COP26 – Um fracasso político e diplomático

 

COP26 – Um fracasso político e diplomático

O objetivo fundamental da COP26 era garantir que nosso clima não esquentasse mais do que 1,5 grau – com essa medida, ele falhou desastrosamente

Após a publicação do acordo final da COP26, Molly Scott Cato, Professora de Economia na Universidade de Roehampton, diz que o evento falhou no que a história verá como nossa última chance de proteger o mundo do desastroso superaquecimento.

Por Chiara Barreca/ Nick Richardson*

“O objetivo fundamental da COP26 era garantir que nosso clima não esquentasse mais do que 1,5 grau – com essa medida, ele falhou desastrosamente.

“As nações sabem que precisam cortar as emissões de maneira mais profunda e rápida. No entanto, apesar de um aumento limitado na ambição, a maioria dos países não conseguiu fortalecer as promessas que fizeram em Paris em 2015, liderando o respeitado Carbon Action Tracker, de colocar o mundo no caminho para um calamitoso aquecimento de 2,4 graus.

“Embora a diferença entre 1,5 e 2,4 possa não parecer muito, é a diferença entre um clima habitável e outro em que milhares morrem de choque térmico na Europa e milhões morrem de fome na África devido à seca. É a diferença entre a perda de todos os corais do mundo e ter alguma chance de salvá-los. É a diferença entre as Maldivas ou as Ilhas Marshall existentes ou simplesmente desaparecendo sob a elevação do mar.

“A ausência de líderes da Rússia e da China, dois dos maiores emissores de carbono do mundo, e a intervenção de última hora da Índia e da China para amenizar a linguagem sobre o carvão foram fundamentais para as deficiências do evento. Este é um fracasso diplomático das últimas décadas, durante as quais manobras geopolíticas e interesses próprios dominaram descaradamente a crise climática.

“Os países que assinaram o acordo não podem escapar da culpa, com a maioria colocando o interesse próprio acima do projeto comum de salvar o clima. A necessidade de remover os combustíveis fósseis de nossa economia global tem sido sustentada por muitos dos países mais poderosos que protegem seus interesses de combustíveis fósseis, incluindo o Reino Unido e os EUA. A presidência do Reino Unido perdeu o foco na diplomacia global no coração da COP com seu desejo de promover negócios financeiros sustentáveis Cerradopara a cidade.

“Enquanto isso, o fracasso das nações ricas responsáveis pelas emissões históricas de colocar dinheiro na mesa para reparar perdas e danos tornou impossível para Alok Sharma, apesar de seus melhores esforços, manter uma unidade de propósito.

“Embora esta seja uma imagem sombria, existem alguns raios de luz individuais, com acordos sobre o metano e as florestas ajudando a reduzir a carga sobre a atmosfera. E a aceitação da necessidade de eliminar os combustíveis fósseis pelos países responsáveis pela grande maioria da atividade econômica mundial só pode ser saudada.

“Ainda assim, a COP26 foi um fracasso político e diplomático. A história julgará Glasgow como a última oportunidade de proteger a civilização contra a devastação de um clima de superaquecimento e, mais um ano de atraso até a COP27 no Egito, significa que essa oportunidade foi perdida. ”

 

Henrique Cortez *, tradução e edição.

 

in EcoDebate, ISSN 2446-9394, 16/11/2021

 

A manutenção da revista eletrônica EcoDebate é possível graças ao apoio técnico e hospedagem da Porto Fácil.

 

[CC BY-NC-SA 3.0][ O conteúdo da EcoDebate pode ser copiado, reproduzido e/ou distribuído, desde que seja dado crédito ao autor, à EcoDebate com link e, se for o caso, à fonte primária da informação ]

Inclusão na lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate, ISSN 2446-9394,

Caso queira ser incluído(a) na lista de distribuição de nosso boletim diário, basta enviar um email para newsletter_ecodebate+subscribe@googlegroups.com . O seu e-mail será incluído e você receberá uma mensagem solicitando que confirme a inscrição.

O EcoDebate não pratica SPAM e a exigência de confirmação do e-mail de origem visa evitar que seu e-mail seja incluído indevidamente por terceiros.

Remoção da lista de distribuição do Boletim Diário da revista eletrônica EcoDebate

Para cancelar a sua inscrição neste grupo, envie um e-mail para newsletter_ecodebate+unsubscribe@googlegroups.com ou ecodebate@ecodebate.com.br. O seu e-mail será removido e você receberá uma mensagem confirmando a remoção. Observe que a remoção é automática mas não é instantânea.

Top