Por mais invenções ecológicas e produtos sustentáveis

 

todo dia é dia de cuidado

Por mais invenções ecológicas e produtos sustentáveis, artigo de Berenice Gehlen Adams

Fato é que precisamos de mais inventos, bem como novas tecnologias e produtos que sejam – comprovadamente – sustentáveis e que estejam à disposição de todos

Periodicamente nos alegramos quando acessamos informações que tratam de inventos chamados “ecológicos”, dos mais variados tipos, que possam trazer algum alívio ao planeta quanto à questão do lixo, poluição, energia, qualidade ambiental. Porém, algumas destas notícias apresentam, apenas, o lançamento destas ideias inovadoras, e não temos conhecimento se elas estão, ou não, sendo colocadas em prática.

O que se percebe é que não há interesse de investir em tecnologias que sejam menos agressivas, ou em produtos que são menos nocivos, tanto à saúde quanto ao ambiente – pelos modos de produção, consumo e descarte das embalagens -, pela lógica do mercado capitalista. Para esta lógica, o que vale é a obsolescência dos produtos e as facilidades de seguir produzindo cada vez mais, com eficiência e lucratividade.

No dia a dia, pela percepção do que encontramos nas prateleiras, do que vemos ao circular pelas cidades, dos produtos que são anunciados nas mais diversas mídias eletrônicas e impressas, podemos concluir que muitos destes maravilhosos inventos, ou ficam disponíveis para um universo muito pequeno de pessoas – que normalmente têm um bom poder aquisitivo -, ou acabam sendo engavetados.

Um levantamento sobre notícias e matérias que apresentam invenções que minimizam os impactos ambientais, veiculadas ao longo das últimas décadas – algumas bem recentes – , pode nos apontar que uma luz no fim do túnel da sustentabilidade começa a brilhar, mesmo que timidamente.

O levantamento realizado em alguns websites que tratam deste assunto (após cada listagem se apresenta o link para a devida fonte), aponta os seguintes produtos:

– Pranchas de surf feitas com redes de pesca abandonadas  – A empresa chilena BUREO foi fundada por três amigos. Eles fabricam pranchas de surf sem plástico com matéria prima secundária abundante no mar: redes de pesca. Eles também fazem óculos de sol, camisetas e outros produtos ecológicos. 

– Cortina de ducha sustentável – Essa cortina inflável se chama Spiky. Você tem 4 minutos para tomar banho, depois ela vai te assustar e empurrar. Isso é importante para evitar o desperdício de água.

– Cozinhas solares – Com o Cozinhas Solares Internacional você pode cozinhar apenas com a luz do sol.

– Móveis ecológicos – A empresa alemã Manufract fabrica móveis a partir de peças de madeira quebradas, usando uma resina ecológica para fixar a forma final. Hoje, muitos artesãos fazem o mesmo e apresentam móveis muito bonitos.

– Lar com baixo consumo de energia – A Ecocápsula é uma casa compacta de baixo consumo de energia para adultos. Ela é alimentada por meio de uma turbina eólica e painéis solares.

– Plástico / Não plástico – O ágar é uma espécie de plástico natural alternativo ao plástico sintético. Esse material pode ser usado em muitas embalagens.

– Dispositivo para economizar água – O Altered é um dispositivo colocado em torneiras. Ele ajuda a economizar 98% de água na hora de lavar as mãos e escovar os dentes.

– Sistema de reciclagem de resíduos orgânicos – O Homebiogas é um sistema para reciclar alimentos e outros resíduos orgânicos. Além disso, ele gera energia limpa.

– Bolsa inteligente – A PaqSule é uma bolsa inteligente com um sistema de auto-refrigeração, desodorização e desinfecção. Você pode ativar o ciclo especial livre de químicos pressionando um botão na bolsa ou no seu smartphone. Com a PaqSule você pode manter a sua bolsa limpa e livre de germes.

– Cesta de lixo inteligente – A TetraBIN é uma cesta de lixo com uma superfície interativa que dá ao usuário pontos como prêmio por cada artigo jogado no lixo, desde que com a correta destinação. Toda a superfície interna está equipada com sensores de movimento. Quando o lixo entra no cesto, uma coxa de galinha aparece no painel exterior, e ela é jogada para a boca de um cachorro faminto. O objetivo é motivar as pessoas a usarem os cestos de lixo.

Fonte: https://bitlybr.com/yJEdvXHR

– Embalagem feita a partir de fungos – Se o exemplo anterior te fez pensar na quantidade de garrafas e copos de plástico que utilizamos só para o consumo de água, pense agora na variedade de embalagens que são feitas do mesmo material e com os mais diversos fins. Ainda que o plástico possa ser reciclado, já sabemos que nem todos os países e cidades do mundo possuem essa cultura ou contam com sistemas capazes de lidar com o volume de lixo produzido. Por isso, a Ecovative se destaca por apostar no uso de materiais biodegradáveis para a produção de diversos produtos. Dentre eles, embalagens feitas a partir da combinação de fungos e subprodutos agrícolas. A empresa ainda oferece materiais para um “faça você mesmo” ou, como referem, “grow it yourself”. No inglês, a prática remete à ideia de fazer com que os fungos se desenvolvam e se transformem no material desejado.

– Sistema de fotossíntese artificial – Desde crianças, aprendemos que as árvores e plantas estão entre os seres responsáveis pela purificação do ar do planeta. E isso acontece por meio da fotossíntese. Com o passar dos anos e o crescimento das sociedades, muitas áreas verdes simplesmente deixaram de existir e, por isso, um sistema de fotossíntese artificial aparece como uma solução tão promissora. Cientistas da Universidade Estadual da Flórida encontraram um meio de transformar gases poluentes em ar puro, o que pode contribuir para a redução dos gases responsáveis pelo efeito estufa e pelas mudanças climáticas. Além disso, o sistema de fotossíntese artificial também é capaz de produzir energia, que pode ser utilizada em residências ou indústrias, por exemplo.

– Drone polinizador (ou drone inseto / abelha) – Você já deve saber que as abelhas estão em extinção. Apesar do medo que elas causam em função da dor de suas picadas que podem até desencadear processos alérgicos, as abelhas são fundamentais para a vida no planeta. Isso porque, além de produzir mel, abelhas fazem a polinização e são responsáveis por 35% das colheitas do mundo ou ⅓ daquilo o que comemos. É muita coisa! Para ajudar a resolver o problema, cientistas japoneses desenvolveram um drone que tem o tamanho de um inseto e que já teve sucesso na polinização de tulipas e lírios. O equipamento conta com uma “barriga” viscosa, capaz de capturar grandes quantidades de pólen e transportá-la a outras plantas. Grandes invenções ! Obviamente, o drone inseto não vai substituir as abelhas, mas está sendo aprimorado com o objetivo de ajudar no processo de polinização, atendendo às demandas crescentes da agricultura moderna mundial.

– Air ink (tinta feita com poluição) – A tinta tradicional que usamos nos mais diversos tipos de caneta, em nosso dia a dia, é feita de combustíveis fósseis, num processo danoso ao Planeta. Já tinha imaginado que algo tão simples e utilizado em larga escala pudesse causar problemas ao meio ambiente? Para solucionar essa questão, a invenção criada foi a air ink. Um dispositivo chamado Kaalink pode ser instalado nos canos de descarga dos veículos ou em chaminés e, então, coletar o material para a produção da tinta. Ao aproveitar a poluição para a produção de tintas, a air ink contribui para tirar do ar partículas cancerígenas e se responsabiliza por destinar corretamente todos os resíduos gerados no processo, para que sejam classificados e reciclados!

Fonte: https://bitlybr.com/py53Gp

– Lixeiras flutuantes – Com os mesmos ideais da Bureo, o Projeto Seabins surgiu com a missão de livrar os oceanos da poluição. Afinal, lugar de lixo não é na terra, muito menos no mar. Então, seguindo achados de uma extensa pesquisa sobre tecnologia e educação, o projeto desenvolveu a Seabin V5. Trata-se de uma lixeira flutuante que, portanto, “desliza” pela superfície da água. Assim, ela pode interceptar detritos, macro e microplásticos e até microfibras com um filtro adicional. Além disso, a Seabin V5 é capaz de limpar a água de material orgânico contaminado (folhas, algas marinhas e afins). Equipada com absorventes de óleo, consegue ainda captar os óleos de superfície e detergentes à base de petróleo.

– Plástico sustentável – Obtido a partir de algas marinhas vermelhas, o ágar é muito utilizado em estudos biológicos e até mesmo na culinária. Porém, o AMAM, um coletivo de designers de Tóquio, tem explorado as potencialidades do material como alternativa ao plástico sintético. Afinal, ele é largamente utilizado em embalagens dos mais diversos produtos que, tão logo desembalados, resultam neste resíduo descartável. Apesar de haver reciclagem – um processo, também, custoso – boa parte do plástico vai parar nas ruas e nos oceanos. Dessa forma, entope bueiros e provoca inundações, bem como prejudica o desenvolvimento da vida marinha. Porém, a partir do projeto do AMAM, o ágar pode servir como alternativa biodegradável ao plástico comum.

– Tijolos ecológicos para a caixa de descarga – Produzido a partir de borracha 100% reutilizada, o Drop-A-Brick nada mais é do que um truque caseiro repaginado. Afinal, antes das válvulas de duplo acionamento, para economizar água, muitos colocavam um tijolo dentro dos reservatórios dos vasos sanitários. Essa prática ajudava a poupar até dois litros por descarga. No entanto, o tijolo comum pode facilmente danificar a estrutura do tanque. Além disso, as novas válvulas podem representar um custo que muitas famílias preferem postergar. Logo, o Drop-A-Brick apresenta-se como uma solução barata e inovadora. Macio, flexível e não tóxico, o tijolo de borracha é leve como uma esponja quando está seco. Já quando entra em contato com a água, fica pesado e afunda. Assim, ocupa espaço na caixa da privada e diminui a quantidade de água usada na descarga. A invenção faz parte de uma campanha de financiamento coletivo no Indiegogo.

Fonte: https://bitlybr.com/kJ3J

– Canetas de garrafas plásticas – Essas canetas reutilizáveis são feitas de garrafas plásticas recicladas. E o fabricante oferece ainda diversas cores. […] Um cartucho é colocado nos canos de escape dos carros para recolher a fuligem. Em seguida, os metais pesados são retirados e é produzida uma tinta de alta qualidade. Uma caneta contém o volume de emissões poluidoras geradas por cerca de 40 minutos.

– Tênis de plástico – Os fabricantes garantem que os tênis mostrados na foto acima são feitos 95% com plástico retirado dos oceanos. Os outros 5% são de poliéster reciclado. Para produzir um par, são usadas cerca de 11 garrafas plásticas. A Adidas tem a intenção de aplicar o mesmo método para produzir roupas esportivas, o que possibilitaria a reciclagem de 11 milhões de garrafas.

– Embalagem reutilizável – A empresa Bee’s Wrap encontrou a solução para reduzir o uso de plástico ao desenvolver uma embalagem para alimentos à base de algodão, cera de abelha, óleo de jojoba e resina vegetal. O material é lavável e pode ser usado várias vezes.

– Couro ecológico de bananas – Depois de cada colheita de bananas, os fazendeiros precisam cortar a árvore para estimular o crescimento de novas frutas. E isso faz com que uma grande quantidade de resíduos em forma de fibra de madeira acabe apodrecendo no solo. Sendo assim, a empresa Green Banana Paper enxergou nisso a oportunidade de construir um negócio promissor, tanto do ponto de vista econômico quanto ecológico e social. Foi assim que surgiram essas carteiras, que não apenas reduzem os resíduos após a poda das bananeiras, como também ajudam os produtores locais, que sofriam com a baixa renda.

– Luminárias para cultivo de plantas em espaços internos – As luminárias da Nui Design Studio são, na realidade, um ecossistema totalmente autossustentável. Dentro delas, as plantas podem crescer sem luz solar.

– Relógios feitos com barris de whisky – A Original Grain produz relógios com materiais ecologicamente corretos. Muitos dos produtos são fabricados em madeira reciclada anteriormente usada em barris de whisky. Para cada relógio vendido, a empresa planta uma árvore frutífera e hortas no Senegal. Isso ajuda no combate à pobreza e aumenta a renda da população local.

– Plástico vegetal – Um empresário indonésio criou um plástico à base de mandioca. Com o material, é possível substituir praticamente tudo que vem afetando o meio ambiente: sacolas, embalagens para alimentos, tecidos e outras coisas. O produto leva poucos meses para se decompor, sem deixar resíduos tóxicos no solo nem na água.

– “Couro” à base de fibra de abacaxi – A Ananas Anam é uma empresa filipina que transforma folhas de abacaxi em uma alternativa ecológica para o couro. Além de isso garantir uma renda extra aos moradores locais, dá aos estilistas a chance de trabalhar com um material totalmente novo, perfeito para o desenvolvimento de vários objetos ligados ao mundo da moda. Os animais agradecem!

Fonte: https://bitlybr.com/gQ68s

– Tampas reutilizáveis ​​de silicone – Estas tampas de silicone ajustáveis ​​são feitas de silicone de platina, Um dos materiais mais recorrentes na cozinha. Todos esses utensílios de silicone de platina são antiaderentes, higiênicos e resistentes e são 100% reutilizáveis ​​e recicláveis. Podemos selar cada recipiente firmemente sem precisar recorrer aos filmes plásticos típicos. Além disso, eles oferecem uma resistência à temperatura entre -30 e 230 ° C, o que permite o uso em geladeiras. e para cozinhar com microondas ou fogões elétricos.

– Palhas reutilizáveis – Perfeito para ecoar uma cafeteria ou restaurante, e por que não em casa. Esses canudos são feitos principalmente de papel, além de um composto de materiais recicláveis, Eles são a solução perfeita para evitar o uso de versões plásticas. Além disso, eles são igualmente baratos e não exigem muito esforço.

– Talheres descartáveis ​​para massas de milho – Feitos de pasta de milho, oferecem grande durabilidade e pode ser jogado na lata de lixo de resíduos orgânicos com total calma. Vamos lá, o que era talheres ecológicos de qualidade.

– Geladeira sem eletricidade – Mitticool é um refrigerador que não requer uma fonte de alimentação. Este refrigerador foi projetado por um artesão indiano chamado Mansukhbhai Prajapati Pode frutas e vegetais frescos até 3 Armazenar por dias. Na Índia, já é conhecida como a geladeira dos pobres. Não é à toa que esta invenção se destina aos mais necessitados nas áreas mais carenciadas do país. Para iniciantes, o preço é significativamente mais baixo que o de uma geladeira normal. Além disso, ele não precisa estar constantemente conectado à rede elétrica, que é um luxo para milhões de pessoas neste país.

– Móveis com NEWPAPERWOOD – Este material é de jornais usados. Uma maneira útil de reutilizar jornais usados ​​para transformá-los em madeira. Fabricados pela empresa holandesa vij5, os jornais são enrolados em uma espécie de corredor que imita o grão da madeira, como anéis de crescimento de uma árvore. A versatilidade é tão grande que os designers estão trabalhando para melhorar o sistema de fabricação, a fim de usar esse material para desenvolver outros produtos e objetos.

– Discos reutilizáveis ​​para remover maquiagem – No mundo dos cosméticos, encontramos muitos componentes tóxicos, bem como uma variedade de resíduos na forma de embalagens e acessórios que precisamos para aplicar maquiagem e remover maquiagem, esponjas, pincéis, etc. Portanto, os discos reutilizáveis ​​para remover maquiagem feitos de algodão orgânico são uma alternativa incrível para as toalhas típicas. Graças a este pequeno pano de algodão, não apenas economizamos, mas também evitamos os produtos químicos que surgem durante a limpeza diária e não há desperdício.

– Cápsulas de café recarregáveis – O sucesso das máquinas de café em cápsula Nespresso,  está fora de controle. Enquanto muitos adoram o gosto e a conveniência de fazer uma xícara de café, também os altos custos ambientais para produção, distribuição e resíduos. Felizmente, existe uma alternativa sustentável que podemos usar não apenas para economizar dinheiro, mas também ajuda a preservar o meio ambiente. Existem muitos fabricantes (Waycap, Recaps, Seal Pod) que oferecem cápsulas reutilizáveis ​​de aço inoxidável. Com eles, podemos criar suas próprias receitas com o seu café favorito e regular a quantidade e a pressão antes de filtrar.

– USB reciclável – Esta solução ecológica para pen drives é feita de papelão reciclável em vez de plástico sujo. A vantagem desse tipo de armazenamento é que podemos reciclá-lo facilmente quando ele parar de funcionar.

– Lápis de broto – Esta invenção não tem muito segredo. É um lápis de madeira normal, com recargas 9 cores diferentes para escolher e perfeitas para pintura e desenho. Mas quando o lápis chega ao fim de sua vida, ele pode ficar preso em um punhado de terra que encontramos em uma panela e de cabeça para baixo Depois de alguns dias, uma planta começará a brotar. Isso ocorre porque o Sprout Pencil contém um Cápsula discreta com sementes vegetais. Isso dá uma segunda vida ao produto e evita a geração de novos resíduos.

Fonte: https://bitlybr.com/9Jsf

– Gerador de energia movido a urina – Quatro garotas nigerianas desenvolveram um dispositivo que proporciona seis horas de uso de energia elétrica a cada litro de urina dispensado na máquina. O aparelho utiliza apenas um filtro de água, um botijão de gás e o dispositivo gerador, feito a partir de células eletrolíticas. O processo produz energia através da eletrólise da ureia, realizada no processo de filtragem da urina: depois de passar por uma célula eletrolítica, o líquido excretado é divido em moléculas de nitrogênio, hidrogênio e água. Quando esta etapa acaba, os elementos são filtrados novamente e absorvidos por um cilindro instalado no dispositivo, que empurra o hidrogênio para o interior de outro cilindro com líquido. Assim, a umidade é retirada e o composto gera eletricidade. A tecnologia ecológica e barata foi confeccionada pelas estudantes Duro-Aina Adebola (14), Akindele Abiola (14), Faleke Oluwatoyin (14) e Bello Eniola (15) para um trabalho escolar.

– Bola que produz energia – Duas alunas da Universidade Harvard, nos EUA, criaram a sOccket, uma bola de futebol que aproveita a energia cinética gerada enquanto rola em uma partida. A bola possui um mecanismo interno acoplado, que funciona como um motor. O aparelho gira, produz e captura a energia cinética. Em apenas meia hora de jogo, a bola já acumula energia suficiente para manter uma lâmpada de LED acesa por três horas ou carregar a bateria de um celular. A bola foi desenvolvida pelas amigas norte-americanas Jessica Matthews e Julia Silverman, quando ainda eram estudantes, e foi apresentada no Rio de Janeiro durante o TEDx Rio+20, que ocorreu em 2012.

– Roupas que aproveitam energia do sol – Uma estudante de vestuário da Universidade Cornell, em Nova York, utilizou fios de algodão condutores para criar uma coleção de roupas capaz de produzir energia a partir do sol. Com painéis solares ultrafinos para guarnição e um carregador USB localizado na cintura, a roupa capta os raios solares para carregar celulares, iPods e outros dispositivos portáteis. Essa é a invenção da norte-americana Abbey Rachel Liebman. O protótipo resultou em um tecido que transmite corrente como um fio de metal. Devido a isso, a estudante afirma que a tecnologia pode ser incorporada em camisetas para medir a frequência cardíaca ou analisar suor, costuradas em travesseiros para monitorar os sinais do cérebro ou aplicadas para criar têxteis interativos com aquecimento e capacidade de refrigeração.

– Máquina que decompõe resíduos orgânicos em 24h – Uma ferramenta que permite a decomposição e compostagem dos resíduos dentro de 24 horas, transformando-os em um líquido rico em nutrientes ou adubo, foi a aposta comercial de uma ex-profissional de marketing Renee Mison conheceu a máquina coreana “waste to water” (de resíduo a água) em estágio de desenvolvimento e comprou seus direitos. Apostou na ideia ao investir mais de 380 mil dólares em pesquisa e desenvolvimento para transformar o decompositor em uma ferramenta perfeita de gestão da água e resíduos. O produto pode ser usado como fertilizante para jardins, enquanto a água é limpa suficiente para ser usada na lavagem de pisos ou rega de plantas, por exemplo. O dispositivo pode produzir 267 litros de água a partir de uma tonelada de resíduos de alimentos.

– Louças que absorvem energia solar – Uma coleção de louças capazes de produzir energia fotovoltaica foi criada para alcançar níveis altos de eficiência para o aproveitamento da luminosidade interna de uma residência. Essa é a invenção da designer holandesa Marjan Van Aubel. A tecnologia aplicada consiste em usar uma camada de célula fotovoltaica com um corante sintetizante em cada um dos objetos de vidro. O processo é baseado na fotossíntese das plantas, em que o verde da clorofila ajuda a captação de energia. Dessa forma, um copo é capaz de produzir energia e depois transmitir esse potencial armazenado a um gabinete coletor, que o transforma em eletricidade e permite usos diversos. O gabinete não é apenas um suporte de louças, ele é também uma bateria, passível de se transformar em um carregador, por exemplo. O vidro utiliza a luz solar como fonte de energia, mas também pode funcionar sob a luz difusa. A eficiência do material varia de acordo com as cores que forem empregadas.

– Cinto transforma gordura do corpo em energia – A designer holandesa Emmy van Roosmalen criou uma tecnologia capaz de acabar com a dor de cabeça causada pela gordurinha extra. Muitas mulheres reclamam dos quilos a mais, porém com a ideia da designer holandesa Emmy van Roosmalen a gordurinha extra tem a utilidade de gerar energia. Chamado de “Cinturão de Energia”, o protótipo surge como mais uma alternativa à produção de energia limpa. O funcionamento consiste basicamente em utilizar protocélulas artificiais para produzir energia a partir da conversão da gordura natural em Adenosina-5’-trifosfato (ATP). A energia produzida é capaz de recarregar gadgets e celulares.

Fonte: https://bitlybr.com/nPx6JdH

– Iluminação de rua feita com garrafas plásticas reutilizadas – O movimento Liter of Light ajuda comunidades carentes a desenvolver suas próprias lâmpadas reutilizando garrafas de plástico. Um micro painel solar é colocado em garrafas plásticas velhas, durante o dia, a luz do sol carrega-os acumulando energia para poder gerar luz durante a noite.

– Shampoo “sem embalagem” e livre de parabeno – Benjamin Stern desenvolveu gotas de shampoo sustentáveis quando tinha apenas 14 anos. As NOHBO Drops, foram criadas para substituir garrafas plásticas. Cada gota, que vem dentro de um invólucro totalmente biodegradável, feito à base de plantas, contém 5 mililitros, o suficiente para ensaboar cabelos curtos e longos. Basta colocá-la na palma da mão sob a água do chuveiro e esperar que o revestimento se dissolva. Além de limpar e hidratar os cabelos, a invenção ainda é livre de parabenos e sulfatos, conservantes nocivos à saúde.

– Turbina que produz energia em águas lentas – Essa turbina é a primeira tecnologia a gerar economicamente eletricidade de maneira acessível por meio de águas em movimentos lentos, como rios, riachos, canais e correntes oceânicas. A turbina Waterotor converte mais de 50% da energia disponível em água em eletricidade na velocidade de até 3km/h. Fundada em 2011, a empresa responsável fez da turbina a solução para preencher os lugares sem eletricidade com energia renovável, atendendo mais de 1 bilhão de pessoas sem energia elétrica.

– Piscinas feitas de contêineres antigos – Piscinas estão sendo produzidas a partir de contêineres que não são mais utilizados. As peças são pré-montadas na fábrica tornando-as sustentáveis e acessíveis no mercado. São equipadas com sistema de filtragem, escada e deck, além de porta de segurança para crianças. O material utilizado dentro dos contêineres é de fibra de vidro, e a peça é entregue completamente montada pelo transporte de um caminhão.

 – Embalagem de cerveja comestível para animais marinhos – De acordo com o Greenpeace, mais de 100 milhões de toneladas de plástico são produzidos ao ano. Dessa quantidade, 10 milhões acabam no mar, sendo ingeridos por tartarugas, aves marinhas, baleias e outros animais. Pensando nesse impacto, a cervejaria Saltwater, localizada na Flórida, criou uma embalagem de cervejas comestível para ajudar a salvar a vida marinha. Utilizando subprodutos do processo de fabricação da cerveja, como cevada e trigo, conseguiu criar anéis para as embalagens de 6 unidades que podem ser ingeridos com segurança por animais marinhos.

– Turbina portátil de energia hidráulica – Comparado a outras fontes de energia renováveis, os rios oferecem grande potencial energético. Essa turbina portátil desenvolvida para ser utilizada em rios pode fornecer energia 24 horas por dia, produzindo 12 kWh, o suficiente para atender às necessidades elétricas de uma casa. Seu design foi criado para gerar o mínimo impacto na fauna e flora, e estudos feitos comprovaram que o equipamento não apresenta danos ao ecossistema dos rios.

– Cortador de plástico – Esse cortador de garrafas plásticas foi criado para facilitar a reciclagem diminuindo-as em tamanho. Além disso, permite a reutilização do plástico, reduzindo o desperdício e economizando dinheiro. Feito com materiais também recicláveis, o cortador cria uma corda prática que pode ser usada para várias finalidades, desde a criação de cortinas e artesanato até cordas capazes de rebocar um carro. 

– Pasta de dente em pílulas – Lindsay McCormick foi a responsável por criar essa alternativa para acabar com a produção de tubos plásticos e caixas de papelão que acompanham os cremes dentais. As pílulas de pasta de dente além de diminuir a emissão de lixo no planeta ainda são livres de produtos químicos nocivos ao organismo, não contém conservantes e são armazenadas em potes de vidro para serem reutilizados.

– Reciclador de pneus –  A invenção é um enorme triturador de pneus velhos. Ao realizar a reciclagem das peças gastas, a máquina separa borracha de fibras e cabos de aço. Após esse processo, o material pode ser transformado em inúmeros equipamentos, como telhas, pavimento, colchões e tapetes. A empresa responsável pelo maquinário é uma das maiores fornecedoras de equipamento industrial da Rússia.

– Pequena turbina de energia portátil movida à água e vento – A waterlily é uma pequena turbina capaz de produzir energia por meio de água ou vento. Seu design leve permite que seja carregada para diversos lugares e foi desenvolvida para fornecer energia por 24 horas. Carrega celulares, baterias, luzes elétricas, e outros itens com entrada USB e outros conectores com até 12Vs. A invenção canadense não gera prejuízo ao ecossistema.

– Pó para purificar água – O pó conhecido como Poly-Glu foi desenvolvido para auxiliar refugiados e população privada de água potável. O produto japonês trata a água suja, ou aparentemente limpa, com um coagulante eficaz que junta os flocos no fundo do recipiente. A Poly-Glu além de garantir o acesso de água para pessoas, contribui para solucionar o problema de derramamento de óleo, desastres naturais e tratamento industrial de água. 

– Carvão feito de excremento humano – Um projeto criou carvão a partir de excremento humano em Gana. Sem sistema de saneamento eficiente, os habitantes vivem com esgotos a céu aberto e rios poluídos, que levam os dejetos até o mar. Nessa realidade, uma equipe de empreendedores encarou o desafio de transformar fezes humanas em carvão de cozinha, dando destino para os excrementos e combatendo as altas taxas de desmatamento para produção de carvão. Os dejetos são deixados em uma estufa para secar por 3 semanas, após esse período, são aquecidos à 700ºC para eliminar qualquer odor presente. 

– Sacolas plásticas biodegradáveis e comestíveis – Criadas por Kevin Kumala, os sacos plásticos são feitos de amido de mandioca e foram criados com o objetivo de diminuir a poluição de rios e mares. Kevin estudou formas de substituir o petróleo na composição dos sacos, e o composto da mandioca foi a melhor opção. As sacolas são 100% comestíveis, diluem em água, que pode ser ingerida, sem o risco de poluir os afluentes após desintegrada. 

– Turbina para áreas rurais –  Uma turbina em formato de redemoinho foi criada para gerar energia 24 horas para casas em áreas rurais e comunidades remotas do mundo. A invenção gera energia de forma confiável e acessível, com baixo investimento inicial, baixo custo e sem impacto ecológico, nem grandes obras civis. 

– Composteira que transforma lixo em gás de cozinha – A HomeBiogas é uma composteira que consegue transformar lixo em gás de cozinha. Produz 200L de gás à cada litro de lixo (rejeito) orgânico, o equivalente para uma hora de uso do fogão. Podem ser utilizados como compostagem sobras de comida e até mesmo lixo produzido por animais. Ao serem despejados na caixa, as bactérias decompõem o material, liberando gás de cozinha.

– Máquina de lavar movida à pedaladas – Após uma temporada em um orfanato na África Central lavando roupas, o design Richard Hewitt ficou inspirado a criar uma solução para as pessoas que lavam roupas à mão em países subdesenvolvidos. O jovem projetou uma máquina de lavar cíclica, a qual chamou de SpinCycle. A invenção consiste em um tambor adaptado na garupa de uma bicicleta, que cria rotações durante as pedaladas..

– Fogão portátil que diminui a emissão de fumaça – O CampStove 2 é um fogão portátil formado por bateria e painel de LED. Queimando apenas madeira, seu sistema cria fogo para cozinhar refeições sem a emissão de fumaça. Além disso, o dispositivo transforma o calor em eletricidade utilizável, tornando possível carregar o celular ao mesmo tempo que prepara refeições.

– Bomba hidráulica sem eletricidade ou combustível – A Barsha Pump é a primeira bomba hidráulica movida a partir da energia do fluxo de rios e canais, sem utilizar combustíveis ou eletricidade. A bomba pode irrigar até 2 hectares dependendo das condições climáticas, solo e técnicas de irrigação, auxiliando pequenos produtores, famílias que sobrevivem de seu próprio plantio, e tornando-se uma alternativa totalmente sustentável.

Fonte: https://bitlybr.com/bHFQqTO

– LifeStraw – É um dispositivo que filtra a água contaminada, tornando-a fresca e potável – Tidos como vilões por conta da contaminação dos oceanos, os canudos podem ser um objeto ’do bem’. O LifeStraw (algo como ’Canudo da Vida’ em inglês) é um dispositivo que está dando a milhares de pessoas que vivem na pobreza a oportunidade de tomar água sem ter medo de ficar doente por causa das bactérias que pode conter. Consiste em membranas ocas e fibrosas que possuem poros microscópicos, responsáveis por capturar agentes contaminantes. É também uma ótima solução para todos os aventureiros que muitas vezes acabam ficando em áreas com água contaminada.

– Soccket – É uma bola de futebol que produz energia –  O Soccket é um gerador portátil que aproveita e armazena a energia do jogo. É usado como fonte de energia em áreas onde o acesso a recursos é limitado.

– Ecoegg – É uma alternativa verde ao sabão para a roupa – O Ecoegg é um sistema baseado em minerais para lavagem de roupas que funciona sem o uso de produtos químicos. O dispositivo não agride o meio ambiente, não foi testado em animais e é feito de materiais recicláveis ​​sempre que possível. É muito mais durável do que o seu sabão em pó comum e ainda custa menos.

– Ooho – A garrafa de água que você pode comer – Feito com extratos de algas marinhas, este recipiente não é apenas sustentável, mas também comestível. A garrafa Ooho foi criada para lidar com o lixo que invade nosso Planeta. Também serve como uma excelente alternativa para recipientes de plástico.

– Uma máscara que filtra a poluição do ar – O WAIR é uma máscara criada para proteger as pessoas da poluição do ar, especialmente nas grandes cidades. O dispositivo possui um filtro que impede a entrada de bactérias, gases, alérgenos e outras partículas minúsculas. Os criadores recomendam que troque o filtro todo mês, para garantir que a máscara funcione corretamente.

– A bola Cora, um dispositivo que remove microplásticos da lavagem – Um dos maiores desafios que o mundo enfrenta hoje em dia são os microplásticos que fluem para o oceano toda vez que usamos a máquina de lavar roupa para lavar peças de fibras sintéticas. A bola de Cora é um dispositivo que remove pequenas partículas de plástico das roupas durante o ciclo de lavagem, para evitar que sigam para o sistema de água e esgoto.

– Piñatex, um tecido natural feito de fibra de folhas de abacaxi – A Piñatex é uma alternativa ao couro natural, um material feito de fibras de celulose extraídas do abacaxi — que, em espanhol, é chamado de piña. O uso dessas fibras tem um impacto ambiental mínimo e, ao mesmo tempo, resolve o problema da matança de animais para a venda de pele.

– SALt, uma luminária que funciona com água e sal – A luminária SALt é um dispositivo que requer apenas um copo de água e duas colheres de sopa de sal para fornecer luz suficiente durante a noite. E, no caso de você não ter sal, também pode usar água do mar. A invenção é especialmente útil em países onde não há eletricidade.

– Trishula, talheres que você pode comer! – A Trishula é uma empresa indiana que produz talheres comestíveis feitos com uma massa de arroz, sorgo e farinha de trigo. A mistura é amassada com água quente e colocada nos moldes. Os produtos são 100% naturais, o que reduz o efeito do lixo sobre o meio ambiente e melhora o bem-estar das pessoas, uma vez que os ingredientes não contêm substâncias químicas ou aditivos.

– Dueacca, uma torneira ecológica – A Dueacca é uma torneira fabricada com materiais 100% recicláveis para reduzir a quantidade de resíduos não recicláveis. Ela pode usada tanto em ambientes internos quanto externos, e, como seu tamanho é reduzido, pode ser colocada em qualquer lugar. Cada produto possui um sistema que limita o fluxo de água através da torneira, o que ajuda a reduzir a quantidade utilizada.

– BirkSun, uma mochila que carrega seu celular –  A BirkSun é uma empresa que inventou mochilas solares que são usadas para carregar dispositivos, quando não há acesso à eletricidade. As mochilas são à prova d’água, duráveis e leves. Além disso, seus painéis solares não são facilmente danificados. As mochilas podem ser usadas tanto para atividades ao ar livre, caminhadas e trilhas quanto para atividades urbanas e para transportar seus objetos de trabalho nas grandes cidades. Afinal, ela é super descolada, como você pode conferir pelas fotos acima.

Fonte: https://bitlybr.com/dFxY4eR

– Impressões com café – Na Coreia do Sul, um engenheiro comprometido com a redução da poluição global desenvolveu um método único de impressão de documentos. Em vez de usar produtos químicos e corantes tradicionais, sua impressora usa borra de café para fixar o conteúdo no papel. Essa iniciativa pode ser de grande ajuda para reduzir a fabricação de produtos químicos desse tipo e, ao mesmo tempo, o uso de cartuchos de impressora tradicionais. 

– Móveis feitos de jornais velhos – A técnica, batizada de ” Kranthout “, foi desenvolvida por uma marca de móveis holandesa que processa jornal velho até se tornar um material compacto ideal para peças de construção, que vistas de longe não diferem da madeira. Caso se popularize, seria uma alternativa viável para conter o desmatamento e seus efeitos. Seria uma ótima notícia!

– Saco transformado em óleo – É uma máquina que converte sacolas plásticas em óleo , que, por sua vez, pode ser reaproveitado como combustível. O aparelho gera um litro de óleo para cada quilo de sacolas plásticas e, apesar do alto custo, espera ser projetado como alternativa para reduzir a poluição por combustíveis no mundo . A ideia foi desenvolvida por uma empresa japonesa. Vamos lembrar que o plástico é um dos materiais que mais demora para se decompor, por isso desejamos que essa iniciativa prospere!

Telefones celulares solares – Os telefones celulares, principalmente os smartphones, consomem grande quantidade de energia elétrica ao recarregar quase que diariamente. Para quebrar essa tendência, o instituto alemão Fraunhofer desenvolveu um telefone com painéis solares embutidos , o que significa que pode ser recarregado expondo-o à luz solar por duas a três horas. Se a iniciativa for estendida, o desafio será mudar os hábitos dos usuários, que geralmente recarregam o celular à noite. Isso contribuirá para a economia de energia elétrica e o uso de menos recursos em sua produção. Nós vamos conseguir?

Fonte: https://bitlybr.com/Zul3

Neste levantamento apresentam-se apenas algumas ideias, entre tantas, que vêm surgindo neste horizonte que almeja uma vida mais saudável para todo o planeta. Atualmente cada vez mais pessoas estão percebendo que não pode haver distância entre o discurso e a prática, quando buscamos soluções para os problemas ambientais, que têm reflexos em todo sistema de vida do planeta. Há muito tempo já se fala sobre a necessidade de mudanças de hábitos e atitudes para um ambiente sadio e equilibrado, e alterar os modos de produção, descarte e consumo também é fundamental para que possamos efetivar mudanças.

Embora já existam muitas empresas que alteraram seus produtos e modos de produção tendo em vista a cobrança dos consumidores mais conscientes por produtos que sejam alinhados com a sustentabilidade ambiental, precisamos ampliar este rol. Uma pesquisa aponta que desde o início da pandemia ocorreu um salto significativo de 55% na busca por produtos sustentáveis entre junho de 2019 e maio de 2021.

Fato é que precisamos de mais inventos como estes no mundo, bem como novas tecnologias e produtos que sejam – comprovadamente – sustentáveis (sim, porque existe muita “maquiagem” em inúmeros produtos que se dizem “verdes” ou ecológicos), e que estejam à disposição de todos. Segundo o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (IDEC), existem centenas de marcas e produtos que, por meio dos mais diversos selos, certificados, prêmios e afins, se autointitulam ecológicos, na tentativa de dizer que seu processo de produção não prejudica o meio ambiente. Porém, nem todo produto que se diz comprometido com as questões ambientais efetivamente o são. Portanto, precisamos estar atentos, sempre!

 

Demais fontes:

IDEC. Saiba como identificar se um produto é realmente sustentável. Disponível em: https://bitlybr.com/1LP2qc

Consumo consciente: mais produtos sustentáveis nas sacolas. Disponível em: https://bitlybr.com/kpWxdtD

 

* Berenice Gehlen Adams – Pedagoga, especialista em Educação Ambiental, editora responsável da revista Educação Ambiental em Ação: www.revistaea.org, diretora da Apoema Cultura Ambiental: www.apoema.com.br .

 

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 25/05/2022

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top