Quintais verdes ajudam a aumentar a resiliência climática urbana

pátios verdes

Quintais verdes ajudam a aumentar a resiliência climática urbana

Os espaços verdes nas cidades têm vários efeitos positivos: são bons para nossa saúde física e mental, são bons para o meio ambiente e podem até ajudar a combater os efeitos das mudanças climáticas.

Institute of Environmental Science and Geography*, University of Potsdam

Para explorar o impacto de estruturas verdes adicionais nas cidades, Katja Schmidt e Ariane Walz, afiliadas à Universidade de Potsdam , na Alemanha, quantificaram seus efeitos em diferentes aspectos, como conforto térmico, biodiversidade, armazenamento de carbono e interação social. Seu estudo, publicado na revista de acesso aberto e revisado por pares One Ecosystem , combina o conhecimento da pesquisa em saúde, ecologia e pesquisa socioecológica e mostra como quanto melhor conhecemos um tipo específico de ecossistema, melhor podemos nos adaptar ao clima. mudança.

Perseguindo uma abordagem multi-métodos que variou de medições climáticas locais a mapeamento de habitat e árvores, os autores compararam quatro pátios residenciais verdes em Potsdam. Os espaços foram construídos de forma semelhante, mas tinham diferentes proporções e tamanhos de recursos (gramados, canteiros, caminhos, parques infantis e lotes), bem como diferentes populações arbóreas e arbustivas.

Ao fazer sua pesquisa, Schmidt e Walz viram como mesmo pequenas diferenças na estrutura verde afetam a provisão de benefícios, mas uma coisa ficou clara: os pátios mais verdes renderam mais benefícios. As árvores têm a capacidade vital de resfriar o ambiente e aumentar o conforto térmico. Notavelmente, os pesquisadores relatam efeitos adicionais de resfriamento de até 11°C nos pátios mais verdes. Isso significa que as estruturas verdes residenciais podem ser de grande valor para a saúde humana durante o calor do verão, quando o asfalto e os edifícios tornam os dias quentes ainda mais quentes. Considerando o envelhecimento demográfico e o provável aumento das ondas de calor na área, é provável que isso tenha implicações ainda maiores para a saúde nos próximos anos.

Os espaços verdes urbanos também podem ser um fator importante no armazenamento de carbono, pois os solos urbanos e as árvores têm a capacidade de atuar como sumidouros de dióxido de carbono atmosférico. Os quintais residenciais com mais e maiores árvores, logicamente, têm o poder de armazenar mais carbono. É aqui que entra a manutenção adequada: quando os quintais são geridos de forma sustentável, as árvores vivem mais e podem armazenar mais carbono.

“Considerando a tendência de aumento da quantidade e magnitude de eventos climáticos extremos e a vulnerabilidade das áreas urbanas, os espaços verdes são conhecidos por apresentarem grande potencial para aumentar a resiliência climática urbana. Nosso trabalho destaca os efeitos positivos generalizados de estruturas verdes adicionais em espaços abertos residenciais, um tipo de espaço verde urbano que é frequentemente pouco estudado”, ressalta Dr. Schmidt.

Como conclusão, os pesquisadores apontam que, se os proprietários e arrendatários receberem incentivos para se comprometerem com a adaptação climática, e os bairros apresentarem estratégias de gestão deliberadas, esses benefícios poderão ser potencializados, contribuindo para um desenvolvimento urbano mais sustentável.

Referência:

Schmidt K, Walz A (2021) Ecosystem-based adaptation to climate change through residential urban green structures: co-benefits to thermal comfort, biodiversity, carbon storage and social interaction. One Ecosystem 6: e65706. https://doi.org/10.3897/oneeco.6.e65706

 

Henrique Cortez *, tradução e edição.

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 25/01/2022

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top