desperdício dos momentos finais do bônus demográfico brasileiro, artigo de José Eustáquio Diniz Alves

[EcoDebate] O Brasil vive o seu melhor momento demográfico da história. No passado, era muito alta a razão de dependência (RD) - que mede a relação entre o número de pessoas em idade considerada dependente (crianças, adolescentes e idosos) e o número de pessoas em idade considerada produtiva (15 a 64 anos). Hoje em dia, a RD está em seu nível mais baixo de todos os tempos. Ao longo do

Top